For my international friends

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Bem vindos!

Blog novo pra acompanhar uma nova jornada. Não sei como serão as coisas daqui por diante, vou escrever sempre que puder, espero que possa manter uma boa rotina de postagens. Vamos descobrir juntos o que a vida nos reserva do lado de cá do oceano. Se Deus quiser será provisório, 4 anos aqui e depois disso pretendemos voltar à Alemanha.

Sejam muito bem vindos e a vida segue...

quinta-feira, 17 de abril de 2014

dia de adeus

Não estou mais conseguindo conciliar as coisas, até tenho vontade de vir mais aqui, mas sei que não vai dar mais muito tempo. Não consigo dar a atencao necessária ao pequeno que parece estar sentindo que algo não está como deveria, não tenho mais a menor paciência de cozinhar, ando recorrendo à comidas prontas, que eu detesto, mas que é o único jeito com a zona que está a vida e a cozinha nos últimos dias. Tá tudo meio encaixotado, meio largado por tudo, não conseguimos nos livrar das coisas que temos, nem de graça o pessoal está querendo, ainda tem que pintar o apartamento, e não compramos nem as tintas ainda... tá difícil aqui... Tenho chorado horrores e não sei o que vai ser daqui pra frente. Essa incerteza toda está me mantando,  estar saindo daqui pra ir pra lugar nenhum piora ainda mais as coisas, ficar morando de favor na casa dos outros, fazendo ponte aérea entre as casas dos pais não é nada animador, é inclusive desesperador...

Enfim... Está chegando o dia de deixar a Alemanha. Dia muito triste pra mim, apesar de rever família e amigos, vai ser duro deixar isso aqui, essa vida que criamos com tanto carinho e que nos trouxe tantas coisas boas. vamos na esperança de um dia voltar, e em definitivo, se Deus assim quiser.

Assim se encerra um ciclo, e com esse ciclo também se encerra esse blog, não acho que faça sentido continuá-lo. Fiz deliciosas amizades por aqui, então penso seriamente em abrir outro blog pra gente continuar se lendo, ainda não sei... Não sei como vão ser as coisas daqui pra frente.

Agradeço a companhia do todos até aqui e peço que quem quiser saber notícias, deixe seu e-mail nos comentários (eles não serão publicados tá, não se preocupem!!), que caso eu abra outro blog deixo um aviso pra quem tiver interesse de continuar lendo minhas baboseiras.

Beijos e, quem sabe, até logo...

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem com você!

Esse é definitivamente o lema da minha vida, e sei que para muitos é difícil aceitar isso. Mas eu penso assim: odeio me intrometer na vida alheia, não acho que eu saiba viver melhor do que ninguém, não acho que as minhas escolhas são as melhores ou as mais certas, estou fazendo o meu melhor do jeito que eu acho certo. E uma coisa que não acho nada certa é tentar dizer aos outros como eles deveriam levar a vida. E por pensar assim, espero que as pessoas me deixem ter a minha liberdade de escolher viver do jeito que vivo. Infelizmente esse meu jeito de pensar me faz ser taxada de muito reservada, dizem que não gosto de interagir com as pessoas, que sou muito quieta e tal e coisa... Na minha cabeça a única coisa que estou fazendo é não dar palpite onde não fui chamada sabe, assim como eu gostaria que não dessem palpites na minha vida a não ser que eu pedisse. Mas não... é exatamente o contrário que acontece... 

quinta-feira, 10 de abril de 2014

respondendo as 11 perguntas feitas pela Marcela

1) O que mais te agrada em você?
Normalmente me agrada meu jeito de vestir e de decorar minha casa. Adoooro ser diferente. Nem sempre estou inspirada pra me vestir do jeito que gosto, também porque é difícil encontrar por aí roupas que reflitam meu estilo, que não segue um padrão, mas definitivamente gosto de algumas combinações que eu faço.

2) Qual filme você assiste quando está triste e quer se animar?
Não sei se tenho um filme com esse fim. Na realidade quando estou triste costumo é colocar músicas melancólicas e ver filmes do mesmo tipo também... Meio estranho, eu sei... Mas acho que um seriado que gosto de ver sempre, inclusive quando me sinto meio deprê, é com certeza Gilmore Girls, adoooooro!

