For my international friends

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Sábado é dia de passear

Sábado é o dia da semana que, se não está chovendo, ou com cara de, fazemos a maioria das nossas andanças por ai... o Lukas não precisa trabalhar, a gente não se sente tão vagal de não fazer nada útil e também não é domingo, que normalmente já tem aquela cara mais deprimente por anteceder a segunda-feira.

No sábado do dia 15/10, era pra gente ter ido pra Lüneburg, mas como as cólicas me atrapalharam a vida decidimos ficar em casa e se me sentisse um pouco melhor faríamos um passeio mais perto, com a possibilidade de voltar a qualquer instante se a dor me perturbasse demais. Assim então saímos à tarde e fomos passear no Stadtpark de Hamburg! Esse é aquele parque municipal da cidade de HaMburg, o maior, que escrevi um pouco aqui, não o HaRburg, que fica aqui perto, no bairro que a gente mora. Enfim, é uma viagenzinha de S-bahn (trem metropolitano) ate lá, mas é bem tranqüilo de chegar. A gente só conhecia ele branquinho, mas dessa vez deu pra explorar um pouquinho mais. Deu pra descobrir que tem um lago, e que amantes de barquinhos de controle remoto se divertem ali. O lago na realidade é ligado a um dos inúmeros canais da cidade e inclusive faz parte de um dos passeios de barco oferecidos pros turistas (daquele mesmo que tipo que fizemos com o papi e a mami). Claro que o parque tem muitos espaços vazios. cobertos com gramado pro pessoa se divertir, jogando alguma coisa, fazendo piquenique, ou mesmo só se torrando ao sol. Mas é aquele mesmo esquema de parque de sempre aqui na Alemanha: trilhas no meio de árvores, diversos caminhos a escolher, com muitos cantinhos bonitinhos pra descobrir, chão de pedrinhas e não de asfalto e alguns cafés espalhados... O Stadtpark fica numa região mais nobre da cidade e antigamente existiam ali diversas construções que supriam as necessidades sociais da população da região,como por exemplo um salão de baile, um café chiquetoso, mas obviamente a guerra destruiu quase tudo... hoje em dia tá bem diferente do que era, mas ainda tem umas placas que explicam coisas, é bem interessante, bom eu adoro descobrir e tentar imaginar como eram as coisas antes...
Stadtpark
o lago
o barco de turistas
os caminhos de pedrinha
Lukas e o lago
outono
eu
um dos cantinhos
outro cantinho
e maisum cantinho
No sábado seguinte então conseguimos ir pra Lüneburg pra eu conhecer a cidade sem neve, segundo o Lukas. A previsão do tempo estava favorável então aproveitamos, porque aqui nunca se sabe quando o sol vai decidir tirar férias, ou a chuva vir fazer daquelas visitas de parente que se anuncia pra 2 dias e fica o mês inteiro (hahahhah... ainda bem que não tenho desses... espero...). A vantagem é que o Lukas não precisa comprar passagem pra ir até lá e pra mim e só necessário comprar um "ticket adicional” já que eu tenho um ticket mensal, mas que não engloba tooooda região. Sobre a cidade já escrevi bem detalhadamente aqui, quando o Thiago e a Letícia nos visitaram em janeiro desse ano. Essa é aquela cidade bem antiga, que tem quase todas as construções bem tortas ou com barriga, devido à exploração de sal na região. Como já conhecíamos as igrejas (sempre uma boa opção de visita no inverno SE elas tiverem aquecimento, o que nem sempre acontece), dessa vez fizemos mais passeios externos, também porque a temperatura estava bem mais amena que na última visita. Passeamos um pouco pelo centro, passamos no centro de informações turísticas pra dessa vez pegar um mapa, compramos nosso imã de geladeira básico de todas as viagens e seguimos em direção à igreja St. Michaelis, aquela que o Bach cantou, e que é uma das igrejas que fica bem na região do afundamento da cidade (sim, é afundamento mesmo, leia o outro post de Lüneburg que você descobre do que eu estou falando). Ali bem ao lado tem o Kalkberg, uma montainha de onde dá pra ter uma bonita vista da cidade. É muito doido, porque do nada tem um morro no meio da cidade.
A gente também andou ao lado do antigo muro da cidade, passamos no antigo porto, onde tiramos nosso sanduichinho do bolso pra fazer uma pausa pro almoço, e no fim decidimos procurar o Kloster Lüne, um mosteiro que deveria estar relativamente perto de onde estávamos. O mapinha não tinha assim todas as ruas sabe, daí foi um pouco complicado de chegar lá, mas conseguimos... ainda é um mosteiro de mulheres que pode ser visitado no período de não-inverno, onde se encontra também um museu de tecelagem. A gente só andou por fora, porque ainda estava fechado, mas achei tudo bem bonitinho por lá.
Lüneburg
Lüneburg
Lüneburg
casinha torta
ruína
subindo o Kalkberg
alguém acha o esquilo???
a vista
a vista
St. Michaelis
será que tá torta??
antigo porto
Alter Kran
caminho
horta do mosteiro
Kloster Lüne
Kloster Lüne
o centro de novo

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Delícia!!

