For my international friends

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Da tristeza de não ser aceita (como sou)

Fiquei pensado seriamente de deveria me abrir por aqui, afinal é um lugar meio público, pode vir a criar ainda mais problemas, mas eu preciso desabafar e pedir a ajuda e os conselhos de vocês. A pessoa com quem eu normalmente faço isso é meu marido, mas nesse assunto, por mais que já tenhamos conversado a respeito, e muito até, complica por estar muito próximo à todas as pessoas envolvidas. Mas a questão é que eu estou triste, muito triste, porque a família dele não me aceita do jeito que eu sou. No começo era tudo tranquilo, mas foi marcar a data do casamento que as coisas começaram a mudar. Comecei a perceber que o meu jeito diferente de ser não ia ser assim tao bem aceito quanto era até então. Aos poucos os palpites e os achismos a respeito do que eu sonhava desde criança (que mulher não idealiza sua festa de casamento desde criança?) estavam sendo tratados como birra, como coisa não aceitável e não digna da família da qual eu iria começar a fazer parte. E até hoje, mesmo já tendo conversado com meus sogros a respeito, dizendo e explicando de mil maneiras possíveis e imagináveis que eu sou diferente, que eu não gosto de seguir os padrões, que minha criacao foi diferente e coisa e tal, parece que estamos falando com as paredes. Primeiro porque eles acham que as "idéias malucas", como por exemplo escrever um convite de casamento alternativo e com piadinhas sobre dormir na hora do culto, ou chamar nossa filha de Kunigunde (nome fictício que as duas futuras Omas reprovam a todo custo, mas e se eu realmente gostasse desse nome????) são idéias exclusivas do meu marido. Eles não conseguem conceber a idéia de que eu simplesmente adoro as idéias, consideradas doidas, do meu marido! É por isso que estou casada com ele, porque eu o amo também com esses supostos defeitos. E a gente se entende, a gente se diverte, ele entende as minhas maluquices e eu entendo as dele. A gente gosta de ser diferente, é um prazer inenarrável poder compartilhar coisas que as pessoas normalmente tem como estranhas com alguém te respeita e pensa como você!!!

Eles esperam de mim, coisas que eu não sou. Esperam que eu divida minha vida com eles do jeito que eles estão acostumados a fazer na família deles. Só pra exemplificar, sabe com quantas pessoas troco e-mails frequentes sobre minha vida aqui na Alemanha, contando alguns detalhes?? DUAS!! É sim, tenho duas amigas com as quais eu troco e-mails. E não, nenhuma dessas amigas é parente, nem próxima nem distante. Porque que é que eu haveria de trocar e-mails frequentes com detalhes do que penso ou faco por aqui com meus sogros se não faco isso nem com minha mãe?!!!! Com gente com quem não tenho a menor afinidade?!! A única coisa que temos em comum é o amor ao Lukas, e é isso... Se não fosse por ele muito provavelmente não seríamos amigos. Eu os respeito, sou grata a eles por terem criado o homem que eu amo, e obviamente nunca vou deixar de respeitá-los e a recebê-los bem em minha casa. Mas daí a ficarem o tempo todo me cobrando a falar com eles, a dividir minhas coisas pessoais, minhas atividades, meus sonhos e sei mais eu o que... não dá né... Eu sou uma pessoa reservada e sempre fui assim. Eu converso coisas amenas com eles mas as vezes acho q eles querem mais, querem conhecer meus segredos mais profundos, não sei, eu não entendo... Dizem que querem me conhecer, mas não conseguem aceitar o fato de que eu SOU ASSIM, bem desse jeito, sem tirar nem pôr. Não estou ignorando eles, não estou colocando o filho deles contra eles, não faco nada diferente do que eu faria com qualquer outra pessoa.  Como exatamente então eles querem me conhecer se não aceitam o fato de que sou uma pessoas quieta e reservada??? Alguém por favor me explica porque eu tô surtando aqui tentando descobrir!!

