Pular para o conteúdo principal

Lüneburger Heide

A mami queria conhecer a Lüneburger Heide que é um tipo de vegetação que tem meio perto aqui de Hamburg. Tem informações aqui: http://www.lueneburger-heide.de/ e http://de.wikipedia.org/wiki/L%C3%BCneburger_Heide (em alemão, o Wiki em português está pavoroso, mas quem quiser, fique à vontade). Quero pesquisar melhor pra poder explicar pra vcs exatamente o que é essa vegetação e tal, mas isso vai ter que ficar pra outro post, hoje vou falar só do passeio. Só me lembro que é uma vegetação que se formou em decorrência do uso da terra pelo homem. A história é bem interessante...

Essa é a paisagem típica que estávamos procurando, e pela qual a Heide é mais conhecida
Não foi difícil encontrar informações da respeito da Heide, mas como é uma paisagem e não um museu fiquei meio confusa no começo pra encontrar algum lugar que pudéssemos ir e ver a tal da paisagem, e não só visitar uma cidade que ficasse dentro da Reserva/Parque. Fucei, fucei e acabei encontrando uma cidadezinha chamada Undeloh que me dizia que tinha um centro de visitantes e com um "caminho instrutivo", com placas explicando sobre a vegetação, animais e etc. Me cadastrei no site deles e pedi pra me mandarem materiais informativos, 3 dias depois chegaram pelo correio vários folders e revistas da cidade e da região. Gostei muito de eficiência, e o material é ótimo também. Decidi então que íamos até Undeloh. Entramos no carro, acionamos o Tchê (gps com sotaque gaúcho emprestado dos irmãoszinhos ; quem leu o blog do Claus sabe do que estou falando) e lá fomos nós, por estradas secundárias até a cidade. Caminho muito tranquilo e bonito. Undeloh, é realmente uma cidadezinha minúscula, mas beeem turística... cheia de lojinhas e placas e ofertas de casas de férias, restaurantes e charretes para passeios. O centro de informações é super completo, acredito que tenhamos ficado lá dentro lendo e vendo vídeos por pelo menos 1h30... Muitas informações e fotos e afins, muito interessante. Acabamos almoçando ali mesmo, porque já era passado do meio-dia. Cada um comeu uma linguiça com salada de batata e/ou pão, e o papi e o Lukas experimentaram uma cerveja típica da região.
a cerveja
Para percorrer o caminho todo demoramos cerca de 2 horas, tiramos muitas fotos. Pena que a vegetação ainda não estava roxa, como ela é tipicamente conhecida, mas foi bem interessante e muitas paisagens bonitas. Deliciem-se:
em frente ao centro de informações
uma das charretes
Lukas com umas das ovelinhas (schnucken)


















No fim do passeio ainda voltamos ao centro de informações de comemos um doce. Experimentamos um bolo feito com a farinha de um dos cereais que nascem na região, sobre isso só posso dizer: interessante. eu fiquei no sorvete. Muito legal esse lugarzinho, quero voltar outras vezes, em especial na época da florada, entre final de julho e agosto, e também quero ver mais de perto as Schnucken (tipo de ovelha), que não chegamos a ver durante o passeio, só tiramos essa foto do carro:


e aí? quem quer visitar mais esse lugar com a gente?

Comentários

  1. Achei o Centro de Informações, desta cidadezinha minúscula, muito, muito bom! Bem compacto, mas com informações precisas e apresentadas de uma maneira agradável, quase lúdica.
    Uma idéia que deveria ser copiada pelo Brasil, pelas cidadezinhas turísticas daqui, nada que envolva milhões de reais, mas algo perfeitamente viável e de acordo com a situação financeira da nossa nação e população.
    um beijo, Babi,esse passeio superou minhas expectativas, obrigada!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…