For my international friends

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Capa para máquina de costura e porta badulaques de patchwork

Faz um tempão que estas belezinhas estão prontas e que quero mostrá-las aqui, mas sempre ia fazendo outras coisas, mas enfim chegou o dia em que tirei tempo pra escrever e publicar as fotos. Gostaram?!


sexta-feira, 27 de julho de 2012

e o calor...

É minha gente, esses últimos 3 dias por aqui tem sido de calor intenso. Eu aproveitei e fui dois dias à tarde pro parque pra aproveitar um pouco o lado de fora de casa. Levei meu livro e meu bordado e me joguei na grama... Pelo menos já posso dizer que inaugurei nossa toalha de piquenique!!! Mas hoje que foi dia de faxina já suei bicas e me lembrei porque eu não gosto de calor, mas pelo menos diz que esse fim de semana é pra refrescar um pouquinho de novo, ufa! Não me levem a mal não, mas calor acima dos 25°C é meio insuportável pra mim, é que nem visita, você aguenta numa boa por 3 dias, mas depois começa a querer sua tranquilidade de volta, sem suor, sem preocupação... hehhehhe


quarta-feira, 25 de julho de 2012

Visiting the Queens

Domingo, dia 15 de julho, foi o dia em que duas rainhas vieram visitar Hamburg: Queen Mary 2 e Queen Elisabeth!! São dois navios de cruzeiros, sendo que o Queen Mary 2 foi o maior do mundo até 2009. É sempre um evento quando esses navios gigantes aparecem por aqui. Eu já tinha visto o Queen Mary 2 ano passado no aniversário do porto, e num outro domingo topamos quase que por acaso com o Queen Elisabeth. Mas os dois nunca tinham estado em Hamburg ao mesmo tempo, o que foi um mega evento por aqui. Na saída dos navios teve até queima de fogos, mas nesse a gente infelizmente não foi...

segunda-feira, 23 de julho de 2012

aniversário Lukas - Magdeburg

Planejando nosso roteiro de volta para Hamburg havia duas opções onde poderíamos fazer as conexões de trem. Uma delas era Göttingen e outra Magdeburg. O Lukas até tinha pensado em passar algumas horas em Göttingen pra matar as saudades da cidade onde ele morou por 6 meses, mas eu achei que deveríamos aproveitar para conhecer uma cidade que ainda não conhecíamos e que estava nos nossos planos.  Ficou resolvido então que ao invéis de voltarmos direto para Hamburg faríamos uma parada mais longa em Magdeburg pra dar uma passeada por lá. A desvantagem é que estávamos carregados com nossas roupas, então sempre um de nós sofria com o mochilão nas costas, mas ainda assim acho que valeu a pena a nossa decisão. Obviamente se tivéssemos mais tempo teria muito mais coisa pra conhecer, mas deu pra ter uma idéia da cidade e visitar seus principais pontos turísticos.
Johanniskirche
Rathaus
Lukas com Roland
---
Magdeburg é a capital do estado de Sachsen-Anhalt. Mencionada pela primeira vem em 805 d.C., teve um passado bastante conturbado que pouco pode ser comparado com outras cidades da Europa central. A cidade, que desde 1880 é uma cidade com mais de 10.000 habitantes, é conhecida por causa do seu importante patrimônio histórico da época do imperador do Sacro Império Romano, Otto I. Durante a Idade Média a cidade ganhou importância por causa do seu homônimo conjunto de leis (Magdeburger Stadtrecht - pelo que entendi uma lei pelos direitos das pessoas que moravam em cidade). No final da Idade Média Magdeburg era uma das maiores cidades alemãs, centro da Reforma Protestante e principal força do Reino da Prússia. Na Segunda Guerra Mundial foi quase completamente destruída, 90% da Altstadt, 15 igrejas e o Gründezeit-Viertel (uma bairro) sofreram danos significativos. 
fonte de água
pra aquecer a "bunda" da galera hauhauha
uma capelinha
eu com as três igrejas que sobraram
Filhos famosos da cidade são Otto von Guericke (físico notabilizado pelo estudo do vácuo e da eletrostática) e o compositor barroco Georg Phillip Telemann.
estátua em homenagem à Otto von Guericke
A cidade é cortada pelo rio Elbe (o mesmo que passa aqui em Hamburg), e seu marco é o Magdeburger Dom (a catedral). 
o Dom
---
A minha impressão sobre a cidade é que ela é grande. É tudo bem largo, com imensas avenidas, tudo parece longe. Eu moro numa cidade grande, mas Magdeburg me pareceu maior, porque tudo parecia estar mais longe do que a gente está acostumado a ver na Alemanha. Até então sempre que olhava os mapas sabia que por mais que parecessem distantes os atrativos na realidade estavam perto uns dos outros, mas em Magdeburg não foi bem assim. Me lembrou um pouco Berlin em algumas partes... o Lukas mencionou que era o estilo DDR de construir cidades, e como Magdeburg foi um cidade importante pra eles também, muita coisa foi mudada por lá, reconstruída no estilo DDR, e como eu não conheci ainda muitas cidades do lado da DDR foi uma novidade pra mim. 
o rio Elbe
em frente à Johanniskirche que virou um centro cultural
Kloster Unser Lieben Frauen
O PIT deMagdeburg foi fácil de encontrar e o que me deixou bem feliz foi o mapa deles!! De graça com explicações básicas sobre a história dos atrativos!! Quer coisa melhor?!! Eu amei, foi o melhor mapa de toda a viagem, a organização turística da cidade está de nota10!
Kloster Unser Lieben Frauen
o mapa do antigo Kloster

