For my international friends

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Herbt Deko

Quem me conhece sabe que adoro redecorar a casa a cada nova estação. Pros dias mais frios e escuros chegando, das folhas amarelas e vermelhas dando o tom, arrisquei uns penduricalhos diferentes pra minhas janelas. E nada de comprar tudo pronto, aqui em casa é tudo selbstgebastelt!!










Fiz as fotos numa parede para que desse pra ver melhor os enfeites, já que fotos na janela são sempre um problema (pelo menos pra mim). Ainda assim não ficaram lá aquelas coisas, mas já tá valendo né?!

Bom fim de semana!!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Em busca do requeijão

Queridas amigas(os) blogueiras que moram na Alemanha! Todas sabem o sufoco que é encontrar requeijão cremoso por aqui. Em todos os blogs que visito, alguns vez já foi comentado como não se encontra o dito por aqui. Todo mundo pode pensar no leite condensado, no guaraná, no polvilho, mas não, essas coisas aqui em Hamburg são relativamente fáceis de se encontrar. Eis que ontem, estava bisbilhotando meu livro de receitas de sopas (porque o friozinho está chegando, e a gente adora uma sopa!), com minha meta de experimentar pelo menos uma receita nova por semana pra fazer bom uso do livro que ganhei do marido no natal passado. Escolhi uma receita que tivesse a maioria dos ingrediente em casa. E daí apareceu um que desconhecia, perguntei pra marido se ele sabia o que era, resposta também negativa. Uma olhadela na internet pra ver se é coisa fácil de encontrar, diz que é, e até tem do genérico do mercado que pretendíamos passar hoje de manhã. Beleza! Um comentário de marido me deixou animada: "Talvez esse possa ser alguma coisa parecida com o que a gente comeu lá na Noruega na casa da Carol que você gostou tanto e que lembra muito o requeijão brasileiro". Prá quê né?! Não dormi direito de noite na expectativa (drama básico!!). De manhã fizemos as coisas que precisavam ser feitas no centro comercial do bairro e compramos o tal do Schmelzkäse. Na hora de fazer a sopa,expectativa, especialmente na hora de abrir o pote e dar a garfada decisiva... Eis que eu gostei!! E muito!!! Não bem parecido com o requeijão tipo "Poços de Caldas" que eu gostava de comprar no Brasil, ele lembra mais um queijo fundido que vem em bisnaga (e custa os olhos da cara no Br), e que eu amava comprar de vez em quando pra variar o requeijão. Eu então precisava compartilhar com vocês que também estão nessa busca incessante atrás de algo que lembre o requeijão brasileiro!! Eu com certeza vou adicionar o novo item à lista de compras semanal! E do "de marca" ainda tem mil e um sabores diferentes!! Vou experimentar todos!!!! hehhehehh Ainda não sei como ele se comporta na comida quente, sei que algumas gostam de colocar no empadão e tal. Percebi que na sopavficou uma delícia, ele vem meio pastoso na embalagem e misturando no caldo ele ficou bem líquido, talvez não funcione muito pra empadão e recheios, tenho ainda que tentar coisas desse gênero.
       
     
             o de bisnaga que comprava no Brasil


o "de marca" que tem mil e um sabores diferentes           
*fotos do google

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Lauenburg/Elbe

Como não poderia deixar de ser aproveitamos a visita do primo Igor e fomos conhecer novos lugares. No começo pensamos em ir pra Stade, mas a gente já foi pra lá com a Leticia e o Thiago, e a idéia daqui pra frente é, sempre que puder, ir para lugares que ainda não conhecemos, afinal nossos dias por aqui já não são mais muitos, daí "matamos dois coelhos com uma caixa d'água só"!! hhehhe
vista de cima do Schlossberg

chegando na cidade
pedra que marca quanto quilômetros estamos da nascente e da foz do rio Elbe
Lauenburg é uma pequena cidade em Schleswig-Holstein, e fica a cerca de 40 km de Hamburg. Ela também está localizada às margens do rio Elbe. O canal Elbe-Lübeck começa nesta cidade.
Ruferplatz
que dá as boas vindas aos navegantes 
que passam ao lado da cidade pelo rio Elbe

