For my international friends

sexta-feira, 20 de julho de 2012

aniversário Lukas - Gotha

De Eisenach até Gotha levamos 20 minutos, ou seja, é praticamente a metade do caminho entre Eisenach e Erfurt. No dia da nossa viagem até Thüringen já tínhamos passado de trem por Gotha, deu pra ver parte do Schloss de dentro do trem. Nessa hora fiquei feliz de ainda ter incluído essa cidade  no nosso roteiro.
Schloss Friedestein

Gotha é a quinta maior cidade de Thüringen. Gotha foi a capital e residência dos duques de Sachsen-Gotha. No ano 1875 foi criado na cidade o partido chamado Sozialistische Arbeiterpartei Deutschlands (SAP), mais tarde renomeado para SPD. No passado Gotha tinha rivalidade com a cidade de Weimar, o outro centro da dinastia ernestina (descendente da dinastia Wettin, escrevi brevemente no post sobre Weimar). Enquanto Weimar foi um centro artístico, Gotha desenvolveu melhor a área científica, tanto que na cidade existe um Museu de História Natural - Museum der Natur Gotha - e um observatório - Sternwarte Gotha. O castelo barroco Friedenstein domina a paisagem da cidade. Ele foi outrora residência da família dos duques de Sachsen-Gotha-Altenburg e Sachsen-Coburg und Gotha. Uma empresa bem conhecida em Gotha é a Gothaer Waggonfabrik, uma fábrica de automóveis, que entre outras coisas produzia bondes e avioes. 
Schloss Friedenstein
pátio interno do Schloss - absurdamente gigantesco!!
Gotha foi mencionada pela primeira vez em 25 de outubro de 775 num certificado emitido em Düren. Com este documento, Karl der Große (abrasileirando Carlos Magno) transferiu para a vila Gothaha (boa água) um décimo das terras, florestas e prados do mosteiro Hersfeld. As boas relações com o mosteiro de Hersfeld sao provavelmente a razao pela qual a cidade adotou como padroeiro da cidade St. Gothardus, um antigo abade de Hersfeld e posterior bispo de Hildesheim.


O marco da cidade de Gotha é a maior construcao feudal do comeco do período barroco na Alemanha, o Schloss Friedenstein com o maior jardim em estilo inglês no continente europeu e suas casamatas. No Schlosspark encontra-se a Orangerie, que abriga desde 1950 a Biblioteca da cidade, o Schloss Friedrichsthal e o Herzogliches Museum (que nao tirei fotos porque estava em reforma, daí só tinha tapumes). 
Orangerie
lá ao fundo o Friedrichsthal
O que basicamente fizemos em Gotha foi passear e olhar a cidadezinha. Sei que ela tem muita história também, mas não cheguei a pesquisar muita coisa sobre ela. Como já disse o que me levou a querer visitá-la foi a imponência do Schloss Friedenstein. Acredito que valha a pena passar mais tempo por lá em uma outra ocasião. É uma cidade bem simpática!

eu com Wasserkunst
Wasserkunst
Rathaus
---
No fim da tarde voltamos para Erfurt, onde fomos procurar uma pizza pra comer. Escolhemos um restaurante italiano, e acreditam que não tinha pizza no cardápio?? Como já estávamos lá dentro e eu tinha vergonha de sair assim sem nem ao menos pedir alguma coisa, pedimos massa. E estava deliciosa!! Não era o que a gente tinha em mente, mas valeu a pena. Só não valeu a garrafa de água de quase um litro que o garçon ofereceu pra acompanhar o vinho, e que era com gás (que eu não suporto) e ainda custou o olha da cara. Coisas dessa vida.

4 comentários:

  1. Bárbara, você e seu esposo gostam de fazer as mesmas coisas que eu e meu namorado! rsrsrs
    Nós adoramos visitar essas cidades pequenas mas cheias de história. Tinha uma polonesa que trabalhava comigo que dizia que eu era super sem graça por achar essas cidadezinhas interessantes (ela odiava morar na alemanha!!!) Hahaha, mas eu adoro!!! Vocês souberam aproveitar bem o aniversário dele!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!! Nossa, a gente adora visitar cidadezinhas antigas!! É nossa maior alegria fazer isso!! E nosso sonho é poder morar em lugares assim, um dia quem sabe?!!
      beijao

      Excluir
  2. Bem interessante esse roteiro de vocês, pois foge do "arroz de festa" turístico que sempre compreende cidades grandes e "famosas". Eu gosto de visitar cidadezinhas de vez em quando,pois tudo arece tudo tão autêntico.
    Eu aprendi a tomar água com gás aqui, antes não gostava, rs... É alguns restaurante metem a faca nas bebidas, gem que tomar cuidado, o pior é que a gente só fica sabendo depois :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou sempre a favor de fugir (pelo menos um pouco) do "arroz de festa", porque dá pra ver melhor as coisas, nao tem tanta gente, além de que dá pra descobrir um monte de coisa bem legal. Concordo com você que parece bem mais autêntico!!

      è, essa da água a gente deu bobeira mesmo, acho que a canseira dos passeios também ajudou... Mas também nao foi o fim do mundo.

      beijo

      Excluir

Conte-me o seu segredo...