For my international friends

domingo, 30 de agosto de 2015

Aniversário

E hoje é anivesário de alguém especial. E para o dia nao passar em branco vou deixar aqui uma música de aniversário do Rolf Zuckowski ( que mencionei dias atrás) e que fez parte da minha infância.

Parabéns pra nós!!


                      

WIE SCHÖN, DASS DU GEBOREN BIST 

1.
Heute kann es regnen,
stürmen oder schneien,
denn du strahlst ja selber
wie der Sonnenschein.
Heut ist dein Geburtstag,
darum feiern wir,
alle deine Freunde
freuen sich mit dir

Wie schön dass du geboren bist,
wir hätten dich sonst sehr vermisst.
wie schön dass wir beisammen sind,
wir gratulieren dir, Geburtstagskind!

2.
Unsere guten Wünsche
haben ihren Grund:

bitte bleib noch lange
glücklich und gesund.
Dich so froh zu sehen,
ist was uns gefällt,
Tränen gibt es schon
genug auf dieser Welt.

Wie schön dass du geboren bist,
wir hätten dich sonst sehr vermisst.
wie schön dass wir beisammen sind,
wir gratulieren dir, Geburtstagskind!

3.
Montag, Dienstag, Mittwoch,
das ist ganz egal,
Dein Geburtstag kommt im Jahr
doch nur einmal.
Darum lass uns feiern,
dass die Schwarte kracht,
Heute wird getanzt,
gesungen und gelacht.

Wie schön dass du geboren bist,
wir hätten dich sonst sehr vermisst.
wie schön dass wir beisammen sind,
wir gratulieren dir, Geburtstagskind!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Elbkinder

***Antes de mais nada obrigada pelos queridos comentários no post anterior. Me senti abraçada por todas vocês. Muito obrigada mesmo!!!***

E não é que consegui encontrar a música que eu queria mostrar aqui pra vocês?!

Essa música me emociona por diversas razoes e nem sei explicar bem porque. Mas vou tentar me fazer entender.

Pra começar a música fala de uma menino que mora em Dresden e joga uma garrafa com uma carta dentro do rio Elbe. Essa mesma garrafa vai ser encontrada por uma menina em Finkenwerder, que é um bairro de Hamburg. E daí eles falam um pouco do rio Elbe, que passa por boa parte de Alemanha.
É então basicamente um ode ao rio Elbe e às suas crianças. O refrão diz:

"Em casa peguei o atlas nas mãos e admirei tudo que encontrei ao longo do rio.

Elbkinder (as crianças do rio Elbe) moram no campo
Elbkinder gostam de brincar na praia ( no caso do rio)
Elbkinder moram na cidade
elas cantam em hoch, mol e platt (acredito que uma alusão aos dialetos falados nas regiões banhadas pelo rio - Hochdeutsch, Plattdeutsch... só o mol não sei a que se refere)
Elbkinder brincam de capitão
Elbkinder querem viajar
Elbkinder cospem no vento
porque são meninos e meninas do rio Elbe"

enfim, acho tudo muito bonitinho nessa música. Não sei se porque fala de Hamburg. Não sei se porque fala do rio Elbe. Não sei se porque querendo ou não meu filho é de Hamburg e assim sendo o considero também um " Elbkinder"!!

Enfim, aí está um clipe com ela (bem tosquinho por sinal, mas né?), e logo em seguida a letra em alemao para quem quiser acompanhar! Divirtam-se!





ELBKINDER
Musik: Michael Reinecke
Text: Rolf Zuckowski

Ich heiße Annika und wohn in Finkenwerder
und neulich fand ich eine Flaschenpost am Strand.
Ich hab sie aufgemacht und gleich den Brief gelesen.
Nun hört mal alle zu, was da geschrieben stand:
Ich bin Jan-Hendrick und ich wohn im schönen Dresden,
wir sind auf Klassenreise hier am Königstein
und diese Flaschenpost, die soll ein Gruß aus meiner Heimat sein,
wenn du sie findest schreib zurück, ich würd mich riesig freun.