Alguém mais passa por coisas parecidas?? Tem alguma dica pra me dar?? Como vocês fazem?? Eu tento, tento mesmo ignorar, relevar, deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro, mas é mais forte que eu. É uma tristeza muito grande, um desânimo, um sentimento de inferioridade, e isso eu sei que nao sou, e culpa, muita culpa... E dói, como dói...


PS. De maneira nenhuma quero aqui ofender ou machucar pessoas. É simplesmente um desabafo de coisas que penso e sinto. Nao me acho mais certa que ninguém, são apenas divagações e um pedido de ajuda.

11 comentários:

  1. Olha... Tai uma coisa muito, mas muito complicada! Eh muito chato quando a família do nosso marido não aprova o que a gente faz. Eu posso dizer que tive sorte, ou que ganhei no grito. Porque fiz tudo da maneira que eu quis - e ainda faco - e eles nunca reclamaram (pelo menos não pra mim). Eu acho que discordar de voce, dar alguns palpites e conselhos eh normal, mas se meter? Isso nunca! A vida eh sua e o filho eh seu e do seu marido, se voces quiserem chama-lo de "Colgate", de "Bin laden", de "mulher melancia" eh uma escolha de VOCES! Eles podem achar um horror, paciência, lidem com isso.
    Faltar com respeito eh inadmissível!
    Cobrar intimidade não vai funcionar... Intimidade eh uma coisa que vem com o tempo, com afinidades, com convivência. Eu nao troco e-mails com os meus sogros, vez ou outra mando alguma foto de viagem e eh so. Eu também sou bastante reservada e acredito que eles entendem isso.
    Nao sei muito bem o que te dizer... Ha quanto tempo voces estao casados? Acredito que as coisas se ajeitem com o tempo... Contanto que voce deixe bem claro o que voce sente e como voce eh...
    Se mesmo assim eles resolverem nao aceitar, bom... Dai eh uma decisao sua e do seu marido o quanto voces querem proximidade com eles... Ainda mais agora com o bebe chegando...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poem complicado nisso Luana! Sabe, eu nao quero deixar de ter uma relacao saudável com eles. É importante pro meu marido e obviamente vai ser pro meu filho(a), quem nao ama de paixao seus avós?!! Eu entendo perfeitamente que sugestoes e palpites fazem parte, minha mae também dá os dela, nao do mesmo jeito nem intesidade, mas dá, é coisa de pais, eu entendo perfeitamente isso... Só que sei lá, foi como você disse, intimidade vem com o tempo, e eu me sinto pressionada a ser íntima deles assim de uma hora pra outra e em tudo, e tem coisas que eu quero decidir e fazer sozinha, sem que eles saibam ou tenham que dar uma opiniao. Eu fui criada pra ser uma pessoa independente, meus pais em ensinaram que eu era capaz de andar sozinha e tomar minhas proprias decisoes, e que se eu precisasse eles estariam lá pra me apoiar, independente das minhas escolhas. Sao mundos diferentes, cada uma pensa se um jeito, eu nao entendo eles, mas os respeito, sei que foram criados diferente, só queria que houvesse essa mesma aceitacao deles pra comigo tb. Tenho a impressao que eles querem me colocar na caixinha que eles preparam pra mulher do filho deles, e nao simplesmente pegar, do jeito que veio, essa caixinha colorida e cheia vontade prórpia que o filho no final acabou escolhendo.

      Obrigadao pela forca!!

      Excluir
  2. Ai Bárbara, taí um tópico complicado, viu? Eu cheguei à conclusao que pelo menos uma vez, você tem que explicar com todas as letras aquilo que você pensa de verdade. Na minha experiência: nao dá para ser muito sutil com os alemaes. Eu sou uma pessoa que tenta evitar conflitos ao máximo e que "engole muito sapo". Mas tem horas que simplesmente nao dá. E principalmente a partir da gravidez e depois com o netinho no colo tem que ficar bem claro para todos os envolvidos até onde cada um pode chegar. Acho que seus sogros estao querendo participar deste momento seu, querem saber tudo o que está passando com você, mas acabam reagindo com cobrancas. Isso deve até piorar quando o neném nascer, sabe? Entao, eu tentaria estabelecer alguns limites ainda agora. Quando eles ligarem, te cobrando, seja sincera e diga o que você está pensando. De repente até diga que determinado assunto pra você é particular e que você prefere nao dividir com ninguém.
    Meus sogros me entenderam em duas vezes em que fui mais dura.
    Uma vez quando eles estavam falando mal de determinado assunto de um membro da minha família. Eu disse bem claramente que nao tolero que falem mal de minha família. Eles ficaram meio chocados com o meu tom de voz e com a escolha das minhas palavras (pois geralmente sou bem sutil), mas depois eles me respeitaram e me pediram desculpas.

