Pular para o conteúdo principal

Passeios - parte 4 - Um die Aster

Como vocês estão sabendo, na terça-feira passada eu torci meu pé e fiquei de molho por essa semana, por isso não fizemos nenhum passeio nesses dias... Mas ainda faltava p-ostar as fotos do passeio do sábado anterior ao acidente... Então agora aí vão elas... Esse foi um dia especialmente bonito que deu aqui, mais uma vez um sábado ensolarado, com um vento meio frio, mas bem bonito... Já quando acordamos estava assim, por isso saimos logo depopis de tomar café da manhã, sem nos preocuparmos de voltar pro almoço ou de ter que cozinhar alguma coisa, isso foi resolvido só depois que voltamos, lá pelas 3h da tarde... Pegamos o metro até a estação central de Hambrug e de lá fomos à pé até o lago que fica ali no centro, o Alster! Foi ali que o Lukas teve as aulas de vela dele no verão, mas como vcs poderão perfcber nas fotos, apesar do vento gelado, ainda tinham muitos "malucos" velejando... Pro povo aqui temperaturas baixas é coisa normal, e pode estar o tempo que estiver que esles estão fora de casa, queria ver um brasileiro velejando no frio que estava... pelo que me lembre passamos por um termômetro que marcava algo em torno dos 8°C, mas com a ventania, a sensação devia estar bem mais baixa que isso... Fiquei pensandoo que o papi deve ter dessas loucuras no sangue, pq eu lembro de uma vez, há alguns anos atrás terem eles ido velejar em pleno julho lá em Porto Mendes... Acho que até eu fui passar uns dias de férias ali... estacionamos o busão na beira do rio, veleiro montado e o camping só prá nós... o pior que eu me lembre era tomar banho naqueles banheiros gelados, a água não era lá muito quente.. Mas foi divertido, faz um tempão isso, mas que eu lembre foi bem divertido, bem melhor do que ir no verão e ter que escutar "música de corno" dos vizinhos, como da última vez.... Enfim, voltando ao nosso passeio... andamaos pela maregm do lago, apreciando a paisagem... aquela região é cheia de casas chiques, é uma das regiões mais nobres da cidade, com a vista pro lago e tal... até a embaixada americana (??será que era isso memso, ou era o consulado??? nao tenho mais certeza) fica ali, destoa de todas as outras construções, mas enfim, são americanos, não dá prá levar eles muito a serio mesmo... Bom, então divirtam-se com as fotos e depois que eu conseguir andar direito de novo e fizermos mais passeios posto as fotos aqui de novo!!!
beijos à todos!!

























Comentários

  1. lukasgg
    Enviado em 04/11/2010 as 10:16
    ahhh e os tios que tombaram o veleiro faltaram a aula de desvirar veleros, pq eles fizeram uma lambança atrás da outra, além de ficar um tempão pra desvirar… bom… ali não é tão problemático, pq não tem um rio que te leva em direção a turbinas de uma hidrelétrica, e tem v´rios barcos de patrulha tanto dos clubes de vela, quanto da polícia… em poucos minutos havia já um barco por perto para ficar dando palpite para os velejadores…


    lukasgg
    Enviado em 04/11/2010 as 10:14
    faltou lembrar o incidente com a bicicleta nesse dia…
    a Babi achou umas árvores lindas do outro lado do caminho e queria tirar umas fotos super espontâneas por lá… o problema é que para chegar nas árvores tinha que atravessar a ciclovia… bom… como vocês devem imaginar, aqui na Alemanha (não tanto em Hamburg, pq tem muito turco) mas na Alemanha, onde tem alemães, você põe o pé na rua para atravessar e ao invés da buzinada brasileira, você vê o motorista reduzir e ainda gesticular para você atravessar (Göttingen era assim em grande parte… só não nas mega-avenidas)… Mas o que eles tem de gentileza e cuidado na rua, eles têm de brasileirice na ciclovia… pra que desviar??? a ciclovia é para bicicletas e eles tacam a bicicleta em cima, sem frear… só tocam aquele sininho ridículo e querem que você saia da frente… bom… o que aconteceu é que a Babi não olhou pra trás e vinha uma bicicleta… eu me toquei e tentei puxar a Babi devolta, mas ela é teimosa e queria continuar… reumo da obra, a mulher da bicicleta (sorte… se fosse homem tinha atropelado a gente) fez o maior esforço para desviar (ela se deslocou 2m da sua trajetória) e soltou uma “so wird es schwierig!” uma reclamação gentil dos alemães… bom… eu olhei com cara feia pra ela… por isso talvez não saiu nada pior… a Babi ficou apavorada, com os joelhos moles, e perdeu completamente o interesse nas árvores só de medo/vergonha de ser atropelada por uma bicicleta… coisas da Alemanha…

    renate
    Enviado em 04/11/2010 as 0:10
    Hum, adoro feiras…
    E aquela estória da árvore onde os galhos crescem ao contrário…estranho!!!!

    MisOneNigga-simone
    Enviado em 03/11/2010 as 19:43
    Ah, que lindo! *–*
    Suspirando aqui de ver essas fotos lindas!
    Qndo for pra minha Lua de Mel dou uma passadinha aí..
    Hehehe *sonho*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…