O que foi triste de ver, foi uma exposição numa das igrejas restauradas as maquetes das outras igrejas que não foram. Contamos umas 15, que por não terem dinheiro suficinte pra reforma, ou porque estavam no meio do caminho de algum projeto de avenida da DDR foram simplesmente demolidas, mesmo havendo protestos. Achei é muito triste, e ainda algumas que sobraram nem funcionam mais como igrejas, são apenas prédios como qualquer outro, usados pra qualquer outra coisa.
St. Petri
St. Petri
A principal atração da cidade é sem dúvida o Dom, que o Lukas fez questão de visitar. A entrada é gratuita, mas tem também uma visita guiada que você paga pra participar. Nós olhamos tudo por conta mesmo. 
carregando a mochila
pesado?!!
As origens do Magdeburger Dom remontam ao ano 937 d.C. quando Otto I fundou um mosteiro em homenagem à St. Mautitius, cuja igreja continuou sendo expandida até que em 968 se tornou uma catedral. Otto enriqueceu sua catedral com tesouros antigos, que ele trouxe do norte da Itália, como por exemplo colunas de mármore e granito que ainda hoje podem ser vistas na catedral. 
Dom
Dom
Depois da morte do imperador em 973 em Memleben (120 km a sudoeste de Magdeburg) ele foi "enterrado" num sarcófago de pedra  dentro da catedral. Em 1207 a catedral ottoniana foi seriamente danificada num incêndio. O arcebispo Albrecht II decidiu erguer para sua comunidade um novo edifício, que começou a ser construído dois anos mais tarde e que se tornou um famoso atrativo. Só em 1362 é que a catedral ficou pronta e ainda assim sua torre oeste com 104 metros  só foi terminada em 1520. 
Dom
Vale muito a pena visitá-la, tem muita coisa interessante pra se descobrir sobre essa catedral!! Ahh só não pode tirar fotos lá dentro!
observando o rio Elbe

Outra atração importante na cidade (pelo menos pra mim), é a Grüne Zitadelle Magdeburg. Mais uma obra do arquiteto Hundertwasser que eu gosto tanto! É um prédio que mistura moradia, escritórios e até um hotel!! Sou fã desse tiozinho, não posso negar!!
Grüne Zitadelle
Grüne Zitadelle
Grüne Zitadelle
Grüne Zitadelle
Grüne Zitadelle

sexta-feira, 20 de julho de 2012

aniversário Lukas - Gotha

De Eisenach até Gotha levamos 20 minutos, ou seja, é praticamente a metade do caminho entre Eisenach e Erfurt. No dia da nossa viagem até Thüringen já tínhamos passado de trem por Gotha, deu pra ver parte do Schloss de dentro do trem. Nessa hora fiquei feliz de ainda ter incluído essa cidade  no nosso roteiro.
Schloss Friedestein

