Pular para o conteúdo principal

Lua de Mel - Oberwesel e St. Goar (escrito 02/09/2010)

Acordamos (dia 01 de setembro) relativamente cedo, já que o Lukas tinha que trocar o carro de lugar, uma vez que este ficou estacionado num lugar que poderia vir a ser multado a partir de certo horário. Mas como no dia anterior não havíamos encontrado nenhum outro no qual não precisasse pagar, ficou mais prá fora da cidade mesmo, o que aqui não é nada longe. Tomamos café da manhã no hotel, com direito a iogurte e ovo cozido, tudo uma delícia. Começamos então nossa exploração da cidade; primeiro fomos ao mercado nos abastecer, em especial de água prá agüentar a caminhada. Na volta passamos num posto de informações turísticas e munidos de um mapa seguimos pela trilha até o castelo da cidade (Schönburg - http://de.wikipedia.org/wiki/Sch%C3%B6nburg_(Rhein) – só encontro informações em alemão, nem inglês tem...). A subida não foi muito difícil, mas ainda assim cansativa, já que ainda estávamos cansados das viagens. A vista lá de cima é bastante bonita, da cidade e do vale, mas o castelo não tinha muita coisa, lá funciona um hotel e uma outra coisa que me pareceu algo tipo uma casa de retiros, ou prá estudantes, enfim, propriedade particular, visitar só o exterior...
o centro da cidade
a caminho do castelo
a vista lá de cima
Schönburg
Descemos o morro e fomos procurar um lugar prá almoçar, acabamos parando num “Döner”- agora em português: http://pt.wikipedia.org/wiki/D%C3%B6ner_kebab – prato gigantesco ainda que tenhamos pedido o menor deles. Constatamos durante esse almoço que a cidade tem muitas crianças e velhos, difícil encontrar pessoas da nossa idade... acho que só nós mesmo prá gostar de visitar cidades velhas!!! Passamos numa igreja, mas não entramos porque estava tendo alguma coisa; fizemos mais um caminho que margeia uma parte dos muros da cidade, olhamos por fora mais uma igreja e fomos até o outro lado da cidade e nos sentamos às margens do Reno -http://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Reno - prá descansar e apreciar a paisagem até que começou a ficar frio. Voltamos ao hotel prá eu poder me esquentar um pouco, acabei cortando as unhas e tirando um cochilo de quase 1 hora... qdo acordamos já estava escuro e nós jantamos pão com queijo no quarto mesmo.
conferindo o mapa
antigo muro da cidade
Quinta (dia 02) de manhã dormimos até acordar, sem despertador, foi difícil levantar quando no horário brasileiro ainda são 3h da manhã, o corpo ainda não acostumou com o fuso horário... O café da manhã bom como sempre, nos arrumamos, pegamos o carro e rumamos à St. Goar - alemão: http://de.wikipedia.org/wiki/Sankt_Goar, inglês: http://en.wikipedia.org/wiki/Sankt_Goar - distante 6 Km daqui. É uma cidade do mesmo tamanho desta aqui onde estamos (aos perdidos: Oberwesel), mas bem mais turística. Tem lugar prá estacionar que não precisa pagar,lojinhas de badulaques, muitos hotéis e restaurantes e óbvio, turistas japoneses (vimos logo no começo do passeio uma excursão destes). Primeira coisa a se fazer quando se chega num lugar novo: procurar o posto de informações turísticas e conseguir um mapa, feito isso decidir o quê fazer! Optamos por primeiro ir ao castelo Rheinfels - http://de.wikipedia.org/wiki/Burg_Rheinfels - pega a trilha e sobe o morro... achei que seria como o outro, chega lá em cima, anda só no jardim interno e volta, mas não, este é realmente grande e muito legal de visitar. Paga prá entrar e visita as ruínas. Muito bonito! Os túneis escuros são assustadores mas nos divertimos bastante explorando tudo que podíamos. Passamos 1h30 lá dentro.




Já quase 2h da tarde descemos e fomos procurar um lugar prá almoçar, encontramos um com uma vista legal e comemos Kartoffelklöse (delícia). Passamos rapidamente por uma feira que estava acontecendo ali em frente e fomos então visitar o museu de bonecas e ursos de pelúcia! - http://www.deutsches-puppen-und-baerenmuseum.de/ - Muita coisa velha e legal, é uma casa de 3 andares lotada de brinquedos, parece que a dona restaura brinquedos, muito legal!! Procuramos mais coisas interessantes na cidade prá ver, fomos até 2 torres que haviam no centro, mas descobrimos que são casas de pessoas, imagina morar dentro de uma torre antiga, deve ser muito interessante!! Voltamos pro começo da cidade onde havíamos  deixado o carro e rumamos à Urbar porque sabíamos que lá existe um mirante para Loreley – pt: http://pt.wikipedia.org/wiki/Lorelei, alemão:http://de.wikipedia.org/wiki/Loreley - bem pertinho e muito linda a vista, lugar super tranqüilo.
vista para Loreley
o lugarzinho
Voltamos prá Oberwesel perto das 17h, ainda caminhamos mais um pouco, já que mais uma vez deixamos o carro mais fora da cidade. Descobrimos mais outros lugares interessantes, inclusive um mercado bem mais perto do que o que fomos ontem, compramos chocolate e vinho prá sobremesa. Largamos as coisas no hotel e saímos prá procurar um lugar prá comer uma torta, já que eu estava querendo um doce desde o almoço. Aqui ao lado do hotel encontramos um café-sorveteria e eles tinham tortas, escolhi um Bienenstich -http://de.wikipedia.org/wiki/Bienenstich - (não tão bom quanto o da Oma, mas muito bom) e um cappuccino, o Lukas tomou um expresso e comeu um Apfelstrudel com molho de baunilha. O dono era italiano, conversamos um pouco com ele Tb. Depois de satisfeitos ainda caminhamos mais um pouco por cima dos muros da cidade, vantagens do verão europeu,escurece bem mais tarde, dá prá aproveitar bastante. No hotel mais uma vez pão com queijo no jantar!!! Huuuuuuummmmmmmm...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…