Pular para o conteúdo principal

primeiros dias

Já estamos no Brasil há mais de uma semana. Nos adaptando aos poucos, mas pelo menos o calor escaldante não veio nos recepcionar. As temperaturas estão amenas, ainda assim estamos suando, mas melhor temperaturas na casa dos 20 do que na casa dos 30 né?!

Primeiras coisas que notei por aqui?! 
-O cheiro dos banheiros, e o fato do papel usado não ser jogado dentro da privada mas numa lixeira ao lado faz tooooda diferença; 
- O cheiro de mofo; 
- A má vontade dos atendentes no aeroporto do Rio (falam dos alemães mas o jeito que me trataram pra passar pelo detector de metais lá, deixa e muito a desejar, e ainda tem a tal da copa... nem vou falar mais nada a respeito); 
- O estado mal conservado de tudo (é lixo jogado pelas ruas, é pixação pra todo lado, é cabo exposto aqui e acolá, as casas são feias e muito, mas muito mal cuidadas, raramente se vê um jardim decente, quando ele existe); 
- O barulho da rua (tinha a impressão de que os carros passavam ao meu lado quando estava tentando dormir, isso que estava no 4 andar de um prédio, do lado oposto à rua, numa rua silenciosa;

Enfim, muita coisa pra se acostumar.

Comentários

  1. ai nem me fala!!
    tu sabe que esse fato do papel higienico é praticamente a unica coisa que impede meu marido de pensar na possiblidade de um dia morar no Brasil?
    Nossa, isso é mt horrivel mesmo :-(

    Babi querida, paciencia! e mt amor na volta. 4 anos passam rapido ne?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desagradável né Nina?!!

      Pode deixar que estamos munidos de muita paciência. Se Deus quiser 4 anos passarão voando...

      beijinho

      Excluir
  2. Ahh as janelas da Alemanha! Tudo muito bem vedado e instalado, enquanto aqui no Brasil é aquela gambiarra toda que chamam de esquadrias. Muita paciência pra ti!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Grazi, sinto muita falta das janelas da Alemanha. Também porque eu sinto frio entrando pelas frestas e mesmo pelas janelas, o que se eu disser pra algum brasileiro que nunca tenha reparado nesse quesito, ou nunca tenha tido a experiência de uma janela de vidros duplos, serei taxada de louca...

      Nos munindo de muita paciência! Obrigada!
      beijos

      Excluir
  3. Essa do papel higiênico deu a maior briga aqui em casa, Babi. Minhas irmãs achavam um absurdo, falavam que ia entupir os canos, e blá blá blá. Pois eu pesquisei e vi que não tem nada disso, só se o encanamento for muito antigo e a cidade não ter tratamento de esgoto, aí sim pode dar problema. Papel não entope vaso, e sim cabelo, fio dental, essas coisas. Sobre as coisas mal cuidadas, é impossível não perceber. Uma coisa que me irrita bastante é ver fios saindo para todos os lados das casas. Custa fazer bem feito? E sobre barulho nem vou falar nada, pois já chamei polícia duas vezes pros meus vizinhos só em abril. Não tá fácil pra ninguém, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério que deu certo de jogar papel higiênico no vaso aqui no Brasil?! Eu sabia que aqui os canos são mais estreitos e por isso corria o risco de entupir se fosse jogado papel dentro... Aqui volta e meia vai um dentro mesmo porque nao me re-acostumei. Gracas é que na casa dos meus pais o estilo é alemão, mas nas outras casas que vou sempre preciso me policiar pra jogar na lixeira, e sério, é muito nojento. Acho que então vou continuar jogando no vaso mesmo, especialmente aquele mais sujos né?!hehhehe

      Excluir
  4. Deve ser realmente dificil a tal da readaptacao. Ja vi varios artigos sobre o asusnto, o redescobrimento do seu pais e a dificuldade de se acostumar a certas coisas. Mas isso faz parte ne. Ja faz 3 anos que nao vou ao Brasil e tenho certza que da proxima vez que for, mesmo que so por ferias, sentirei algumas dificuldades, a comecar pelo calor enorme.
    Bjos e boa sorte nessa nova vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é muito fácil não viu Ingrid! Imagino sim que mesmo que você venha só passar férias já vá notar muitas diferencas...

      Excluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…