For my international friends

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

é isso aí, amanhã a gente vai pro Brasil

Então é isso aí minha gente... amanhã a gente embarca pro Brasil, pra passar 3 semaninhas tentando matar as saudades das pessoas que por lá ficaram... As malas já fizemos ontem, prá garantir que estariam dentro do peso permitido, não queremos nenhum tipo de surpresa desagradável durante a viagem né! Claro que elas ainda não foram fechadas, porque tem sempre aquelas coisas de última hora que a gente vai lembrando e também aquelas que a gente ainda tem que usar, como por exemplo os desodorantes, que prum país tropical são artigo de primeira necessidade (que muitos alemães podiam aprender a usar por aqui também!!). Nosso vôo sai daqui de Hamburg mesmo, vamos até Frankfurt, de lá até São Paulo e daí Campo Grande... essa última conexão é que nos preocupa, já que temos meras 1:20h entre elas, nao porque nós ecolhemos assim, mas porque houve remanejamento do vôos desde que a passagem foi comprada... vamos ver no que vai dar, pelo menos a bronca pode ser feita em português se der alguma treta. Enfim, quem puder orar pela gente!! Não só por isso, mas pela viagem no todo, porque eu fico uma pilha de nervos viajando tanto tempo dentro de um avião. E claro também pelas coisas e pessoas que a gente for ver por lá, por mais que seja ótimo poder rever todo mundo, a gente não vai estar em casa, vai ter muuuuita gente que não vai dar pra ver e que pode ficar chateada com isso, tem também a família do Lukas que não sabe que a gente tá indo o que me deixa meio preocupada, ele quer fazer surpresa, mas eu tenho medo da bronca que ele pode levar por fazer isso, mas enfim... em especial também pelo tempo em Curitiba, porque vai ser 1 semana na casa do pais do Lukas né, quem me conhece sabe como eu me sinto com relação a esse assunto... tenho muito medo do que possa acontecer por lá!! E também claro tem o aniversário do papi, que é o motivo principal de estarmos indo, vamos festejar bastante, vai ser uma loucura ter toda aquela gente junta, fezendo bagunça, mas vai ser bem legal!!
Então é isso, com muitos de vocês as conversas vão ficar mais pessoais nessas três semanas, e pros que estarão longe do nosso alcance, reforço o convite de sempre, aqui tem muita coisa legal pra conhecer e nós dois anfitriões acolhedores sempre esperando visitas!! hehehheh

