For my international friends

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Coisas que não te dizem - os dois primeiros meses são punk

Agora que as coisas estão ficando mais calmas, e posso curtir com mais gosto essa coisa da maternidade, também já dá pra vir aqui dizer que o começo é tenso! Não é pra desanimar ninguém não viu, mas verdade seja dita, nada de mar de rosas como se faz parecer pelos comentários das pessoas quando da notícia de uma gravidez ou do nascimento de um pequeno ser. É uma alarde geral, uma felicidade toda, mas ninguém chega e te diz o que te espera de verdade! Eu gostaria muito de ter ouvido algumas verdades sobre os primeiros dia, na realidade já a começar pelo parto. Acho que as pessoas tem medo de assustar as grávidas de primeira viagem, mas sério, eu gostaria muito que tivessem me dito que no primeiro mês (em especial) nada é tão lindo e cheiroso como as fotos compartilhadas em feicibúqui e afins nos faz acreditar. Por trás daquelas fotos mágicas e fofinhas existe com toda certeza uma mãe cansada, com dores do pós parto (sim, mesmo o parto normal te deixa com dores depois, isso ninguém conta), sem saber ao certo o que fazer, chorando desesperadamente. Sim, eu chorei, muitas e muitas vezes debaixo do chuveiro, com os peitos absurdamente cheios e doloridos... Chorei eu, chorou o bebê e chorou o papi dele também... Das vontades de jogar aquela criaturinha linda e chorona pela janela já comentei num post anterior... E da vontade de voltar atrás te aviso agora... E só posso/tive coragem de escrever isso aqui agora, agora que as coisas já estão mais normais, que eu me apaixono cada dia mais pelo meu pequeno, que claro, ainda dá um trabalhão, mas já não bate mais o desespero... Dá pra olhar pra trás e dizer, graças a Deus essa etapa eu passei, graças a Deus a oscilação hormonal já não é mais a regra aqui, eu já tenho um pouco mais de domínio sobre as minhas faculdade mentais e o meu corpo! E agora já não rola mais a insegurança das primeiras semanas, quando os palpites de como seu bebê deve ou não dormir, como você deve ou não carregar a criança, quando rola aquela dúvida, mas será que fulano não tem razão?!, quando tudo o que você sempre defendeu/acreditou não é levado a sério por mais ninguém  (especialmente da família). Mas daí, agora que já está tudo mais calmo, e você vê seu filho adormecendo sozinho na cadeirinha dele, você passa a re-acreditar em si mesma e nas idéias que já tinha desde antes dele nascer e consegue dizer pra si mesma: "Estou fazendo o que eu acho o que é certo e está funcionando. Vou continuar seguindo meu coração."

14 comentários:

  1. poxa adoro isso post real, verdades, nada de tudo só no país das maravilhas ou besteirol, que é o que vejo pelos posts dos blogs da vida, ah se engravidar venho aqui te perguntar da parte da ruim, pq da boa é mole né ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. venha mesmo barb que eu conto tudo!! ou nao... hehehhehe...

      Excluir
  2. Ai Babi, eu por outro lado já li tantas histórias de "terror materno", que já nem sei se me preparo, se penso a respeito ou deixo acontecer para ver como vai ser. Rsrs. Que bom que o "pior" já passou, ore por mim que passarei por essa fase, se Deus quiser, de março a maio/junho próximos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sério Mari? De terror materno nao ouvi nada nao... tudo era sempre muito cor-de-rosa e lindo... Claro que eu acabei por conta lendo coisas mais reais e a única coisa "ruim" que me diziam é que ia me faltar tempo, mas isso eu já sabia ainda antes de engravidar, o resto descobri na marra mesmo! Mas nao se preocupe, no fim tudo passa, esse é o mantra que eu recomendo a todas novas mamaes: tudo passa! Pode deixar que fico em oracao por voce! beijos