A cidade parece ter sido fundada em 1182 por Bernhard von Askanien, ancestral dos duques de Lauenburg, mas esta informação ainda não foi certificada. Antigamente a cidade se baseava num documento de 1260, tanto que em 1960 foram comemorados seus 700 anos. Por outro lado, pesquisas recentes de Wichmann von Meding assumem que a cidade foi fundada em 1209 pelos dinamarqueses que, sob a regência de Knut VI, tomaram posse dos municípios de Holstein e Ratzeburg, e da Lauenburg (aqui como Burg e não como cidade) em 1199, territórios antes pertencentes aos Welfen.  Fontes mais antigas indicam que o duque Albrecht I, depois da vitória em Bornhöved (1227), quis construir uma cidade sob a Lauenburg.


marcas das enchentes do rio


Lauenburg foi um ducado até o ano 1689, cuja área coincide em grande parte ao atual distrito (Kreis) de Lauenburg. Na Idade Média Lauenburg foi um importante centro de comércio próximo ao Stecknitzkanal (Canal de Stecknitz, ou também chamado de Elbe-Lübeck-Kanal). A antiga Rota do sal atravessava o Elbe para levar o sal de Lüneburg até a cidade de Lübeck, e Lauenburg fazia parte desta rota. O canal de Lüneburg até o Elbe terminava a uns 4 km de Lauenburg, dali as cargas eram puxadas rio acima até a entrada do outro canal em Lauenburg para continuar a viagem, sempre sendo puxadas e/ou empurradas com ganchos por pessoas nas margens do rio/canal. Esses instrumentos estão até presentes no brasão da associação dos trabalhadores neste tipo de serviço:
o brasão -
deixei bem grande para quem quiser
 ler a placa que explica tudo certinho
A cidade possui uma pitoresca cidade antiga. Perto do início do canal encontra-se a Palmschleuse, a mais antiga eclusa em forma redonda (Kesselschleuse) na Alemanha. A igreja Maria-Magdalenen-kirche foi fundada em 1220 e representa um notável monumento arquitetônico do século XIII. No Schlossberg estão os restos da Lauenburg, ou o castelo de Lauenburg.
o Schloss
o jardim
Schlossturm
que foi uma cadeia
em cima da torre
com a vista pro rio
com as escadas de madeira

O Lauenburg foi construído em 1182 por Bernhard von Askanien. O nome deriva da palavra eslava Lave dada ao rio Elbe. Como local para a construção Bernhard escolheu uma colina com uma boa vista do rio, perto da Ertheneburg (que não existe mais). Ainda durante a construção o castelo foi destruído por seguidores de Heinrich des Löwen em 1184, mas por ordem do imperador os depredadores tiveram que ajudar a reconstruir o castelo. No século XV com muitas reformas e modificações, especialmente sob ordens do duque Johannes IV, o Burg foi se transformando cada vez mais em Schloss. Os edifícios que podem ser vistos até hoje são desta época. O castelo consiste de vários componentes individuais, e foi construído principalmente de tijolos e decorado em estilo renascentista. Em 1616 um incêndio destruiu grande parte do castelo. Os duques mudaram sua residencia para o Ratzeburger Schloss e a Guerra dos 30 anos inibiu a reconstrução do castelo. O duque Julius Heinrich até chegou a planejar a reconstrução do castelo depois da guerra, mas isso nunca aconteceu. A partir do século XVIII as ruínas do castelo forma utilizadas como edifício de escritórios e até mesmo moradias individuais, tipo apartamentos. Hoje funciona no prédio principal a prefeitura e demais órgãos públicos da cidade. 



as casas tortas
a igreja
parada pro lanche
com uma vista dessa?!!
não tem preço

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Visita do Igor

Semana passada recebemos de visita meu primo Igor! Ele ficou 3 dias aqui com a gente e como sempre rolou aquele turismo básico em Hamburg e arredores, além de muitas conversas!!
Conhecendo a rua mais antiga de Hamburg
Num dos inúmeros canais da cidade
Novidade pra mim também: restos
da primeira construção da cidade
Mais um vez foi bom ter alguém conhecido pra conversar, especialmente alguém da família e do meu lado (porque né, faz diferença quando é gente com quem você tem afinidades do que quando é alguém com quem marido tem afinidades!!). O tempo até que ajudou, já está mais frio que as semana anteriores, com a maior cara de outono, e também anda chovendo bastantinho, mas ainda assim não atrapalhou nossos programas.
Andando pela Speicherstadt
Degustando o típico Fischbrötchen (pão com peixe)
Querido primo espero que tenha gostado da acolhida, eu gostei muito da visita!! E pra parentada que ficou com vontade, apareçam, ainda estamos por aqui, e não será mais por muito tempo!!
Kassler: comida típica alemã feita em casa
jantando
Conhecendo a"noite" de Hamburg