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Morar na Alemanha

Desde que vim morar aqui na Alemanha venho analisando as diferenças dos estilos de vida e as qualidades de vida daqui e do Brasil. Não quero explicitar se aqui ou lá é melhor ou pior, acho que cada país tem suas qualidades e defeitos e quando a gente decide morar em algum lugar (quando existe esta opção) acredito que a gente deve levar em consideração o que a gente acredita ser o mais imprescindível, aquilo do que você não abre mão de ter, pra  decidir por tal ou tal lugar, os pontos positivos tem que ser maiores que os negativos. Por isso hoje fiquei pensando sobre essas coisas e, com uma paz que há tempos não tinha quando pensava sobre esse assunto, posso dizer que preferia muito continuar morando aqui na Alemanha! Sério, gosto do Brasil, acredito nas suas qualidades, não quero fazer como muitas pessoas que xingam e dizem que é tudo uma m... não que às vezes realmente não seja, mas acho que criticar negativamente não ajuda em nada se a gente também não fizer nada pra mudar... Claro que como brasileiro a gente se dá o direito de reclamar bastante das coisas ruins que acontecem no país (que não são poucas), mas ai se alguém outro fala mal né... sei lá, acho que é assim com tudo, só a gente pode falar mal,, os outros não... mas enfim, o meu ponto hoje é que eu realmente queria muito morar aqui pra sempre, ou pelo menos poder criar meus filhos aqui, é o ponto que mais me faz querer ficar aqui na verdade. Não to dizendo que as coisas aqui são perfeitas, mas com certeza, coisas que eu valorizo, são muito melhores aqui do que no Brasil. Penso na segurança, em como aqui eu não teria medo nenhum de mandar meus filhos a pé pra escola, ou mesmo de transporte público sozinhos e não me preocuparia se seriam atropelados ou mesmo sequestrados, não tô dizendo que não acontece, mas a incidência é significativamente menor. Aqui eu não me preocuparia em ter que colocar meus filhos em quinhentas mil atividades extras, em especial artísticas, porque aqui eles aprendem sobre as artes na escola, tem aula de música, por exemplo No Brasil vc tem que pagar fortunas pra que seu filho aprenda algum instrumento, ou mesmo tenho noções básicas sobre música, isso aqui eles aprendem na escola... nunca ouvi um alemão cantar desafinado na igreja, sério, porque será?!! Talvez porque eles tenham uma noção básica na escola, não sei, posso estar enganada. Aqui as pessoas são mais simpáticas na lojas, sim isso mesmo!! Eu acho os atendentes aqui, em sua maioria, bem mais simpáticos que os brasileiros. Imagino a cara feia da maioria de vocês assim que leram isso, mas é como eu sinto... eu acho o pessoal aqui bem mais simpático, claro que tem os mal humorados que daí são realmente rabugentos, mas a maioria sempre te atende com um sorriso e aquela alemão cantado que eu acho o máximo!! O jeito que eles falam o "tschüss" (tchau) cantadinho, muito legal!!!  Também tem a qualidade de vida, você não morre de frio no inverno, a comida (no mercado) é bem mais barata, aqui tem natal com neve, nas festas de crianca, só poucos amiguinhos sao convidados e sem os pais, as festas todas tem hora pra começar e terminar, ninguém se sente ofendido porque nao foi convidado, as pessoas são realmente pontuais, quando voc'e vai na casa das outras pessoas vc sempre leva algum presentinho, tem queijos de todos os tipos e cores e sabores, tem linguiças e salsichas também de todos os tipos e sabores e cores, o tranposte público funciona (apesar de faltar ar condicionado no verão), dá pra viajar de trem, as ruas são limpas e arborizadas, tem parque em todos os cantos das cidades, dá pra andar de bicicleta sem ser medo de ser atropelado, dá pra ser pedestre sem ter medo de ser atropelado, as pessoas acreditam no que você diz sem que você tenha que provar, dá pra chegar nos lugares sem precisar ter um carro, quando você faz menção de atravessar a rua todos os carros param pra  que você possa atravessar, tem história por todo canto que você olha, tem museus pra todos os gostos e bolsos, tem atividades pra crianças nos museus, tem roupas bonitas de inverno, ladrão aqui vai pra cadeia (não só os de galinha), aqui não precisa ter medo da polícia porque eles raríssimamente usam as armas, se seu vizinho está fazendo barulho às 2h da manhã pode chamar a polícia que ela vem e mandam a galera ficar quietinha e eles realmente ficam, livros são absurdamente baratos, tem sapatilhas baixas e sapatos e sandálias sem salto, tem promoção de verdade,  tem "Erlebniszentrum" pras crianças poderem pôr literalmente a mão na massa e desobrir como se faz um jarro de barro, por exemplo, tem brinquedos educativos, tem programa de tv inteligente (sobre coisas úteis, não só big brother e novela, claro que tem isso aqui tb, mas dai é só escolher outro canal)... enfim, e a lista continua... Mas deu pra entender meu ponto do vista né... e vcs não precisam concordar, e podem querer continuar morando no Brasil, mas só espero que respeitem meu ponto de vista e a minha vontade... queria  mesmo que meus filhos pudessem crescer aqui e ter mais oportunidades que no Brasil, especialmente com relação à educação e ao desenvolvimente intelectual, valorização de culturas, que eles pudessem visitar museus e aprender sobre as coisas vivenciando elas também, não só ouvir falar delas na cadeira da escolinha (se é que vão ouvir). Tenho consciência de que a gente ficaria um pouco mais longe da família, mas acho que isso também seria vantagem, eu mesma cresci longe do resto da parentada, só tinha meus pais e irmãos o tempo todo perto e por isso as viagens eram tão mais legais, porque ficava naquela expectativa; e não tinha gente o tempo todo lá em casa pra dar palpite em tudo que meus pais decidiam sobre mim ou meus irmão, e eu acho isso bastante importante, que os pais é que decidam sobre a educação dada a seus filhos e ninguém mais além deles.

