Pular para o conteúdo principal

Ahrensburg

Nosso vizinhos Lucas e Fernanda foram embora na sexta-feira passada. Para nos despedirmos deles os convidamos pra vir aqui em casa e fazer alguma coisa juntos no domingo dia 13... Mas o dia estava muito bonito pra ficar dentro de casa... fomos então passear em Ahrensburg que é uma cidade aqui do lado de Hamburg e que há tempos eu já queria visitar porque tem um Schloss e um parque que nas fotos me pareceram muito bonitos... e também porque a cidade está dentro do perímetro de alcance do transporte público de Hamburg e ainda por cima dentro do Großbereich-Hamburg que significa que meu ticket é válido até lá (e um pouquinho mais pra frente tb).
Fomos de trem até lá, não lembro ao certo, mas acredito que devemos ter ficado quase uns 45 minutos viajando, isso a partir daqui de casa, tem que levar em consideração que tivemos que atravessar a cidade, já que moramos no sul e Ahrenburg fica ao norte... mas valeu a pena!! A cidadezinha parece cidade de interior (não que não seja) e ao redor do Schloss tem um parque bem grande onde dá pra passear bem gostoso.
a primavera dando as caras
A história da cidade remonta ao século XIII, quando os Condes de Schauenburg fundaram o povoado de Woldenhorn (que mais tarde se tornou a cidade de Ahrensburg) e as aldeias vizinhas Ahrensfelde, Meilsdorf e Beimoor. Woldenhorn é mencionado pela primeira vez no ano de 1314. A vila passou para a posse da Abadia Cisterciense de Reinfeld em 1327, e Woldenhorn se tornou a sede de um mosteiro até meados do século XVI.
Schloss Ahrensburg
Após a dissolução dos mosteiros, devido à Reforma Protestante, toda a área passou pertencer ao rei da Dinamarca. Ele recompensou seu general Daniel Rantzau em 1567 com soberania sobre estas aldeias. Seu irmão e herdeiro Peter Rantzau construiu uma residência renascentista na forma de Wasserburg (um castelo rodeado de água), agora o símbolo da cidade, e a igreja do castelo em torno de 1595. É notória a construção de "Gottesbuden" (casas para idosos e desabrigados) bem ao lado da igreja.
a igreja com as "Gottesbuden" - as casinhas brancas
O patrimônio dos  Rantzaus estava fortemente endividado até meados do século XVIII e em 1759, foi adquirida pelo empresário Heinrich Carl von Schimmelmann. Schimmelmann reformou o castelo e vila em estilo barroco e  layout atual da cidade reflete essas reformas.
Schloss Kirche
Em 1867 a cidade se tornou uma comunidade independente da Prússia e mudou seu nome pra Ahrensburg por decisão dos moradores. Quando Ahrensburg recebeu foros de cidade em 1949, a cidade tinha cerca de 17 775 habitantes -  metade dos quais eram refugiados de regiões do leste da Alemanha.
Schloss
Existe também na região um local de escavações da cultura do Paleolítico Superior, chamada de cultura de Ahrensburg pelos entendidos, chamada Tunneltal  de Ahrensburg .( http://de.wikipedia.org/wiki/Ahrensburg)
Mühle
Procurem mais informações sobre a cidade e o castelo aqui:  http://de.wikipedia.org/wiki/Schloss_Ahrensburg,  http://de.wikipedia.org/wiki/Ahrensburg
Depois do passeio os "meninos" ainda compraram  um bolo prá gente comer em casa!! Hmmm
bolo "surpresa"

Comentários

  1. mathiasisenberg
    Enviado em 15/04/2011 as 19:55
    Olá !! Como estão vocês ?
    É bom passar por aqui e lembrar de tudo do ano passado ! =)
    Gostei das fotos dos seus posts (no geral !) bem legal !
    Abraços!
    Tudo de bom pra vcs.


    Lukas
    Enviado em 01/04/2011 as 15:46
    saudades dos vizinhos…
    medo de quem vier a ser os novos vizinho9s tb… uhhhh!!
    será que serao barulhentos??!!??!!??

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. É bem simpático mesmo! Estou querendo voltar lá ainda antes do retorno ao Brasil... nunca mais voltei depois desse dia...

      Excluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…