Pular para o conteúdo principal

Düsseldorf

Düsseldorf é a capital do estado de Nordrhein-Westphalen e foi nosso ponto de partida para uma escapadinha à região ao longo do Rhein (vulgo rio Reno) em novembro de 2012.
uma igreja que nem estava no mapa
nos 15 minutos em que o sol apareceu em toda viagem
Acredita-se, baseado em achados arqueológicos recentes (2012), que a primeira povoação no lugar se deu por volta do ano 500d.C. O Straßendorf (povoação que se origina ao longo de uma estrada, típica na região do rio Reno), e também Fischerdorf (vila de pescadores), recebeu seu nome devido ao pequeno rio Düssel que passava pela vila e que desembocava no rio Reno. É provável que o nome Düssel derive do germânico thusila que significa algo como ruidoso, sussurrante.
foto noturna tirada pelo Lukas
A primeira menção escrita de Dusseldorp numa carta não pode ser datada exatamente, mas acredita-se que  ela seja no mínimo do ano 1135. Foi reconhecida como cidade em 1288. Em 1380 o Graf Wilhelm II decidiu  transferir a residencia oficial do Schloss Burg an der Wupper (sobre o qual escrevo noutro dia) para Düsseldorf e começou a ali construir um castelo-residência para o condado de Berg.
Carslplatz com sua feira permanente
eu e o rio Reno
uma igreja interessante
e essa é a torre da igreja acima
Mas a confirmação do poder e consolidação da cidade veio mais tarde: entre 1510 e 1520  foi transformada em cidade de residência dos duques de Jülich, Clevers e Berg, e a Rathaus foi construída em 1570-73. Em 1679 Johann Wilhelm II von Pfalz-Neuburg, provavelmente o mais famoso governante da cidade, conhecido como Jan Wellem reformou o castelo do conde de Berg, completando-o através da construção de uma galeria, um teatro e uma ópera. Este castelo não mais existe, restou somente uma torre onde hoje funciona um museu marítimo.
Schlossturm - onde funciona no museu marítimo
torre da Lambertuskirche ao anoitecer
Apesar da Guerra dos Sete Anos e da ocupação francesa a cidade continuou a crescer no século XVIII sob  o governo de Carl Theodor. Um ataque francês não deixou a cidade sem consequências: parte da cidade foi destruída. Entretanto Napoleão também trouxe melhorias: sob o governo do cunhado de Napoleão, Murat, surgiram a Königsalle, a Heinrich-Heine-Alee e alguns parques.
Rheinuferpromendade - mais uma do Lukas
Justizministerium - um predio bonito
Depois do Congresso de Viena de 1815 Düsseldorf passou a pertencer à Preußen (Prússia). Estes fizeram da cidade a capital da província de Rheinland.
Marktplatz no centro antigo com a estátua do Jan Wellen e a Rathaus
Na Königsalle, ou somente Kö, rua de lojas de marcas famosas
Jagdschloss, hoje Museu Goethe
Os 243 ataques aéreos durante a Segunda Guerra Mundial deixou muitos destroços. Quando ela começou a ser reconstruída em 1945, a cidade já era a capital do estado de Nordrhein-Westphalen. Atualmente é uma cidade moderna, com reconhecimento internacional.
Marktplatz com a Rathaus

fontes:  http://www.duesseldorf.de/touristik/wissen/geschichte/index.shtml;
http://de.wikipedia.org/wiki/D%C3%BCsseldorf



Comentários

  1. Que aula de história hem!!!!! O mais gostoso é entender um pouquinho e ver as fotos...
    beijossss

    ResponderExcluir
  2. Que lindas as fotos Babi!!
    Cidadezinha agradável! Pena só que o tempo não ajudou muito, né?
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu nem achei isso tudo não... Agora que li mais sobre a história até achei interessante, mas é cidade grande demais pro meu gosto! Não têmtantos cantinhos legais do jeito que eu gosto... hehehheh

      beijo

      Excluir
  3. Ate hoje nao conheco Düsseldorf :-( parece bonita e de historia interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hmmm, na minha opinião não perdeu muita coisa... eu achei ela movimentada demais... Mas é questão de gosto, se você gostar de um agito, muitas opções de compras e arquitetura moderna estará no lugar certo!!! hehehhe

      beijokas

      Excluir
  4. Parece ser uma cidade grandiosa! Gostaria muito de visitá-la! Beijao e otimo final de semana!

    ResponderExcluir
  5. Legal ver outra visão de uma cidade que fui e ter novos olhares de coisas que vi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto de ver com outros olhos coisas que já conheci, tem sempre alguma coisa interessante que a gente deixou passar!

      Excluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…