E pra complementar o que eu disse aí em cima, vale muito a pena dar uma olhadinha aqui

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Último dia em Berlin

   No último dia em Berlin ainda aproveitamos e conhecemos mais algumas coisinhas... Fizemos o check-out logo depois do café da manhã, mas pudemos deixar ainda as malas no hotel, numa espécie de guarda volumes deles mesmo. Achei isso bem inteligente, porque deve ter muita gente que ainda quer aproveitar o último dia, e pegar um trem ou avião mais pro fim do dia, mas sempre tem a preocupaão com o check-out,e o que fazer com as malas... a gente ia deixar num desse armários de guarda-volumes na estação de trem, mas pra isso teríamos que pagar e ali era cortesia mesmo, além de não precisarmos carregar as malas de um lado pra outro, sendo que nosso trem saiu mesmo da Ostbahnhof... resumindo: mão na roda!
   A gente queria muito ter visitado as redondezas do hotel no sábado, mas vocês lembram que eu escrevi que tinha chovido bastante no sábado né... por isso a gente fez o passeio na segunda de manhã. Tinha uma igreja que nos pareceu interessante desde o primeiro dia que chegamos, porque dava pra ver ela da rua do hotel, fomos então caminhando até lá, pra vê-la. Não deu pra entrar, mas de fora ela era realmente bonita... passeamos por ali um pouquinho e depois voltamos e fomos procurar a tal da East Side Gallery, que é uma parte do muro que ficou em pé e que agora é todo pintado. O muro é todo pintado no seu lado leste, o que é uma ironia porque era bem esse o lado que não podia der pintado enquanto durou a DDR, mas após a queda do muro e da reunificação, foram convidados 118 artistas de 21 países para pintar os 1363 metros de muro que restaram ali. Acredito que algumas das pinturas são conhecidas por vocês, a gente volta e meia vê em documentários ou mesmo quando se procura sobre turismo em Berlin (vejam mais fotos no link acima). Por ser um ponto turístico estava até relativamente vazio, mas também era cedo, mas pelo menos deu pra tirar fotos sem muita gente na frente.
rio Spree, no fundos no hotel

igreja St. Thomas

igreja St. Thomas

tem esses "canos" por toda cidade, mas não descobrimos o que é

plaquinha da Eats Side Gallery

East Side Gallery

East Side Gallery - quem não conhece essa??

East Side Gallery

East Side Gallery

East Side Gallery

East Side Gallery

East Side Gallery - essa também é super famosa

East Side Gallery
   Dali fomos mais uma vez pro centro pra ir na loja da Ritter Sport, que é o chocolate que eu mais gosto, ou pelo menos que eu conheço desde criança porque a parentada da Alemanha sempre levava desse pra gente!! E claro que sabendo que em Berlin tinha uma loja deles eu não podia perder né... O nome da loja é Bunte Schokowelt Berlin e além de loja é também um mini museu e lanchonete/restaurante, onde você mesmo pode fazer seu chocolate!! Eu amei o lugar!! Os sabores eram os mesmos que a gente encontra no mercado, só um dos tabletes grande é que tinha um sabor que a gente ainda não conhecia, obviamente compramos pra experimentar. Lá descobrimos também o porque da barra ser quadrada e não retangular como as outras: diz que uma mulhar chamada Clara Ritter, teve a idéia observando que as pessoas gostavam de levar chocolate para assisitir atividades esportivas, mas que seria mais prático se existisse um que coubesse exatamente nos bolsos, daí surgiu a idéia do tablete quadrado, e do slogan: "quadratich. praktisch. gut" (quadrado. prático.bom).
Bunte Schokowelt Berlin
fonte: http://www.ritter-sport.de/#/de_DE/berlin/

