Pular para o conteúdo principal

Passeios - parte 7 - Stadtpark Hambrug

Prá quem acha que só porque lá fora está nevando, e relativamente frio, as pessoas ficam enfurnadas dentro de casa curtindo seu aquecimento, está redondamente enganado!! Por aqui é super normal o pessoal sair de casa mesmo no maior dos frios, e não só por causa das obrigações da vida como trabalhar e estudar, por exemplo... Prá gente como nós, nascidos e criados nos trópicos, é uma coisa meio estranha, o normal em dias feios e nublados do lado de fora (prá quem pode) é ficar debaixo das cobertas assistindo um bom filme, com uma boa companhia esperar o dia passar porque mesmo no dia seguinte dificilmente vai ser igual, provavelmente o sol vai estar raiando lá fora novamente e as temperaturas um pouco mais amenas (se vc mora em Curitiba isso ainda pode acontecer no mesmo dia, mas enfim...).
Nós aqui, como bons descendentes de alemães entramos na onda, e foi só ver o sol maravilhoso lá fora no sábado passado que tomamos café da manhã rapidinho e saímos belos e formosos passear no frio lá fora (acho que estava algo em torno de -3°C no nosso termômetro, mas ele sempre marca mais que a temperatura real, o da rua dizia -6°C). Largamos tudo do jeito que estava na cozinha e fomos nos aventurar no frio e na neve!!! Fomos ao Stadtpark de Hamburg... ele fica mais longinho aqui de casa, precisamos pegar 2 trens prá chegar lá, mas é coisa super simples. Prá Letícia que estava em dúvida se a gente poderia fazer passeios ao ar livre mesmo no maior dos frios quando eles vierem pro ano novo, abaixo vão algumas fotos do nosso passeio... Foi coisa rápida, acho que andamos pro lá cerca de 1 hora, depois começa a ficar meio frio, o nariz especialmente... esse parque é bem grande também, não visitamos muita coisa, devemos voltar lá mais vezes prá conhecer as outras partes que não vimos dele no sábado!! Ele está localizado mais na parte norte da cidade (nós moramos no sul). Quem quiser maiores informações encontra aqui: http://de.wikipedia.org/wiki/Hamburger_Stadtpark e aqui: http://www.hamburg-stadtpark.de/. Sei que lá tem um planetário, que é bem legal, ainda não entramos, mas está nos planos... E obviamente tem mais coisas, mas quando as visitarmos posto aqui, não posso falar de coisas que não conheci...










Comentários

  1. babisenberg
    Enviado em 01/12/2010 as 15:01 | Em resposta a Karina.
    é bem isso aí, depois de uma parada básica em algum lugar prá dar uma esquentada, é continuar em frente e descobrir mais coisas…


    lukasgg
    Enviado em 01/12/2010 as 14:06
    realmente acho linda essa época do ano, principalmente quando tem esses dias de sol e frio, e que a gente pode passear na neve… ainda mais com uma gatinha como a Babi… hehehe… e sério gente… nem é tão frio… baixou do 0° precisa muita coisa pra gente começar a sentir frio denovo… pq o casaco pra 3° de curitiba é o mesmo que pra -10° por aqui… menos que isso é que começa a ficar frio denovo… principalmente nas pernas e pés… mas isso é conversa pra próxima experiência provavelmente…

    Karina
    Enviado em 01/12/2010 as 13:42
    Eu acho fantástico passear no frio quando o sol nos acompanha. Na hora que o nariz der sinais de muito sofrimento, o lance é se abrigar num café, esquentar com um chocolate quente e depois seguir em frente com a aventura gelada!! Bons passeios!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…