    Numa outra vez, teve um episódio em que minha filha estava fazendo muita birra, estava todo mundo meio irritado, com fome em um restaurante e a minha sogra ficava colocando lenha na fogueira, sabe? E isso depois de uma semana de férias com eles, eu já estava beeeem nervosa (nao que eu nao goste da companhia deles, pelo contrário, mas é sempre complicado passar tanto tempo com sogros rsrsrsrs), entao, naquela situacao do restaurante em que os comentários da minha sogra estavam piorando ainda mais a situacao eu lhe disse: Sogra, se você nao tem nada de bom a acrescentar, por favor nao diga nada.

    Ficou um silêncio sepulcral na mesa, te garanto. Mas depois veio a minha sogra toda mansinha, tentando me agradar, até me abracou, hahahaha!

    Entao, tente usar as armas deles neste momento, seja direta e diga claramente aquilo que você quer. Nao precisa ofender, mas acho que faz bem pra alma! Ainda mais pra alma de uma grávida :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadao pelas dicas Karen!!

      Olha, em março quando eles estiveram por aqui a gente sentou e conversou. Eu expliquei tudo o que estava me incomodando, expliquei que eu sou quieta e mais reservada e no fim todos nós pedimos desculpas e nos comprometemos a respeitar o espaco do outro e reconhecer as nossas diferencas. Foi ótimo, fiquei hiper aliviada, achei "agora sim vou poder ter meu filho em paz, sem me estressar muito". Mas foi voltar à rotina que parece que tudo voltou a ser como antes. E o pior é que cobrando que eu escreva já que eu disse que prefiro escrever a falar no skype... porque nao pode ser no meu ritmo, tem que ser no deles...

      E sabe que nao é por falta de agrados, eles tentam mesmo me agradar e ser próximos de mim, mas talvez seja isso, é demais pra mim, essa busca permanente de me agradar, com palavras e com objetos. Eu nao sou do tipo de pessoa que abraca e beija e diz eu te amo! (ah eles nao sao alemaes, sao brasileiros mesmo, a alemoa de temperamento aqui sou eu) Eu me sinto constrangida com essas demonstracoes de afeto vindas de gente q nao da minha família. Pra me agradar nao precisa muito, é só respeitar o meu espaço e as minhas opinioes que tá tudo em ordem.

      Enfim, obrigada mais uma vez!!
      beijao

      Excluir
  3. Oi, se eu for de contar como já passei por episódios tristes com a familia do meu marido, também daria um livro...
    Primeiro devido eu ser 5 anos mais velha... começou aí!! depois vieram outras coisas.
    Hoje convivo bem com eles, as vezes reclamo com Ivan e as vezes guardo comigo mesma.
    E sei que sou uma pessoa de personalidade também nada fácil, logo tento amenizar...

    Bom, você não retornou o e-mail, pra você ficou bom na segunda???
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!!

      Claro que tem coisas que sempre vao gerar atritos, faz parte dos relacionamentos humanos né?! Afinal ninguém é perfeito, todos nós temos as nossas dificuldades e birras. Eu só queria um pouquinho mais de compreensão, não precisa ser grande coisa sabe, mas só o fato de respeitarem as nossas opiniões sem receber no final um "mas eu faria diferente" ou "porque vcs nao fazem assim" ou ainda aquele olhar de decepção... Mas enfim,com o tempo espero que as coisas se resolvam!
      Obrigadinha pelo recado!