3) Se você tivesse que vestir somente uma roupa pelo resto da vida, qual seria?
Vestidos, com certeza, e de preferência bem rodados, longos e coloridos!

4) O que te inspira?
Vix, difícil... Inspiração sempre me faz pensar em artesanato, aí poderia dizer que a natureza me inspira, detalhes me inspiram, outras imagens me inspiram... Mas na vida?! Nunca parei direito pra pensar sobre isso... Mas acho que ver nos meus amigos/outras pessoas a paixão que elas tem na vida, o jeito apaixonado de viver de algumas pessoas me inspira, é, acho que é isso!

5) Qual era seu desenho animado favorito quando criança?
Nossa, não lembro de um específico, assistia bastante. Posso mencionar Cavalo de Fogo, Nossa Turma, He-man e Smurfs

6) O que te faz apaixonar por alguém?
Inteligência,

7) Você faz o que você quer ou o que as pessoas querem de você?
Definitivamente faço o que eu quero. Por mais que me sinta culpada por não fazer o que os outros querem, mas cansei já de ficar querendo agradar os outros, está na hora de agradar a mim mesma e o resto que vá pastar!

8) Qual a memória mais feliz da sua vida até o momento?
Ahh são tantas... Não tenho como escolher uma só. Mas os natais em família quando éramos crianças são boas memórias, assim como as brincadeiras ao ar livre subindo em árvores, fazer cabanas com lençóis, os anos fazendo teatro na igreja, as viagens feitas aqui na Alemanha... enfim... se parar pra pensar tem tanta coisa...

9) O que você acha que acontece quando as pessoas morrem?
Eu acho que elas vão se encontrar com Deus!

10) Você gosta da cidade onde você mora? Por quê?
Ahhh perguntinha que vai me fazer chorar agora... Adorei morar em Hamburg. Apesar de ser cidade grande, que eu normalmente detesto, aqui não parece, tinha o campo a poucos minutos de distancia o que me faz adorar ainda mais a cidade. Não tem nem comparação com Curitiba, que tem o mesmo tamanho e onde morei por quase 10 anos. Agora só Deus sabe pra onde vamos, e espero encontrar um dia uma cidadezinha simpática pra morar.

11) Se você pudesse viver em qualquer outra época/década/ano por uma semana, qual você escolheria e por quê?
Posso escolher duas?!! Porque eu adoraria viver nos anos 50, mas pelas roupas que a galera usava e tal, aquelas saias  e vestidos, a decoração das casas, adoooro. E também tinha muita curiosidade de ver como era a Idade Media, na parte mais "nobre" mas ainda assim, morro de curiosidade, também adoro aqueles vestidões!!


Acho que é isso por hoje! Marcela obrigada pelas perguntas!! Adorei participar!

PS.: Devido à correria da mudança muito provavelmente não estarei respondendo os comentários. Mas não se acanhem em deixá-los, com certeza alegram meus dias atarefados!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Cabine para quem viaja com criança pequena

Voltando da nossa última viagem, tivemos a feliz surpresa de termos reservado, meio sem querer uma cabine especial para quem viaja com crianças que existem nos trens (não todos, mas em especial ICE's e IC's). Nós frequentemente reservamos acentos nas viagens, principalmente em trechos e dias que sabemos que os trens tem a tendência de estarem mais lotados, ainda mais agora com uma criança, é sempre bom garantir. Porém, até aquele dia não sabia da existência dessa cabine especial. Ela pode ser usado por pais com crianças de até 3 anos de idade. Tem mais espaço, ao lado da cabine tem espaço pra carrinho de bebê (pros que usam), tem acentos a menos pra que a criança possa brincar durante a viagem e também ajuda a ser mais silencioso se os pequenos resolverem dormir e também evita olhares desagradáveis quando eles resolver abrir o berreiro (pode acontecer né? Mas nem todo mundo é compreensivo). Enfim, foi uma feliz descoberta, e deixo aqui a dica para papais viajantes, quando viajarem com seus pequenos em ICE's ou IC's, reservem seus lugares, e sempre que possível será ofertado um "Kleinkindabteil" que é tudo de bom!!
O Leopold aprovou
PS.: Devido à correria da mudança muito provavelmente não estarei respondendo os comentários. Mas não se acanhem em deixá-los, com certeza alegram meus dias atarefados!