Bunte Schokowelt Berlin

Bunte Schokowelt Berlin

Bunte Schokowelt Berlin
E foi isso, ainda passamos numa lojinha pra procurar uma lembrancinha prum amigo do Lukas, passamos na Hauptbahnhof pra verificar o horário do trem e comprar as passagens, almoçamos por lá mesmo, voltamos ao hotel pra buscar as malas e esperamos o trem chegar. A viagem de volta foi tranquila, fizemos um trajeto diferente do da ida, trocando de trem mais vezes, mas foi legal, apesar do frio e chuva em uma das trocas... chegamos em casa lá pela 6h da tarde e praticamente capotamos...

sábado, 3 de setembro de 2011

Berlin/ Potsdam - dia III (28 de agosto)

   Mais um dia para relatar...ufa, e ainda não é o último, quem mandou começar né... agora tem que ir até o fim!
Já comentei com vocês sobre o ticket que a gente comprou, que incluia Potsdam, não é verdade?! Então, esse domingo foi o dia da gente usar os 3 euros a mais que custava o ticket que incluía Potsdam e fomos até lá conhecer. Saímos relativamente cedo do hotel e encaramos a viagem até lá, que deve ter durado algo como 1 hora, incluindo a troca de trem. Chegando lá o frio na barriga foi na hora de pegar o ônibus até o centro, vai que a gente erra né, mas nessas horas a dica é seguir o fluxo e entrar no busão cheio de turistas. Não tínhamos muita certeza do ponto onde deveríamos descer, por isso é a vantagem dos ônibus aqui que dizem o nome das estações, acabamos decidindo em cima da hora descer mais no centro da cidade pra procurar um posto de informações turísticas. 
Rathaus

umas estátuas no meio da rua

um portão
   Demos uma caminhada básica por ali e seguimos até o Schloss Sanssouci, , antigo palácio de verão do Frederico o Grande, rei da Prússia, super conhecido também. Estava muito cheio de gente por lá, acho que todo mundo aproveitou o domingo de sol. Essa palácio fica dentro de um parque parque bem grande que era o jardim das humildes pessoas que moravam ali. Pelo que me diz o wikipédia em alemão, o parque cobre cerca de 290 hectares e tem cerca de 70km de estradas/caminhos. Deu pra ter uma idéia né!! Nós obviamente passamos boa parte do dia perambulando ali pelo parque tentando ver a maior quantidade de construções possível, e tem muitas, listadas encontrei 15, mas como disse no post anterior, esse dados estão sendo pesquisados com rapidez, se der tempo e vontade, outra hora escrevo com mais calma sobre esse lugares e construções. Vou deixar vocês com as fotos e legendas.
Schloss Sanssouci
Schloss Sanssouci
Alte Mühle
Orangerie
eu
essa é só pra mostrar como aqui os panfletos inofrmativos ficam
seguros dentro de uma caixinha, não molha, não voa e todo mundo
pode pegar sem ter que ficar um PIT aberto o tempo todo -
quero muito levar essa idéia pro Brasil hehheh
Drachenhaus
Belvedere
Neues Palais

Neues Palais
Neues Palais
árvore grandona
Schloss Charlottenhof
Schloss Charlottenhof
uvas no quintal do Schloss Charlottenhof
Römische Bäder -  banho romano
Chinesisches Teehaus
Friedenskirche
   Depois de muito caminhar, muito mesmo, comemos um cachorro quente típico alemão, sim tinha chucrute, ainda fomos até outro parque na cidade porque o Lukas queria visitar o Schloss Cecilienhof que foi onde aconteceu a Conferência de Potsdam no final da segunda guerra, onde foi decidido o futuro da Alemanha a partir de então. Claro que antes ele foi residência do filho do imperador e da esposa daquele, Cecilie, daí o nome. 
Marmorpalais
Marmorpalais