      Excluir
  4. Oi... acabei de ler seu e-mail... rsrsr
    Certo então pra segunda!!!
    beijossss e até lá
    PS>: qualquer duvida me ligue ou mande e-mail

    ResponderExcluir
  5. Ai Babi, acho realmente triste seus sogros nem entenderem e respeitarem a pessoa que você é! E eles nem percebem o quanto eles magoam você com isso. Nem tenho dicas pra dar nem nada, porque nunca passei por uma situação assim. Só posso dizer pra você tentar não se abater com isso. Você é especial e perfeita do jeito que é! Se as pessoas não conseguem lidar com isso, o problema está nelas, e não em você!
    Mas acho que a distância é um dos fatores que piora muito essa situação, porque pra algumas pessoas é muito difícil lidar com ela, e acho que esse é o caso dos seus sogros.
    Bom, espero que com o tempo eles consigam enxergar a pessoa que você é, e respeitar você como você merece!
    Mas não se deixe abater não, tem muita gente que gosta de você e te admira como você é, viu?
    Saudades Babi!!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo apoio Carla!! Tenho certeza que a distância é responsável por muitos dos mal entendidos sim, por isso tente relevar ao máximo mesmo as minhas impressões. Mas tem dias em que realmente me afeta e me deprime pensar que o meu jeito não agrada sabe... é muito mais uma insegurança minha eu sei, mas sei lá, me deixa triste porque eu sei que sou uma pessoa legal, apesar de ser "diferente" e ter idéias consideradas doidas...

      Enfim, saudades enormes de poder conversar com você pessoalmente!!

      beijão grande

      Excluir
  6. Oi Babi!

    Acho que é difícil achar alguém que não tenha problema com sogra ou sogros, ao menos em algum momento do casamento.
    O meu caso é o oposto do teu. Eu sou muito extrovertida, falante. E isso também é um problema, pois a minha sogra acha que pode fazer o que quiser, se meter o quanto quiser na minha vida (ela é brasileira). Hoje percebo que se eu fosse reservada, seria melhor, pois não daria espaço e nem intimidade para intromissões. A família do meu marido se mete demaaaaaais na nossa vida, por eu sempre ter dado muita satisfação. A minha sogra quer até opinar sobre as nossas férias. Tudo tem que ser debatido em família. Se tomamos uma decisão e ela fica sabendo, liga para todos os outros 3 filhos para fofocar. Pensa no inferno! Hoje estou lutando para delimitar o meu espaço. Até na psicóloga eu fui, para me ajudar a lidar com a família do meu marido, aquilo estava me enlouquecendo.
    Tenho uma cunhada que passa pela mesma situação que vc. Ela é super reservada e os meus sogros não aceitam bem a personalidade dela. Ainda mais a sogra... Vive falando da menina, reclamando que ela é muito quieta.
    Mas te digo: seja você mesma, pense na tua família (vc, o Lukas e o baby). Se ficar tentando agradar todo mundo, vai ficar mal com vc mesma. Com o tempo eles irão aprender a te respeitar e aceitar o teu jeito. E se não aprenderem, o problema é deles Babi. O importante é você estar bem no teu casamento.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lorena!!

      Pois é, sei que é absolutamente normal ter problemas com sogros em algum momento do casamento. Afinal são pessoas com histórias e vivências muito diferentes com um ser amado em comum. Sei também que nao deveria reclamar porque apesar de tudo os meus são pessoas íntegras, e muitas mulheres sofrem muito mais do que eu, com coisas muito mais sérias. Por isso mesmo escrevi de tristeza, e não raiva ou rancor... é aquele desânimo que aparece de vez em quando (especialmente nas mudanças hormonais) que me fazem sentir inferior e atacada na minha essência de ser quem eu sou e de buscar incessantemente ser assumidamente essa pessoa que decidi ser. Sei que não dá pra agradar todo mundo e longe de mim querer se alguém que não sou só pra agradar os outros... É só uma sensação de impotência que dá de vez em quando. E eu amo meu casamento, amo o marido que escolhi só queria nao ter que lidar com essas minhas inseguranças... mas, faz parte da vida né?!!

      beijão e obrigada!

      Excluir

Conte-me o seu segredo...