Quem já conhece, ou já ouviu falar, sabe que por aqui existem inúmeros tipos de iogurtes, dos mais diversos sabores, e que estes são MARAVILHOSOS. Não tem nem comparação com os que a gente come no Brasil... sei lá, eles são mais cremosos, mais... hmmm, não sei explicar... é muito bom!!E tem sabores bem mais variados, a gente come normalmente um de semente de papoula (Mohn - pra quem conhece o bolo, pode imaginar a gosotosura) e também o de Zupfkuchen, que também tem o mesmo gosto do bolo, e daí segue pro de macadâmia, e o de framboesa que sao igualmente deliciosos... E daí, ainda por cima, em épocas festivas, como por exemplo no natal e na páscoa eles ainda inventam uns sabores diferentes só pra aumentar a tentação... a gente obviamente faz a festa né.

esse é um dos tradicionais, de macadâmia, umdos que a gente mais gosta
e esse é a edição especial, já pensando no natal

servidos??

domingo, 23 de outubro de 2011

Outono

(escrito dia 18/10 e revisado hoje)

Estava eu aqui, fuçando coisas na net, andando de blog em blog, pesquisando roteiros para as próximas viagens e acabei lendo sobre uma coisa que eu já tinha pensado em escrever aqui, porque é uma coisa que me fascina: ver os pássaros imigrando O outono!! Sim, o outono tem lindas cores, o frio vem se anunciando, mas o sol ainda esquenta o suficiente pra ficar morgando gostoso sob ele... adoro sair nessa época do ano pra tirar fotos, alguns de voces já puderam conferir nos posts anteriores e também podem buscar pelas fotos compartilhadas no ano passado... É hora de tirar os casacos grossos do armário, fazer comprinhas pra renovar o estoque de acessórios quentinhos (fim de semana passado começamos comprando meias-calças e pantufas pra mim... depois ainda tem as ceroulas, e luvas porque as minhas estão pavorosas...) E volta e meia quando voce olha pro céu, mesmo que da janela de casa, dá pra ver os pássaros em fila, migrando pro sul... acho tão bonito, e tão emocionante, nos dias de tpm dá até vontade de chorar, de tão perfeitinho que o mundo funciona, de como Deus fez as coisas assim tão certinhas, onde cada coisa tem seu tempo, as folhas vão caindo aos poucos, a não ser que venha uma ventania, e quando você se dá conta, já está tudo branquinho lá fora... e o cheiro do ar vai ficando cada vez mais fresco,parece mais limpo, dá gosto de sair de casa e sentir o ventinho gelado no rosto... é, não adianta gente, eu AMO o outono!!!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

passagem rápida por terras tupiniquins

Pois é, já faz mais de uma semana que estamos de volta em casa. Agora já está tudo limpinho e arrumado de novo, dá pra passar um tempo no computador pra atualizar as coisas pra voces.
Vou fazer um resumo do que a gente fez por lá, só pra constar aqui e pro pessoal que não conseguiu nos ver também ficar por dentro das andanças...
Chegamos no Brasil numa quarta-feira. Decidimos ir até campo Grande e começar a visita pelo MS, já que de um jeito ou de outro a gente ia ter que fazer uma conexão mesmo, porque não né... A conexao em Sao Paulo foi beem apertada, com direito a brigar com a tiazinha da TAM em busca de um telefone público que funcionasse, mas conseguimos pegar o vôo (que eles andiantaram). O Thomas e o papi foram nos buscar de avião pra agilizar a chegada na fazenda. Por lá ficamos 2 dias, nos adaptando ao fuso horário e botando as fofocas em dia. Na sexta embarcamos no ônibus pra Curitiba, viagem clássica de 16 horas. E lá passamos uma semana, revendo um monte de gente, com zilhões de compromissos, definitivamente a parte mais cansativa da viagem (sem contar os vôos né, essa é sempre a parte mais cansativa). No domingo seguinte, dia 25 chegamos de volta na fazenda, recepcionados por um churrasco feito pelo maninho, pra coemçar a ajudar nos preparativos da festança do aniversário de 60 anos do papi, o motivo principal da viagem! Aquela semana também passou voando, em meio a muitos preparativos e idéias sendo colocadas em prática. Na sexta dia 30 a visitarada já foi começando a chegar e sábado e domingo foi dia de festa, com direito a tempestada de poeira e muito mais. Eu peguei um gripe danada bem no finzinho da viagem, tive até que recorrer à antibióticos pra ver se melhorava um pouco pra poder encarar a viagemde volta. Enfim, foi ótimo poder rever quem conseguimos rever, infelizmente o tempo foi curto, não deu pra ver todo mundo, mas a viagem valeu, foi bem gostoso... mas melhor ainda é poder voltar pra casa, pro nosso cantinho, onde a gente pode fazer as coisas do jeito que a gente gosta e no nosso ritmo.

PS: fotos estao no facebook, porque eu estou no laptop e as fotos estao no outro pc