Pular para o conteúdo principal

bordados e comidas

Depois que a visita foi embora o jeito foi voltar à rotina... o Lukas foi ainda pras ultimas aulas do semestre e eu comecei a bolar mais passeios interessantes aqui nos arredores pra gente conhecer, continuei o bordado que comprei no começo de junho e também procurei mais receitas novas pra testar. Infelizmente o tempo nao está ajudando muito no quesito passeios, porque toda vez que eu programo alguma coisa legal pra fazer acaba chovendo. E chuva é o que a gente mais está vendo por aqui, especialmente nos finais de semana. Logo no final de semana seguinte ao aniversário do Lukas teve um encontro de bolsistas do DAAD aqui em Hamburg e a gente teve que ir lá marcar presença... valeu pela comida gratuita e pelo passeio de barco pelo porto, infelizmente nao levei a maquina fotografica junto nenhum dos dias, mas de interessante mesmo so teria o passeio, mas com o barco lotado como estava as fotos nem iam sair muito boas mesmo.
junho

julho

O pessoal por aqui está no período de férias de verão, o que é meio estranho, porque sei lá, é julho e não tá assim tão quente, por mais que eu não goste de calor, faz toda diferença quando você ouve alguém falando em "férias de verão". Hoje a gente foi passear um pouquinho no centro de novo, está tendo um festival de vinhos em frente à Rathaus... eu sempre fico admirando a estrutura que esse pessoal tem pra essas feiras... enquanto no Brasil sao montadas aquelas barracas de plástico estilo "feirinha do largo de ordem", aqui eles tem praticamente casas de verdade, de madeira, com um acabamento impecável, e tudo detalhadamente decorado, sem falar nas mesas com toalhinhas e arranjo em cima, que tem muito restaurante que nao tem... mais uma vez estava sem a maquina fotografica, quem sabe volto lá outro dia pra tirar umas fotos... Se acabar nao chovendo o fim de semana inteiro como nos está anunciando a previsão do tempo, quem sabe... Por falar em previsão do tempo, amanhã a gente queria fazer um passeio que há muito tempo venho querendo fazer, mas que nunca dá certo. Tem uma região aqui do lado de onde a gente mora, entre a nossa casa e Buxtehude, que se chama "Altes Land" que é onde tem plantações de árvores frutíferas, em especial macieiras e cerejeiras. A região é bastante conhecida pelas frutas e verduras e no começo da primavera diz que fica maravilhosa com a florada das árvores ( ano que vem quero ir na época da florada). Como é aqui perto e tem muitos caminhos de bicicleta queria aproveitar o verão e ir até Jork que é uma das cidadezinhas que ficam ali... Vai ter que ser adiado mais uma vez pro próximo dia de sol ( ou dia sem chuva, tb serve), nem que seja durante a semana mesmo!! No fim de agosto vai começar a colheita de maçãs, acho que isso tb vai ser bem legal de ver, se o tempo ajudar... Quem quiser dar uma olhadinha: http://www.tourismus-altesland.de/startseite. No wikipedia tem em ingles, mas é bem meia boca, quem nao entende, olhe as fotos pelo menos...
Já que entao só chove o jeito é escolher receitas e testar... hoje mesmo tive vontade de comer "Schnecke", que é aquela massa enrolada com recheio de alguma coisa, procurei uma receita e já testei, ficou ótima, a massa é muito boa de trabalhar... tive que inventar recheio pq nao tinha o que eu queria mas ficou bem bom, algumas alterações na hora de montar talvez, e daqui pra frente começar a variar os recheios... hummmm...
almoço do dia 22 julho

Schnecke

Schnecke feitos hoje
Essa semana também reservamos o hotel em Berlin pro final de agosto, agora resta decidir o que a gente vai ver por lá... o que é a parte mais difícil, porque sério, tem muita coisa pra ver e fazer... pelo menos se chover tem museus de sobra pra gente conhecer, o que foi um dos motivos pra escolher a cidade, do jeito que anda chovendo por aqui ultimamente...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…