Gotha é a quinta maior cidade de Thüringen. Gotha foi a capital e residência dos duques de Sachsen-Gotha. No ano 1875 foi criado na cidade o partido chamado Sozialistische Arbeiterpartei Deutschlands (SAP), mais tarde renomeado para SPD. No passado Gotha tinha rivalidade com a cidade de Weimar, o outro centro da dinastia ernestina (descendente da dinastia Wettin, escrevi brevemente no post sobre Weimar). Enquanto Weimar foi um centro artístico, Gotha desenvolveu melhor a área científica, tanto que na cidade existe um Museu de História Natural - Museum der Natur Gotha - e um observatório - Sternwarte Gotha. O castelo barroco Friedenstein domina a paisagem da cidade. Ele foi outrora residência da família dos duques de Sachsen-Gotha-Altenburg e Sachsen-Coburg und Gotha. Uma empresa bem conhecida em Gotha é a Gothaer Waggonfabrik, uma fábrica de automóveis, que entre outras coisas produzia bondes e avioes. 
Schloss Friedenstein
pátio interno do Schloss - absurdamente gigantesco!!
Gotha foi mencionada pela primeira vez em 25 de outubro de 775 num certificado emitido em Düren. Com este documento, Karl der Große (abrasileirando Carlos Magno) transferiu para a vila Gothaha (boa água) um décimo das terras, florestas e prados do mosteiro Hersfeld. As boas relações com o mosteiro de Hersfeld sao provavelmente a razao pela qual a cidade adotou como padroeiro da cidade St. Gothardus, um antigo abade de Hersfeld e posterior bispo de Hildesheim.


O marco da cidade de Gotha é a maior construcao feudal do comeco do período barroco na Alemanha, o Schloss Friedenstein com o maior jardim em estilo inglês no continente europeu e suas casamatas. No Schlosspark encontra-se a Orangerie, que abriga desde 1950 a Biblioteca da cidade, o Schloss Friedrichsthal e o Herzogliches Museum (que nao tirei fotos porque estava em reforma, daí só tinha tapumes). 
Orangerie
lá ao fundo o Friedrichsthal
O que basicamente fizemos em Gotha foi passear e olhar a cidadezinha. Sei que ela tem muita história também, mas não cheguei a pesquisar muita coisa sobre ela. Como já disse o que me levou a querer visitá-la foi a imponência do Schloss Friedenstein. Acredito que valha a pena passar mais tempo por lá em uma outra ocasião. É uma cidade bem simpática!

eu com Wasserkunst
Wasserkunst
Rathaus
---
No fim da tarde voltamos para Erfurt, onde fomos procurar uma pizza pra comer. Escolhemos um restaurante italiano, e acreditam que não tinha pizza no cardápio?? Como já estávamos lá dentro e eu tinha vergonha de sair assim sem nem ao menos pedir alguma coisa, pedimos massa. E estava deliciosa!! Não era o que a gente tinha em mente, mas valeu a pena. Só não valeu a garrafa de água de quase um litro que o garçon ofereceu pra acompanhar o vinho, e que era com gás (que eu não suporto) e ainda custou o olha da cara. Coisas dessa vida.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

aniversário Lukas - Eisenach

Domingo graças a Deus não amanheceu chovendo, mas estava meio nublado. Como turista não tem muita opção de escolher ou mudar o tempo lá fora, botamos o pé na estrada (ou melhor a bunda no trem) e fomos conhecer Eisenach, visitar o Wartburg, razão pela qual escolhemos essa região pra visitar.
Wartburg
---
Sobre a história:

