Pular para o conteúdo principal

de saco cheio

A menos de 1 mês pra nossa volta ao Brasil estou de saco cheio só de pensar... Muitas caixas empacotadas, a casa parecendo uma zona de guerra, mas o que mais me anda tirando do sério são os comentários que preciso ouvir/ler, na real, já desde que nos mudamos pra cá. De como vai ser bom a gente voltar, de como o Brasil não é tão ruim assim, de que a gente é muito ingrato ficando triste por ter que voltar... Porque é tão difícil se colocar no lugar da gente e entender o que estamos passando? Porque é tão difícil um pouco de empatia por parte dos familiares?? Tá, vai ser bom rever todo mundo, claro, nunca disse que não. Mas já não aguento mais me cobrarem a estar feliz por isso. Fico louca só de pensar em ter que passar sabe Deus quanto tempo na casa dos outros, e por mais que a parada mais fixa seja na casa dos meus pais, ainda assim, não é mais a minha casa, sabe, não é mais a casa da minha família, do Lukas, Leopold e eu... E daí ainda tem essa mania de querer dizer como é que eu devo cuidar do meu filho, porque ele não pode comer do jeito que ele come, porque ele não pode ainda estar dormindo no nosso quarto, porque eu não posso deixar ele fazer isso ou aquilo, e as coisas que eu não quero que ela faca, tipo comer doces, ahhh daí ele é tadinho e eu que preciso relaxar e não ser tao rígida... Será que dá pra me dar um pouco de crédito?! To de saco cheio de me tratarem como criança e acharem que eu não sei cuidar do meu filho, e acharem defeito ou terem opinião pra tudo que a gente faz, e nunca, eu disse NUNCA veio elogio algum pra como a gente decidiu criar nosso pequeno, e isso é um saco sabe... Eles acham que estou criando o filho pra eles, pra ficarem exibindo por aí o "netinho", mas e eu? E o meu trabalho?! E as noites que EU nao durmo? E o parto que EU tive que passar? Ninguém tá nem aí... Recebi pouquíssimos parabéns quando ele nasceu (exceto amigas bem proximas e vocês queridas leitoras do blog), já os avós ganharam ovacoes (como se eles tivessem feito alguma coisa),e ainda se acham no "direito" (sim, dizem que tem direito) de saber de tudo... A única pessoa que me deu um presente quando ele nasceu foi minha mãe... pro resto eu sou só a vaca parideira mesmo, que não faz o serviço de criar o menino do jeito que eles querem... Por essas e outras coisa fiz questão que meu filho tivesse também o meu sobrenome, porque acho uma falta de respeito que a mulher passa por tudo isso e ainda quem leva a fama, que dá o nome é a família do pai, acho o FIM!

Enfim, muitos pensamentos desconectados, TPM fazendo estrago na minha mente mais uma vez... Será que nunca vou me livrar disso?!!

Comentários

  1. Ah eu tbm nao abro mao do meu sobrenome nos meus filhos, os tres tem nomes longos, mas disso nao abro mao mesmo! meus sogros tbm reclamaram, ou pelo menos, tentaram, mas nós os fizemos ficar caladinhos, pois essa é decisao nossa, de ambos os pais.

    Olha Babi, tudo isso aí que vc escreveu, eu compreendo 100% mas é assim mesmo, infelizmente, nao tem jeito de mudar, sabe? A cabeca das pessoas, principalmente as mais velhas, nao é possivel ser mudada, Vc vai ter que se adaptar a elas. Nao vai adiantar nada ficar brava. Vc pode bater o pé o qt quiser, e a única coisa que vai conseguir é criar mais animosidade na familia. Porque nao tem jeito. Ou vc respira, conta ate mil e continuar sua vidinha, ou vai ter que virar a bruxa da familia e morar num sitio,bem distante de todos.O que nao é uma má ideia, viu? ;-)

    Eu passei MUITO por isso. Mas a gente tem que relevar. Tanto no Brasil, nao com a minha familia, que sempre ficou na dela, e na verdade, sempre me apoiou mt, sempre confiou na maneira como eu cuidava dos meus filhos, mas da familia do meu ex marido, e das pessoas em geral, e aqui, ouco dos meus sogros. Eles tem a mesma impressao, apesar de eu ter ja dois filhos grandes, que nao fazemos certo com Pedro. Vivem dando livros e quebra cabecas super dificeis pra idade, pra o menino, e gostam de falar que temos que ensina-lo. Ahh fala serio, a crianca tem seu proprio tempo e eu ja faco bastante, tanto que eles ate se surpreendem o qt Pedro se desenvolve mt!

    Mas enfim, querida, te desejo sorte no Brasil E olha, se ninguem te parabenizou, eu o faco, viu? Parabéns por ter tido o seu bebezinho lindo, e ser como é, eu sei, só de olhar que vc é uma mae maravilhosa da qual o Lukas mt vai se orgulhar ;-) E mt calma no brasil, mt mesmo, vc vai viver um impacto com a volta, entao, calma! porque vc ficará angustiada e seu filhinho sentirá tudo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Não faço idéia do que seja ter um filho, mas entendo esse teu sentimento de ter familiares e amigos só a te julgar e criticar tuas escolhas e decisões, sem dar um mínimo crédito. Imagino que vai ser uma fase complicada, ainda mais por ter que voltar ao Brasil depois de viver nesse país maravilhoso que é a Alemanha.
    Muita paciência e força pra vocês, e que essa estadia seja breve!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…