Pular para o conteúdo principal

Hebamme

Já comentei por aqui sobre ser acompanhada por uma Hebamme durante a gravidez. As Hebammes na Alemanha, são o que no Brasil chamaríamos de doulas ou parteiras. Eu gostei tanto dessa assistência delas por aqui que vou contar pra vocês com foi/está sendo comigo. Em geral todas as mulheres grávidas e recém paridas aqui na Alemanha tem o acompanhamento dessas mulheres, tudo pago pelo seguro saúde (pelo menos os públicos).

Logo na primeira consulta com a ginecologista, pra confirmar a gravidez e dar início ao pré-natal, fomos encaminhados à uma Hebamme. Eu não fazia idéia do que era e pra quê servia, chegamos na sala da nossa pela primeira vez meio perdidos. Aí ela nos explicou que aqui na Alemanha o acompanhamento de grávidas é feito alternadamente entre o ginecologista e Hebamme. E assim foi, desde então nossas consultas eram sempre uma vez com a médica  e outra com a Hebamme. E se vocês perceberam, eu não disse nada de médico obstetra, nem sei se aqui tem esse tipo de especialidade... aqui o médico que te acompanha na gravidez é o mesmo que faz seus exames de rotina! Com ela fazíamos os ultrasons e conversávamos coisas mais "médicas", tipo remédios pra tomar, etc. As "consultas" com a Hebamme eram mais conversas sobre o meu estado psicológico, as dúvidas sobre mudanças do corpo, como se cuidar e afins, além dela fazer o exame na barriga só na apalpamento, como era antigamente, sem grandes ajudas tecnológicas pra ver a posição do bebê. E assim foi todo o pré-natal. No parto, como também já havia mencionado (acho), foi tudo feito por uma Hebamme, não a nossa porque partos ela não faz. Ali na hora, a médica (que tinha cara de criança) ficou só observando, quem coordenou tudo dizendo o que fazer, quando empurrar e etc, etc, foi a tal da Hebamme do hospital que estava de plantão lá no dia (no caso noite). E depois de sair do hospital, avisamos a nossa Hebamme que o Leopold tinha nascido e ela começou a vir até aqui em casa pra fazer nosso acompanhamento (meu e do Leopold). Nos primeiros dias elas veio seguido e agora vem aproximadamente 1 vez por semana. Ela dá assistência na amamentação, faz o controle do peso do pequeno, controla o recuo do meu útero, dá dicas sobre cuidados meus e do Leopold, orientou o primeiro banho e assim por diante... É uma ajuda e tanto, eu sou super fã da nossa Hebamme!! Agora não tenho muita certeza até quando ela virá, pelo que me informei elas fazem acompanhamento nas primeiras 8 semanas, que aqui é chamado "Wochenbett", que acho que no Brasil é o chamado puerpério. Vai ser triste quando a Gisèlle não vier mais nos visitar... (carência mode on) E é isso,legal né?!

Quem quiser saber mais (em alemão): http://www.hebammensuche.de/hebhilfe.html

Comentários

  1. é... igualzinho aqui! milhões de ultrassons (acho totalmente desnecessário fazer vários. só faria aqueles mais do que indicados e só!!), médicos e somente médicos, com a maior pressa pra se livrar logo da situação (a maioria) e no fim... faca! cesárea bem rápida pra acabar com tudo de uma vez! em casa? se vira minha filha!!!!!! se não é a boa vontade da mãe da gente pra dar uma ajudinha com alguma coisa...(bom, tô falando sem nenhum conhecimento de causa, mas escuto muitas histórias das amigas mães daqui!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é bem por aí né Le, triste realidade... Eu gostei bastante do sistema daqui, tenho um pouco de medo de como vai ser com o próximo filho já que provavelmente vai nascer por aí... oremos...

      Excluir
  2. Oi Babi!!
    Que legal esse acompanhamento das Hebammes!! Uma atenção diferenciada e bem humanizada para as novas mamães!!
    Não dá pra você manter contato com ela após as 8 semanas não?? Hehe!
    Beijão!! Saudades!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito legal mesmo Carla! Eu achei a idéia ótima. A gente se sente bem mais segura e tem sempre uma opinião de fora sobre as coisas, e de gente que lida o tempo todo com gravidas de bebês!
      Ahh se pagar por mais visitas acho que ela continua aparecendo aqui em casa, senão a gente vai de vez em quando lá na clínica dar um oizinho... hahahahhah

      beijão

      Excluir
  3. Eu tive meus dois primeiros filhos no Brasil e meu terceiro, aqui ,a diferenca Babi, é ENORME! A Hebamme é uma ideia maravilhosa, é ela quem vai te acompanhar por toda a gravidez. Eu tinha uma maravilhosa! elas sao super simpaticas, atenciosas, e qq hora que vc precisar é so ligar.E ainda pode mudar se nao gostar da sua. Alem disso elas oferecem tbm servicos extras, precisei de mt cuidado porque tive terriveis dores nas costas toda a gravidez,e fazia com uma outra hebamme, massagens na piscina termal, que esqueci totalmente como se chama, e recebi cuidados de outras tbm, que so me faziam bem.Vc vai curtir mt essa gravidez aqui.
    Bjs na barriguinha, que ja deve estar bem grandinha ne?

    ResponderExcluir
  4. Mas que bacana esse sistema de Hebamme! Achei muito útil e muito mais humano, pois vc não precisa ter que ir atrás de consultas medicas apenas, e recebe um auxilio global (o psicologico acho super importante). Que coisa boa! Ainda mais para você que teve o primeiro filho, deve ser tudo completamente novo, e uma pessoa pra auxiliar nessa mudança toda faz muito sentido. Muita saúde, felicidade e harmonia pra familia!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…