Pular para o conteúdo principal

Nossas "Bodas de Papel" em Berlin

   To com uma preguiça danada de escrever, mas sei que se não fizer logo vou acabar não fazendo, então, enquanto eu espero a mami aparecer no msn vou escrever um pouco sobre a nossa viagem pra Berlin.
Dentro do trem
A gente escolheu Berlin porque anda chovendo muito por aqui, e com medo de nos arriscarmos em algum lugar sem muita coisa interessante pra ver em caso de chuva, decidimos que Berlin seria um boa opção, já que eu ainda não conhecia. E com a variedade de museus que tem naquela cidade, poderia ter caído o maior pé d'água que a gente, ainda assim, não teria a menor dificuldade em decidir o próximo museu a visitar.
Berlin Ostbahnhof
Saímos de casa na sexta-feira de manhã, sem muita correria no entanto, já que o trem saia de Hamburg em torno das 10:30h. Ainda assim chegamos bem cedo na Hauptbahnhof (estação de trem), já pudemos entrar no trem e escolher bons lugares. O primeiro trecho foi até Schwerin, porque viajamos de trem regional, que é diferente dos famosos ICE's, que também são bem mais caros e rápidos, mas a gente gosta de ir de trem regional, porque dá pra ir apreciando a paisagem! Ficamos morrendo de medo de perder a conexão em Schwerin porque o trem teve sei lá eu que problema no meio do caminho, dos aproximadamente 20 minutos de conexão, nos quais iríamos almoçar nos restaram apenas dois pra trocar de trilho e subir no trem rumo à Berlin. Essa viagem também foi bem tranquila, fomos comendo as bobagens que a gente tinha levado na mala.

Berlin Hauptbahnhof
   Em Berlin Hauptbahnhof (estação gigantesca por sinal) chegamos lá pelas 14:30h e seguimos com um S-Bahn até Berlin Ostbahnhof, onde ficava nosso hotel. Ficamos num Ibis mesmo, tava com uma super promoção e como é só pra dormir mesmo vale qualquer coisa, não que eu ache Ibis ruim, pelo contrario, dos hotéis de rede acho que é um dos melhores, mas como turismóloga a gente sempre tenta dar prioridade aos estabelecimentos locais, pro dinheiro ficar na propria cidade ou pelo menos país (colegas de profissão vão me entender, os outros não se preocupem em entender se não quiserem), mas enfim, largamos as malas lá e já voltamos ao centro pra começar a conhecer as coisas. Compramos um ticket de 72 horas pra usar todo tipo de transporte público em Berlin e também em Potsdam (cidade ao lado, a capital do estado de Brandenburg que circunda Berlin). O nome do ticket é "City Tour Card" pra quem tiver interesse em saber! Eu recomendo, vem com um livrinho com alguns lugares onde você pode ganhar descontos por ter o ticket e também um mapa da cidade e das linhas de metrô, super útil. Pode ficar tranquilo com isso, nao precisa fazer como nós que ainda compramos o mapa turístico por 1euro nas informações turísticas, foi a maior furada a viagem, o mapa não era melhor do que o que a gente já tinha e nem tinha informação nenhuma sobre pontos turísticos, além do que o tiozinho lá me deu um em inglês, sendo que eu pedi em alemão... nota zero prá eles!! hehhehe

   Ah, detalhe, nesse dia quase morremos de calor, porque o tempo resolveu nos dar uma ajudinha e em vez de chover fez um calorão de 33°C... quase derretemos caminhando pela cidade..., sério... me senti no Brasil, suor escorrendo, cansaço absurdo, mas já que a gente tava lá não dava pra ficar dentro do quarto do hotel com ar-condicionado né, por mais que a gente quisesse muito fazer isso.... ehhehheh...
Então lá fomos nós, sob o sol escaldante de Berlin a partir de Hauptbahnhof em direção ao Bundestag (parlamento alemão), de lá seguimos pro famoso Brandenburger Tor... Tava lotado de gente na rua, o que era de se esperar, ainda mais com o calor que tava fazendo né... vão ver mais adiante na foto que vocês vao ter que me procurar em frente ao Brandenburger Tor de tão cheio que tava.

Bundestag

Bundestag

Brandenburger Tor
Bom, por hoje chega, já cansei, passei o dia todo no computador arrumando fotos, fazendo convite de aniversário do papi... vou esticar as pernas e quem sabe amanhã continuo contando o que a gente fez em Berlin! beijos

Comentários

  1. Que legal o passeio de vcs...PARABÉNS pela Boda de Papel!!! Que Deus continue abençoando a união de vcs!!! Bjs Carla

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…