For my international friends

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Da privacidade

   Estávamos ontem assisitindo um filme super aconchegantemente quando toca a campainha. Sabíamos que eram os vizinhos que vieram buscar uma pacote que foi deixado aqui pelo correio já que nao os encontraram em casa na sexta-feira. O fimle já estava quase no fim, decidimos nao atender e levar o pacote lá mais tarde. Assim que terminou o filme decidimos ir tomar banho e a primeira coisa que pensei foi : "ah, mas os vizinhos vao saber que a gente tava em casa e não quis atender a porta" (sao os vizinhos de baixo, no predio a gente sempre ouve quando o apê de cima está usando o chuveiro). Mas daí o Lukas me disse que os alemães não pensam assim, que pra eles se alguém nao quer atender a porta porque está fazendo alguma outra coisa, ou mesmo porque não está afim, ele não vai fazer e nem vai se sentir culpado por isso, e nem as pessoas que foram "rejeitadas" vao se sentir mal por isso. E aí fiquei pensando que eu quero se mais assim... que é um saco ter que largar tudo que vc está fazendo pra atender o telefone ou a porta só porque a pessoa que está lá do outro lado vai ficar chateada ou pensar qualquer tipo de besteira.  
   Eu na realidade sempre achei um saco ter que estar disponível e sorridente sempre que alguém quer alguma coisa de mim... Às vezes deixava o telefone tocar até o fim só porque nao tava afim de atender e sempre me senti meio culpada por isso, especialmente porque normalmente depois vem a pergunta cretina da pessoa que ligou: "Porque nao antendeu o telefone?" Será que às vezes as pessoas nao podem simplesmente decidir se é um bom momento pra elas ... e vai que ela estava no banheiro?!! E como celular as coisas ficam ainda piores...
   Também sempre tive dificuldade com aquela visitinha inesperada, de pessoas que tocam a campainha da sua casa só porque estava passando ali por perto... Nao sou contra espontaneidade, mas nessas horas acho mais conveniente ligar antes de simplesmente aparecer de surpresa na casa das pessoas (pra isso sim o celular é útil). Sá uma ligadinha, e veja se a pessoa está realmente disponível pra te receber... é menos constrangedor dizer: "olha, no momento estou meio ocupada, pode ser outro dia?"  pelo telefone, do que quando a pessoa já está parada na sua porta louquinha pra entrar!

2 comentários:

  1. Resgatado do Disqus:

    - OI Bárbara! você já esta pegando os costumes alemães :) :) Eu com certeza iria abrir a porta (mesmo ficando p)... boba eu né!? beijoss - Ana Gaspar

    - pois é, eu na verdade sempre tive o chip alemao instalado... mas sempre me recriminaram por eu pensar desse jeito, mas daqui pra frente as coisas vao mudar... - babisenberg

    ResponderExcluir
  2. Resgatado do Disqus:

    - Sabe que eu também penso assim?Mas é difícil se livrar da culpa, pelo menos pra mim... SEi lá acho que fomos criados para sermos acessíveis, no sentido de estar sempre à disposição e sorridentes, né? E o duro é ouvir comentários da minha família do tipo: ai Karen vocÊ está muito alemã.... :-( - Karen

    - pois é,o problema é sempre a diata culpa que a gente sente. Porque será hein?!! - babisenberg

    ResponderExcluir

Conte-me o seu segredo...