Zu Haus nahm ich den Atlas in die Hand
und staunte, was ich da so alles an der Elbe fand.

Elbkinder leben auf dem Land,
Elbkinder spielen gern am Strand.
Elbkinder leben in der Stadt,
sie singen mal auf hoch un mol up Platt,
Elbkinder spielen Kapitän,
Elbkinder woll’n auf Reisen gehn.
Elbkinder spucken in den Wind,
weil sie Jungs und Mädchen von der Elbe sind.

Ich hab Jan-Hendrik noch am selben Tag geschrieben
und meinen Brief am Abend gleich zur Post gebracht.
Ich hab erzählt, wie wir in Finkenwerder leben,
und dass die Elbe uns auch manchen Kummer macht.
Ich hab in Dresden meinen allerbesten Freunden
ganz stolz den ersten Brief von Annika gezeigt,
und alle sagten: “Mensch, Jan-Hendrick, vielleicht klappts ja irgendwann,
dann fährst du selber zu ihr hin und schaust dir alles an.”

Dann nahmen wir den Atlas in die Hand
und fuhren mit dem Finger immer an der Elbe lang.


Elbkinder leben auf dem Land...

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

O segundo mês de agosto

Desde que me tornei mãe (até parece que faz tanto tempo), sempre que chega o mês de agosto começam a vir na minha cabeça e no meu coracao lembranças dos dias antes do parto do Leopold, e daqueles primeiros dias juntos. Meio que sinto de novo toda aquela ansiedade e passo de novo por todos aqueles sentimentos e sentidos. Hoje respondendo um e-mail pra uma amiga que acabou de parir também me vieram ainda mais lembranças e pensamentos... Eu fiquei  com receio de escrever a ela logo nos primeiros dias. Não quis atrapalhar, com eu gostaria de não ter sido atrapalhada nos meus primeiros dias sendo mãe. 

Fico pensando em como eu gostaria de poder ter tido mais tempo pra nós, pra aproveitar e internalizar tudo aquilo que estava acontecendo. Mas não deu... Me senti numa avalanche de sensacoes que não pude usufruir, não pude sentir, não pude tentar entender. Não deu tempo. Queria poder descansar daquela avalanche de sensacoes, mas não deu, não tive tempo. Me senti absurdamente cobrada, por mim e por todos. Era o tempo todo alguém querendo saber do Leopold, era o tempo todo alguém querendo ver o Leopol, era o tempo todo alguém querendo se lamentar pelo Leopold, era o tempo todo alguém dizendo o que o Leopold precisava naquele momento... E eu?! Eu estava lá sozinha, não sabendo o que fazer, também querendo o Leopold. Pra gente se conhecer, pra gente se conectar. Mas não dava tempo, não deu tempo. Estava todo mundo rodeando querendo ver e fazer. Mas ninguém se lembrou de ME perguntar como EU estava me sentindo no meio daquilo tudo. Era skype pra lá e pra cá querendo "ver o Leopold", mas ninguém querendo dar o espaço necessário àquela nova mãe. Ninguém quis saber se eu estava bem, se estava conseguindo amamentar, se os meus ideais estavam se concretizando. se eu estava sentindo dor, se eu estava precisando de um ombro amigo, se eu estava precisando chorar. E como eu chorei, e sozinha. Não tinha ninguém ali pra mim. Era tudo só em funcao do Leopold. Nada em funcao da mãe. E como isso dói. Ainda dói. E eu tenho medo que vá doer pra sempre.

domingo, 9 de agosto de 2015

Dica de música para crianças

Desde a gravidez eu comecei a pesquisar músicas pra crianças em alemão. Porque eu acho que música ajuda bastante a gente a aprender uma língua. E remexendo nas minhas memórias, vendo vídeos aqui e ali lembrei de um cara que faz músicas desde que eu era pequena. Lembrei de algumas e conheci novas. E foi tao legal relembrar muitas delas. Realmente fizeram muito parte daquele tempo. Aí que compramos 3 cds dele pro Leopold. E gente, escutamos elas direto. E são tao bonitinhas. A maioria fala de coisas tao a ver com crianças. E outras me deixam com tanta saudade da Alemanha... Tem uma que queria muito dividir com vocês, mas não encontro ela de jeito nenhum online. Penso em um dia traduzir aqui pra vocês, mas anda me faltando tempo. Não consigo sentar em frente ao computador quando o pequeno está acordado e quando ele dorme ou eu também quero dormir, ou preciso fazer alguns encomenda que está meio parada... Enfim, as idéias são muitas, mas o tempo hábil é pouco!