Schloss Cecilienhof
Schloss Cecilienhof
Schloss Cecilienhof
Schloss Cecilienhof
Schloss Cecilienhof
Schloss Cecilienhof
Schloss Cecilienhof - atualmente funciona um hotel de luxo
não preciso nem dizer que custa o olha da cara né
   Depois disso tudo eu não me aguentava mais em pé, de verdade, foi bem boa a hora de viagem de volta, sentadinha, o problema foi conseguir levantar de tanta dor que estava sentindo nas pernas... Descansamos um pouco no hotel, mas tivemos que sair pra procurar alguma coisa prá jantar... acabamos comendo no mcdonalds da Ostbahnhof mesmo, sem chance de conseguir ir muito mais longe...

ah, e vendo tv nessa mesma noite a gente descobriu que no sábado tinha tido o casamento do que seria o príncipe se a Alemanha ainda fosse uma monarquia, no complexo do Sanssouci... coisa pouca né.. a gente até viu o pessoal desmontando um monte de coisas lá quando a gente tava passeando, mas o mais dovertido foi ver isso na tv de noite... doido né?!!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Berlin - dia II (27 agosto)

   No segundo dia em Berlin resolvemos visitar coisas um pouco mais longe, como por exemplo o Schloss Charlottenburg (http://de.wikipedia.org/wiki/Schloss_Charlottenburg, até a parte em português está compridinha), antigo palácio real da Prússia. Este dia já estava bem mais agradável, no começo do passeio inclusive começou a chover um pouco, mas não por muito tempo, claro que o dia continuou nublado e mais fresco, mas não precisamos nos refugiar em nenhum museu por causa do tempo (pena?!). Passeamos pelos jardins do palácio, gigantesco por sinal, e muito, muito bonito, num dia de sol deve ser fabuloso! Andamos por lá acredito que cerca de1h-1:30h.
Schloss Charlottenburg

Schloss Charlottenburg

Schloss Charlottenburg

Schloss Charlottenburg

Schloss Charlottenburg - Belvedere

Schloss Charlottenburg

no caminho pra estação de trem encontramos
essa bomba de água que ainda funciona!!!!!

esperando a U-Bahn
   Nossa próxima parada foi a Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche (http://de.wikipedia.org/wiki/Kaiser-Wilhelm-Ged%C3%A4chtniskirche), que deveria ter esta cara: 
Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche
fonte: wikipédia.de
Mas, infelizmente ela está em "reforma" (ou sei lá como que poderia chamar isso já que ela é uma ruína) e por isso estava toda coberta... entramos no espaço que ainda sobrou, mas tava lotado de gente lá dentro, que nem tirei fotos... também porque fiquei muito decepcionada... depois do muro acho que essa construção era a que eu mais queria ver, não sei bem porque, talvez porque minha professora de alemão falou dela na aula... Mas enfim, seguimos em frente e passamos também na KaDeWe (Kaufhaus des Westens - http://de.wikipedia.org/wiki/Kaufhaus_des_Westens) que é tipo um shopping (to virando alemã, já ia colocar um "c" ali no "schopping"... hahhahahh) onde tem todas as lojas das marcas mais chiques que você puder imaginar: Mon Blanc, Dior, Prada e assim por diante (quem se interessar o site deles aqui: http://www.kadewe.de/). Eu como não ligo nada pra essas coisas dei só aquela passadinha básica pra saber como é que era, afinal também é ponto turístico, mas eu me senti no Paraguay, só tinha mais perua, mas de resto, igual! A essa hora já tava quase com fome de novo, devia ser lá por 1h da tarde, encontramos um restaurante de burritos que chamou a atenção, chamava "dolores" (http://www.dolores-online.de/1000.html). O meu nem tava tão apimentado, pedi só com 1 foguinho, mas o Lukas pediu com 3... sei que saí de lá com bem mais calor do que antes... hehheh... mas foi interessante, eu nunca tinha comido um,eu sempre prefiro os tacos. Ficamos na dúvida de voltar ou não ao hotel, mas já estávamos por ali resolvemos irainda ver  a Siegelssäule, também famosa (http://de.wikipedia.org/wiki/Berliner_Siegess%C3%A4ule). No caminho encontramos o Thomas, que eu já tinha visto de manhã do trem, claro que paramos e tiramos foto... hhahahhahah... 
almoço na dolores

