Pular para o conteúdo principal

Stade

A cidade de Stade (Plattdeutsch Stood) está situada às margens do rio Schwinge,  45Km a oeste de Hamburg, fazendo parte da sua região metropolitana. No ano de 994 é primeiramente mencionada em escritos. Rapidamente se desenvolve, tornando-se um importante porto e centro comercial na região. Durante cerca de 70 anos (1645-1712) ela pertenceu à coroa sueca, sendo bastante influenciada por estes. Em 1659 o “Grande Fogo” destruiu dois terços das casas da cidade.

em Stade
As atrações locais incluem toda a cidade antiga com as suas pitorescas casas estilo enxaimel, das quais apenas poucos exemplares antes do grande incêndio de 1659. Após esse incêndio é que a chamada antiga prefeitura foi construída, datando de 1667.

Altes Rathaus
Duas igrejas no centro da cidade tem significado artístico e importância histórica. A Igreja de St. Cosmae et Damiani, habitualmente referido pelos citadinos como Cosmae-Kirche, possui em seu interior um órgao

Cosmae et Damiani-Kirche
A igreja de St. Wilhadi abriga o órgao Erasmus Bielfeldt, e data da metade do século XIV. Stade é uma das inúmeras cidades na região entre os rios Elbe e Weser que possui órgãos construídos antes do 1900, e que possuem seu significado artístico e histórico. Existe inclusive um grupo especializado e responsável por cuidar deste patrimônio.
St. Wilhadi-Kirche
O porto "velho", do ano 1250, é considerado o mais antigo sistema marítimo e permanece quase inalterado e foi cuidadosamente restaurado. A Schwedenspeicher (depósito sueco),
à direita o Schwedenspeicher
as muralhas de cais com seus degraus escondidos e postos de cadeia,
as escadas
o Holzkran (guindaste de madeira),
Holzkran
o barco "Willie",
"Willie"
o Baumhaus,
ao fundo o Baumhaus
a ponte Hude, o Eisenkran (guindaste de ferro), bem como os prédios comerciais das ruas que margeiam o antigo porto, um dos mais antigos na Europa, conferem ao mesmo uma imagem uniforme e harmoniosa da paisagem marítima da região do Unterelbe (denominação dada à região sul do rio Elbe).

em Stade


Nosso passeio em Stade, foi feito numa tarde, depois de termos visitado Buxtehude (ver post anterior). Infelizmente não passamos mais tempo por lá uma vez que não encontramos nada aberto para que pudéssemos almoçar (era dia 31 de dezembro). Voltamos esfomeados pra casa, compramos um Döner na estacao de trem aqui de casa e os devoramos às 5h da tarde... à noite teve filé com batatas, e sorvete e champanhe depois dos fogos e das buzinas dos navios à meia noite!! Tudo muito bom pra receber o novo ano! Ano que vem quem sabe estaremos nós lá no porto tb comemorando com os hamburger, ooops... acho que não é assim que eles se chamam, mas também não faço idéia de como seja... palpites??!

Feliz ano novo!!

Comentários

  1. Lukas
    Enviado em 14/02/2011 as 13:41
    sempre eu sou o primeiro a deixar comentarios… mas que coisa… bom… vc devia fazer uma regra… quem nao deixa comentarios deveria perder o direito de visitar esses lugares quando vier nos visitar… se vier nos visitar… hehehe

    estou com espirito de malavado hj… hehehe

    te amo gatinha

    vamos passear em Stade na primavera!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…