Eisenach é uma cidade localizada do lado oeste de Thüringen e é uma das assim chamadas Lutherstädte (cidade de Luther - no caso para se referir às cidades onde Martin Luther morou). A reputacao de Eisenach se deve especialmente ao Wartburg, um castelo que se situa num dos morros da cidade. Ele está listado como Patrimônio Mundial da UNESCO e  na Idade Média foi residencia dos condes de Thüringen. Foi ali que Martin Luther traduziu o Novo Testamento do grego para o alemão. Além disso foi em Eisenach que nasceu o compositor Johann Sebastian Bach em 1685. 
de cima da torre do Wartburg
Os sinais mais antigos de um povoado na região datam de aproximadamente 5000 anos. Até o ano 531 a região pertenceu ao reino de Thüringen, depois da destruicao do reino pelos francos passou a fazer parte do reino destes. E, a princípio, um assentamento de francos é que deu origem à cidade de Eisenach. A primeira coisa mais certa que aconteceu na história da cidade foi a construcao do Wartburg em 1067 por ordem de Ludwig den Springer. Em 1080 o Wartburg foi mencionado pela primeira vez pelo cronista saxão Bruno von Merseburg. O nome Eisenach aparece pela primeira vez em 1150 numa fonte escrita, onde um cavaleiro chamado Bertholdo de Isenacha deseja ser enterrado. 
Wartburg
Wartburg
Ao final do século XII, o Wartburg se tornou residência dos condes de Thüringen. Nele viveu entre 1211 e 1227  Elisabeth von Thüringen (conhecida em português como Santa Isabel da Hungria e da Turíngia). Em 1406 Eisenach perdeu o status de residência dos condes de Thüringen, e com a morte do conde Balthasar também a corte e o governo. Isso levou ao declínio da cidade.
dentro do quarto que foi de Elisabeth von
Thüringen e que conta sua história em mosaicos
Em 1498 Martin Luther veio como estudante de Latim pela primeira vez à Eisenach. Em 2 de maio de 1521 ele pregou na Georgenkirche na sua viagem de volta da "Dieta de Worms". Depois que ele foi considerado um inimigo do Estado, foi acolhido no Wartburg sob o codinome "Junker Jörg". Ele ficou lá até 1 de marco de 1522 e traduziu o novo testamento do grego pra alemão, que foi impresso e publicado em setembro do mesmo ano.
Lutherstube - onde Luther traduziu o Novo Testamento
Na década de 1550 Hans Leonhardt trabalhou como arquiteto na cidade e ergueu muitas casas no estilo renascentista , dentre eles a atual prefeitura, antiga adega, a Georgenbrunnen (fonte de Sao Jorge) na praça do mercado e a casa onde Luther morou - Lutherhaus. 
Rathaus - prefeitura
a praca com o Stadtschloss e o Georgenbrunnen
Em 21 de marco de 1685 nasceu Johann Sebastian Bach, que foi batizado na Georgenkirche. Seu pai, Johann Ambrosius Bach era o regente da orquestra de trompas da prefeitura. 
estátua do Bach
Na segunda metade do século XIX começou a industrializacao em Eisenach. Foi fundada em 1896 a fábrica de automóveis, que a partir de 1928 passou a pertencer à BMW, e que mais tarde construiu o carro chamado Wartburg
vitral dentro da Bahnhof fazendo mencao à industria automotiva

---

A viagem de trem entre Erfurt e Eisenach durou cerca de 45 minutos. Nós compramos um Thürigen Ticket pra duas pessoas que nos valia pro dia inteiro, mas infelizemente nao valia pro transporte público em Eisenach (mais infos aqui). Da Bahnhof seguimos para o centro. A primeira atracao já encontramos logo no comeco: Nikolai-kirche und -tor. A igreja foi construída em torno de 1180  e é considerada uma edificacao românica das mais recentes em Thüringen. Sua torre tem uma altura de 36 metros. Seus capitéis tem grande semelhança com os motivos do grande salão do Wartburg. Foi igreja do antigo mosteiro beneditino que havia no lugar. Localizado ao lado da igreja está o único dos cinco portões da cidade ainda existente, o Nikolaitor.