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Fim do inverno que nunca veio

Pois é gente, esse ano, nada de inverno por aqui. Pra não dizer que não teve, tivemos 1 semana de temperaturas abaixo do 0°C, mas foi só. Achei que o Leopold ia conhecer neve de verdade, que ia deixar ele botar a mão naquela coisa gelada, mas que nada, nosso último inverno por aqui foi mais parecido com inverno brasileiro mesmo, triste (pra nós), mas enfim... coisas dessa vida... Pelo menos estamos aproveitando pra curtir a virada da estação, que essa eu achei que não veria mais. Com os dias super amenos que andam fazendo por aqui está sendo bem bom curtir esse início de primavera, que já começou bem antes do marcado no calendário. E obviamente aproveitamos os dias de temperaturas perto dos 20°C pra sair, caminhar, respirar um ar puro e curtir o sol...
início do mês em Ahrensburg
no dia seguinte em Ratzeburg
Dom em Ratzeburg
primeiras florzinhas de primavera
pássaro
Ratzeburg com o Dom ao longe
primavera no Planten un Blomen em Hamburg
mais uma
mais uma
e mais uma
vista da nossa janela da sala
curtindo o sol e a terra
passeio ao sol no dia de 20°C
e mais uma vez
PS.: Devido à correria da mudança muito provavelmente não estarei respondendo os comentários. Mas não se acanhem em deixá-los, com certeza alegram meus dias atarefados!

de saco cheio

A menos de 1 mês pra nossa volta ao Brasil estou de saco cheio só de pensar... Muitas caixas empacotadas, a casa parecendo uma zona de guerra, mas o que mais me anda tirando do sério são os comentários que preciso ouvir/ler, na real, já desde que nos mudamos pra cá. De como vai ser bom a gente voltar, de como o Brasil não é tão ruim assim, de que a gente é muito ingrato ficando triste por ter que voltar... Porque é tão difícil se colocar no lugar da gente e entender o que estamos passando? Porque é tão difícil um pouco de empatia por parte dos familiares?? Tá, vai ser bom rever todo mundo, claro, nunca disse que não. Mas já não aguento mais me cobrarem a estar feliz por isso. Fico louca só de pensar em ter que passar sabe Deus quanto tempo na casa dos outros, e por mais que a parada mais fixa seja na casa dos meus pais, ainda assim, não é mais a minha casa, sabe, não é mais a casa da minha família, do Lukas, Leopold e eu... E daí ainda tem essa mania de querer dizer como é que eu devo cuidar do meu filho, porque ele não pode comer do jeito que ele come, porque ele não pode ainda estar dormindo no nosso quarto, porque eu não posso deixar ele fazer isso ou aquilo, e as coisas que eu não quero que ela faca, tipo comer doces, ahhh daí ele é tadinho e eu que preciso relaxar e não ser tao rígida... Será que dá pra me dar um pouco de crédito?! To de saco cheio de me tratarem como criança e acharem que eu não sei cuidar do meu filho, e acharem defeito ou terem opinião pra tudo que a gente faz, e nunca, eu disse NUNCA veio elogio algum pra como a gente decidiu criar nosso pequeno, e isso é um saco sabe... Eles acham que estou criando o filho pra eles, pra ficarem exibindo por aí o "netinho", mas e eu? E o meu trabalho?! E as noites que EU nao durmo? E o parto que EU tive que passar? Ninguém tá nem aí... Recebi pouquíssimos parabéns quando ele nasceu (exceto amigas bem proximas e vocês queridas leitoras do blog), já os avós ganharam ovacoes (como se eles tivessem feito alguma coisa),e ainda se acham no "direito" (sim, dizem que tem direito) de saber de tudo... A única pessoa que me deu um presente quando ele nasceu foi minha mãe... pro resto eu sou só a vaca parideira mesmo, que não faz o serviço de criar o menino do jeito que eles querem... Por essas e outras coisa fiz questão que meu filho tivesse também o meu sobrenome, porque acho uma falta de respeito que a mulher passa por tudo isso e ainda quem leva a fama, que dá o nome é a família do pai, acho o FIM!

Enfim, muitos pensamentos desconectados, TPM fazendo estrago na minha mente mais uma vez... Será que nunca vou me livrar disso?!!