      Excluir
  3. Sabe porque ninguém te conta? Porque a grávida não vai acreditar, vai achar que estão querendo assustar, que todo mundo tem filho, um, dois, e ninguém está descabelada na rua (só dentro de casa). Eu sei porque já estive no antes e depois.O povo faz parecer que pós parto normal é mamão com açúcar, mas ninguém te conta que às vezes você só vai conseguir sentar depois de 2 meses sem sentir dor. Enfim, eu não falo nada porque não adianta mesmo, e depois ainda ficam com raiva de quem falou. O tempo passa, virão outros desafios, mas também não vou contar :) A fofurice deles compensa! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que nao tinha pensado nisso Ma... Eu agora nao sei dizer se eu acreditaria ou nao... talvez dependendo de que pessoa viesse a "bomba", nao sei... E nem me lembre da parte se sentar porque realmente é complicada a coisa...
      beijos

      Excluir
  4. nossa, eu tenho um medo de engravidar e não dar conta de passar por todas essas crises que acontecem com a mãe. Minha irmã teve um tipo de depressao pós parto que ela meio que chutou o balde e nao tava curtindo muito cuidar da criança. Ainda bem que isso passou. Boa sorte, muita força e coragem pra ti!

    ResponderExcluir
  5. Eu também tinha medo de nao dar conta do recado Grazi, mas quer saber, a gente faz o melhor que pode viu, e vale a pena. Nos primeiros dias/semanas você vai duvidar dessa escolha, mas depois tudo melhora!

    beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Ai Babi, adorei a sinceridade do post, mas é isso mesmo...
    Passei pra deixar um alô e boas festas! tudo de bom pra vocês...
    beijao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Ana!! Boas festas pra vocês também e uma ótima viagem!! beijão

      Excluir
  7. Oi Bárbara! A Carla me contou que você passou por tempos difíceis (que eu estou passando agora) e vim aqui ver a tua experiência! Realmente ninguém fala pra gente como o começo é tão difícil, como a gente vai ficar exausta a um ponto de não saber como ainda tem energia pra cuidar do nosso bebe.. O Mathias ainda tem colica e refluxo e ja nao passa um dia que eu não choro também junto com ele, que penso se deveria ser mãe mesmo, se o meu leite que é ruim ou que foi que eu comi pra fazer mal pra ele... tanta coisa que não é de se espantar quanta mãe que tem depressão pós parto. Bom saber que não estou sozinha! beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Priscila!

      Pois é, passei por poucas e boas também, mas acho que acontece com a maioria. E é sempre bom saber que não somos as únicas. Bebês com cólica é complicado, o Leopold teve também, agora já passou, mas foi complicado e realmente a gente fica se questionando se estamos fazendo algo errado, especialmente com a alimentação porque todo mundo diz que a culpa é do que você comeu... se eu fosse levar em consideração tudo que eu ouvi que diziam dar cólica no bebê eu teria que parar de comer!! Mas tudo passa, aos poucos vai melhorando.vVocês agora estão quase completando o primeiro mês né?! Aqui as coisas começaram a se ajeitar com 1 mês e meio... Então, muita força por aí!! E diz pra Carla fazer umas comidinhas gostosas pra vocês comerem, que qualquer ajuda nesse quesito é bem vinda!! A coisa que mais odiei no pós parto foi ter que ficar pensando no que cozinhar/fazer pra comer!!

      beijos

      Excluir
  8. Bom acompanhar você e a Pri nessa fase... hehe já sei o que me espera... ou não né... acho que perdi a coragem!! Haha!! Aproveitar afilhadinhos e sobrinhos!! :D
    Mas que bom que tudo está melhorando, que daí consegue curtir melhor o pequenino!! Não vejo a hora de conhecer ele!! :)
    E nem se preocupe, tenho certeza que você é uma ótima mãe!! O Leopold tem muita sorte!!
    Beijãoo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não perca a coragem não Carla!! O começo é meio chatinho e desesperador mesmo, mas passa!! E quando chegar a sua vez a gente vai estar ao seu lado pra dar uma força no que for preciso!!

      Em abril estamos chegando, tá quase!! heheh

      beijão

      Excluir

Conte-me o seu segredo...