Pular para o conteúdo principal

Deichstraße Hamburg

A Deichstraße é uma rua do centro de Hamburg que preserva os últimos exemplos arquitetônicos de casas antigas na cidade. Como quase todas as outras cidades aqui da Alemanha, ou ela sofreu com a Guerra, no caso de Hamburg não sobrou muita coisa mesmo, porque né, cidade portuária, uma das mais importantes, daí já viu... e também porque o que as cidades por aqui gostam de pegar fogo... nunca vi... em todo lugar que a gente vai tem pelo menos um relato de um grande fogo que destruiu quase a cidade toda. Acredito que muito disso é porque as construções são geralmente emendadas umas nas outras e feitas de madeira/palha ou sei lá o que mais que queima absurdamente bem. Enfim... o importante é que vocês entendam que em Hamburg não tem quase coisa "velha", pra minha tristeza. Mas ainda assim, apesar de todos pesares alguma pouca coisa sobrou de tempos mais antigos na cidade. É por isso que essas casas, tem um valor histórico e turístico bastante importante pra cidade de Hamburg.
                      
                                                         Localização da Deichstrasse

Esse agrupamento de casas, como o próprio nome da rua já nos diz (Deichstraße = rua do dique), foi construído sobre o dique que separa a rua do Nikolaifleet (nome do canal). Antigamente as áreas dos diques foram usadas para construir casas, uma vez que com o comércio em Hamburg crescendo sempre tao rapidamente chegou uma hora em que não havia mais outro espaço disponível. O complexo de casas é composto por casas em estilo enxaimel, que do lado da rua mostram suas fachadas típicas mais bem cuidadas e elaboradas, e do lado do Fleet(canal) deixam mesmo as madeiras aparecendo. Nos fundos das casas existem portas que permitiam(-em) o descarregamento de mercadorias, por meio de roldanas, diretamente para dentro da "despensa" das casas.

       as fachadas da frente
o lado dos "fundos"
Na parte da frente das casas ficava normalmente a parte de moradia: a sala de estar, escritório, e os típicos salões/corredores. No entanto, é praticamente impossível encontrar alguma casa ainda com a divisão original, já que ao longo dos anos elas foram sendo reformadas e hoje abrigam lojas e restaurantes. O edifício mais importante é o de numero 37 (Althamburgisches Bürgerhaus), que apesar de passar pelas reformas e modificações no século XIX e sobreviver aos bombardeios da Guerra, ainda mantém boa parte de sua estrutura barroca e mobiliário autênticos. 
do lado do Nikolaifleet

As casas da Deichstraße sobreviveram ao Grande Fogo de 1842, que ironicamente começou nessa mesma rua, à Segunda Guerra Mundial, e às inúmeras demolições ocorridas entre 1950 e 1980. Esse tipo de contrução  unificava moradia, trabalho e armazenamento. Após o fogo de 1842 é que os cidadãos da cidade começaram a separar as moradias de seus lugares de trabalho, mudando a imagem urbana de Hamburg. Os comerciantes passaram a morar mais distantes do centro e virem trabalhar nos prédios comerciais que se tornariam típicos do centro de Hamburg.
aqui dá pra ver que lá encima ficava a
roldana pra fazer os descarregamentos
mais uma casa bonitinha

Através de passagens estreitas entre as casas pode-se chegar ao lado da água onde uma ponte flutuante foi instalada e onde alguns restaurantes montam suas mesas nos meses de verão.
passagem estreita
essas sao as "pontes" flutuantes do outro lado do canal,
mas dá pra ter idéia do que eu estava querendo dizer né


Fontes: Wiki Nikolaifleet; Wiki Deichstr.; Hamburg Tourismus

##Originalmente postado em 03 de maio de 2012##

Comentários

  1. Eu adoro viajar através de sua fotos, saber do lugares onde fica, como funciona o que tem la, muito legal!!
    Dar sempre vontade de está no lugar, e sem falar que vc fotografa muito bem. Lindas fotos
    um grande abraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada Wilqui!! A minha intencao é mesmo fazer vocês viajarem, e também ter um gostinho do quero mais e quem sabe visitzar pessoalmente os lugares?!!
      beijos

      Excluir
  2. oi Babi
    acho Hamburg um charme de cidade...quero conhece-la em breve... adorei suas fotos!!!

    ResponderExcluir
  3. Babi, meu marido é LOUCO pra conhecer Hamburgo!!! Ele tem fascinação pelo porto dai e sempre me diz que todo mundo que ele conhece que já esteve em HH diz que a cidade é demais! Se formos, tem que ser no verão, rs... já que fica no Norte e deve ventar muito. Outra coisa que temos muita vontade de fazer, quando formos em HH, é ir no restaurante do Christian Rach, do programa "Der Restauranttester" da RTL...hahhaa, a gente não perde um! Bjs e bom final de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Sandra, aqui venta muito sim, e no verão é mais suportável mesmo (eu odeio vento hehhe). Sabe que nunca vi esse programa?! Vou ter que dar uma espiadinha um dia desses pra conhecer, já que é daqui né...
      Bom final de semana pra você também!!
      beijos

      Excluir
  4. Oiii

    as fotos sao lindas, como sempre!
    Essas cidades que tem um riozinho no meio tem sempre um charme todo especial...
    bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Anna!

      Realmente, um rio cortando as cidades aqui sao puro charme!! Agora na primavera entao...

      bjs

      Excluir
  5. Babi, meu marido é eng civil especializado em fogo, ele diz que todo predio mais dia menos dia, pegará fogo! Acho isso tao exagerado e aterrorizante menina, oohh homem paranoico!

    O chato disso é que no invenro tenho que ter o MAIOR cuidado com velas, porque marido é um chato com esse tema :-/

    que lugar lindinho, adoro saber historia da guerra e do pos guerra, como esse povo trabalhou pra transformar o país. Admirável.

    vc moram em Hamburg?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nina!! Moro em Hamburg sim!!Apesar de ser apaixonada por vilazinhas minúsculas, mas a gente nao escolhe onde o orientador do marido trabalha né?!! hehehhe

      Sério que seu marido é assim com relacao às velas?? Ele mnao pode vir aqui em casa entao... eu amo velas, tem quase sempre uma acesa

      Excluir
  6. Que lugarzinho gostoso. Me lembra um pouco Amsterdam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao conheço Amsterdam, mas já me falaram que a parte dos canais de Hamburg lembram um pouco a cidade...

      Excluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…