almoço na dolores
O Thomas estava em Berlin!!
   Andamos no entorno do parque que tem ali, até chegar ao nosso destino, tiramos as tradicionais fotos e ainda resolvemos explorar outros caminhos, mas teve uma hora que não deu mais, as pernas já nã obedeciam nenhum comando, fomos então descansar um pouco no hotel, tirar cochilo e essas coisas, afinal, já estávamos há pelo menos 5 horas caminhando. Foi a melhor coisa que a gente fez, porque dali a pouco começou a chover...e bem bastantinho até... a nossa exploração do bairro em que se encontrava o hotel foi adiada... enrolamos mais um pouco no hotel, mas daí lembramos que naquele sábado deveria ser a noite em que os museus estariam abertos até às 2h da manhã, e já que estava chovendo era uma ótima opção!!

Siegelssäule

Siegelssäule

Siegelssäule

nosso hotel
 Fomos então até a Museumsinsel onde fica o Pergamonmusem (http://de.wikipedia.org/wiki/Pergamonmuseum) que a gente queria muito visitar, em especial meu marido historiador, é claro! Mas infelizmente ele não estava participando do evento, na verdade, só um dos museus ali da ilha estava... e obviamente estava lotado... não nos arriscamos, e decepcionados fomos caminhar então por ali, já que a água que caía do céu no momento não poderia ser chamada de chuva. Passamos pela Friedrichwerder Kirche, tirei mais fotos com ursos, seguimos pela Französische Str. até o Gendarmenmarkt (http://de.wikipedia.org/wiki/Gendarmenmarkt), onde tem o Deutscher Dom e o Französischer Dom, e o Berliner Schauspielhaus, coisas que ainda não tínhamos visto.
Museumsinsel

Neues Museum(esquerda), Pergamonmuseum (lá atrás no meio)
e Alte Nationalgalerie (direita, aqui na frente)

Dom com chuva

ursos

Gendarmenmarkt com o Französische Dom aqui na frente e
o de trás é o Deutscher Dom

Deutscher Dom e Berliner Schauspielhaus

Placa da Gendarmenmarkt e Französicher Dom
   Seguimos mais uma vez pela Französische Str. até chegarmos ao memorial aos judeus, também super conhecido.



   Passamos mais uma vez pelo Brandenburger Tor, e dessa vez deu pra tirar foto sem muita gente, em compensação, foto no escuro com flash fica meio ruim se vc quiser colocar uma pessoa... mas a foto só do portão ficou boa... 



   Ali decidimos aproveitar e ir num restaurante (esse aqui ó: http://www.altberliner-wirtshaus.de/), pra comemorar nosso aniversário de casamento, que segundo o Lukas tinha que ser no sábado mesmo levando em conta o calendário lunar, só no solar é que o dia seria domingo... enfim, fomos e comemos muuuuito, muuuuito mesmo, eu acho que não dei conta nem da metade, mas tava bom, e tomamos a famosa Berliner Weisse (http://de.wikipedia.org/wiki/Berliner_Wei%C3%9Fe), que é um cerveja misturada com alguma coisa doce, eu tomei a vermelha eo Lukas a verde... pra quem nao gosta de cerveja como eu é ótimo porque a gente quase não sente o gosto amargo... 




E assim terminou nosso sábado em Berlin...