Enfim, deixo aqui a recomendacao. Quem tem crianças na Alemanha, ou mesmo tem interesse em aprender alemão, fica a dica. Vale muito a pena. Pelo menos eu adoro. O nome do cara é Rolf Zuckowski e ele é bem famosinho na Alemanha.

Rolf Zuckowski nasceu em Hamburg em 1942. A música faz parte da vida dele desde pequeno. Ele escreve e compõem músicas especialmente para crianças, mas também para adultos. Lançou o primeiro álbum em 1967 e até hoje já foram mais de 45 álbuns além de muitos outros tipos de mídia. Ele é engajado em alguns clubes que representam crianças e seus interesses.


Wikipédia: https://de.wikipedia.org/wiki/Rolf_Zuckowski
                   https://en.wikipedia.org/wiki/Rolf_Zuckowski

Site oficial: https://www.musik-fuer-dich.de/

domingo, 2 de agosto de 2015

Julho 2015 em fotos

E mais um mês passou voando... Já estamos quase no fim do ano gente... Como é que pode?! Brincadeiras a parte, mas que eu já estou com o pensamento nos produtos de natal, ahh isso já estou. Quem sabe ao longo do mês de agosto vocês vão tendo um gostinho do que vem por aí, lá no meu instagram...

Mas antes, às fotos do mês de julho:


Logo no começo do mês fomos para Curitiba comemorar o aniversário do marido com a família dele que mora por lá. Foi bom ter uns diaszinhos com frio de verdade usando minhas roupas queridas. Gente, desculpem, mas eu adoro frio e sinto uma falta danada de usar minhas roupas de inverno! E um programa que não pode faltar sempre que vou à cidade  é sair com uma amiga querida. Dessa vez fomos numa casa de chás que abriu há pouco tempo. e gente, recomendo muito, muito mesmo. Se tiverem interesse até posso fazer um post específico para eles, mesmo porque eles merecem. Adorei o lugar, o atendimento, a criatividade e o sabor do chá que eu tomei. Recomendo com certeza e quero voltar lá ainda mais vezes. Fica a dica!! O lugar chama Caminho do Chá.


Claro que nos dias de "folga" não estive tao de folga assim. Não consigo levar a máquina de costura para todos os cantos, mas levo minhas linhas e agulhas e assim produzi muitos pegadores de panelas coloridos e cheios de charme. É uma delícia de fazer e bem rapidinho. Quem quiser encomendar os seus pode encomendar aqui, será um prazer fazer uns desses para minhas leitoras queridas!


O que me fez voltar mais uma vez para a casa dos meus pais depois da estada em Curitiba foi o casamento do meu irmão do meio. Agora todos 3 estamos casadinhos de papel passado. Foi tudo muito simples, no quintal da casa deles mesmo, com direito a dilúvio na noite anterior, mas nada tirou a beleza do momento. E festa de polaco é assim, passamos o dia inteiro lá, comendo, comendo, comendo... Mais uma vez, parabéns aos noivos!!!


Travessia do Rio Paraná, na divisa Paraná - Mato Grosso do Sul. //  As orquídeas lindas do jardim da minha mãe. //Como comentei no post anterior os dias foram quase só de chuva praqueles lados. 


Mamãe encomenda, a gente faz. Mesmo que nem tudo seja do jeito que a gente gosta de fazer. Duas fronhas, um paninho pra cestinha de pão, uma capa pra almofada do banco do jardim e um trilho de mesa (esse sim, na minha área!! ) hehheheh


Das delícias de aproveitar a casa dos avós, a tranquilidade e o verde...


E por último mais umas artes que fizeram meu mês mais colorido...

Até mês que vem...