Pular para o conteúdo principal

Páscoa na Alemanha

A Páscoa por aqui tem algumas tradições um pouco diferentes, e outras nem tanto... Vou fazer um resuminho de coisas que acho interessantes e que estou a fim de escrever.

Aqui os dias "santos" tem nomes diferentes do que a gente está acostumado... Por exemplo a quinta e a sexta-feiras santas. Por aqui a quinta-feira tem o nome de Gründonnerstag (quinta-feira verde). Não se sabe ao certo de onde vem essa denominação. É possível que o nome venha das vestes e aparatos verdes que são usados na igreja nesse dia. Por outro lado existem também especulações que dizem que na Idade Média os pecadores que foram proibidos de entrar na igreja durante a quaresma e obrigados a fazer penitência, podiam voltar a frequentá-la na quinta-feira santa usando adornos verdes simbolizando o perdão de seus pecados. Mas também pode vir do alemão antigo grünen (greinen, weinen - choro, lamento). Mas se esse choro é relacionado com o sofrimento pela iminente crucificação ou com a própria não está claro. Além disso o despertar da natureza nessa época do ano, o desabrochar das plantas e a proximidade da Páscoa, sempre relacionadas a uma nova esperança, um renascimento. Independentemente da fé cristã o verde simboliza esperança em muitas culturas. Em muitas famílias cristãs é comum que neste dia se comam legumes verdes, como por exemplo o espinafre e o agrião. Nos estados católicos é feriado. 

A sexta-feira santa em alemão é chamada de Karfreitag. A palavra Karfreitag deriva do termo "chara" num alemão antigo, que significa lamento, angústia, luto, remetendo aos lamentos pela morte de Jesus já que as pessoas acreditavam que tudo estava perdido. Na sexta-feira santa lembramos da crucificação. É tido como um dia de jejum e silêncio e contemplação.

O sábado de aleluia aqui é Karsamstag. Nas noites desse sábado é comum as pessoas se juntarem para fazer uma grande fogueira, chamadas de Osterfeuer. Como festa popular o Osterfeuer é oficialmente conhecido desde 1559, mas existem vestígios que remetem esse costume a épocas pré-cristãs, especialmente no norte da Europa. Os antigos comemoravam assim o fim do inverno, e pensavam que a luz do fogo tinha um efeito purificador e ajudava a proteger as sementes germinando de espíritos malignos, sendo considerado um ritual para garantir o crescimento, a fertilidade e uma boa colheita. São normalmente feitas de montes enormes de galhos e madeiras. Em alguns lugares costuma-se colocar um boneco de palha no topo da pilha a ser queimada, e são construídas em lugares onde possam estar bem visíveis. A prática é comum especialmente em regiões rurais onde as cidadezinhas fazem concorrência umas às outras para ver quem tem a maior fogueira. As pessoas se reúnem ao redor da fogueira para socializar, tomando uma cervejinha ou um Glühwein e degustando algum grelhado (já que o fogo tá ali né, churrasquinho!! - nunca vi aos vivo então não sei como é, mas que eu aproveitaria...). Aqui em Hamburg o pessoal faz as fogueiras na "praia" ao longo do rio Elbe!!
Osterfeuer
fonte: Wikipédia



Comentários

  1. do disqus:

    - nossa babi, ás vezes acho que é vc que tá estudando mais história do que o Lukas nesse tempo de doutorado hehehhehehe muito bacana esse post bj - Michelle Ernst

    - hahhhah... só não diz isso pra ele!!! eu adoro descobrir coisas, fico horas pesquisando e lendo sobre essas coisas... - babisenberg

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…