Nikolaikirche und -tor
Dali já encontramos o Lutherdenkmal. A iniciativa de criar um monumento a Martin Luther em Eisenach surgiu em 1882, por ocasião do 400° aniversário de Luther. O monumento foi construído por Adolf von Donndorf.
Luther Denkmal
O PIT dessa vez foi fácil de encontrar. Mas como tinha acabado de abrir (seg à sex: 10-18h; sáb, dom e feriado: 10-17h) estava lotado de gente querendo comprar algum tipo de ingresso. Nós até ficamos na fila pra comprar um mapinha, mas numa certa altura descobrimos que ao lado da disposicao de mapas havia uma caixinha onde você colocava a moedinha. Não precisamos mais ficar na fila, pegamos e mapa e fomos embora. 
antiga farmacia I
antiga farmacia II
Como nosso objetivo na cidade era visitar o Wartburg resolvemos começar por lá. Como todo castelo de defesa (Burg), ele fica em cima dum morro, e portanto pra chegar lá é preciso subir esse morro. Existe um ônibus que leva os turistas até lá, mas nós decidimos que iríamos a pé, seguindo as trilhas. Recomendacao importante: se você não está acostumado a trilhas íngremes, pegue o ônibus, ou pelo menos escolha a trilha mais longa, porque a mais curta, vou te contar... suei!!  Começou a chover no meio do caminho, mas nada que nos tivesse atrapalhado. E não encontramos ninguém mais fazendo a trilha, acho que são poucos que se aventuram num dia chuvoso numa trilha no meio do mato.
Wartburg
Já escrevi um pouco ali em cima sobre o Wartburg, e obviamente tem muito mais coisa pra se contar. Mas acreditem, vale mais a pena visitar do que eu ficar contando sobre ele por aqui. O básico que se precisa saber é aquilo que já falei. Quem quiser uma cronologia bem básica ainda pode dar uma olhadinha aqui, ou mesmo visitar o site e a wikipédia (em alemão ou inglês são confiáveis, em português as informacoes wikipediais são mais meia boca e às vezes com erros). Existem alguns tipos diferentes de visitacao no Wartburg. Dá pra escolher a visita completa que dá direito à visita guiada (não sei dizer se tem em outras línguas) e mais o museu. Nós escolhemos o mais completo e ainda pagamos uma taxa pra poder tirar fotos lá dentro, se não não pode!! Conseguimos pegar logo a visita guiada, nem precisamos esperar. 
dentro do Wartburg
Eu gostei bastante das coisas que vi lá dentro, a guia também era bem gente boa. Muito bom mesmo!! Recomendo pra quem entende bem o alemão!! Só sei que enquanto estávamos lá dentro percebemos numa certa altura que lá fora chovia a cântaros, ficava só pensando em como a gente ia voltar e continuar nosso passeio do lado de fora naquela chuva toda.
salão de festas, usado até hoje
na noite anterior havia tido um concerto aí

Depois da visita guiada nós ficamos por conta própria dentro do museu do castelo, onde tem muita gente porque junta todo aquele pessoal que estava com a gente na visita guiada com os outros tantos que pagaram pra entrar só no museu. Não espere tranquilidade visitando esse lugar!! Pelo menos não nas férias! Lá bem no fim do roteiro, é que se chega no ponto alto da visita ao Wartburg: o quarto onde Luther traduziu a Bíblia!! É bem no fim mesmo da visita o último quarto, e claro que é o mais concorrido de todos!!
Wartburg
Quando saímos ainda estava chovendo, mas bem menos forte e depois de uma visita rápida ao banheiro e enquanto caminhávamos pelo pátio do castelo a chuva foi parando e o sol foi se achegando!! Parece coisa de filme, mas foi bem assim que aconteceu!! Deu pra tirar boas fotos do lugar, subir na torre, e apreciar a construcao!! Eu achei o lugar bem bonito, eu adoro castelos desse tipo!! Pena que uma das partes estava em reforma, então coberta de tapumes, mas isso é normal por aqui né?!!

Pra descer eu tive um pouco de receio, mas nem levei nenhum tombo, e também escolhemos um caminho mais longo que se mostrou menos íngreme que o usado pra subir, o que foi muito bom pras minhas pernas!! 
na trilha
Seguimos pra casa onde o Bach nasceu, que é hoje um museu em sua homenagem, tiramos as fotos lá e procuramos um lugar pra almoçar já que já eram 2h da tarde.
Bachhaus - casa onde o Bach nasceu
No caminho encontramos a casa mais estreita da cidade, e quem sabe a da Alemanha. Diz que tem uma largura de 2,05 metros e 20 metros quadrados de área. Estima-se que ela tenha mais de 250 anos. 
Schmales Haus - casa estreita
Depois do almoço ainda demos mais umas voltas pela cidade pra dar o horário de pegar o próximo trem. Vimos o Lutherhaus, casa onde Luther morou enquanto ia pra escola na cidade.  A casa hoje é um museu sobre a vida de Luther.  
Lutherhaus
Ainda entramos na Georgenkirche, e vimos mais umas construcoes interessantes.
Georgenkirche à tarde
Georgenkirche pela manha
Georgenkirche
Nossa próxima parada não foi de volta à Erfurt não. Aproveitamos nosso ticket, e o tempo que ainda tínhamos e fomos conhecer Gotha, uma cidade que fica no caminho entre Eisenach e Erfurt e sobre a qual falo no próximo post!!
Hauptbahnhof Eisenach