Pular para o conteúdo principal

Conhecendo o hospital

Essa semana fomos conhecer o hospital onde o bebê vai nascer. Ele fica há uns 15 minutos caminhando aqui de casa, é aquele que comentei brevemente nesse post aqui, ao ladinho do Meyerspark. Saímos de lá super otimistas e empolgados com o jeito que as coisas acontecem por aqui. Aquela história de médico recomendando cesária, pelo menos no discurso do hospital, não existe! Em todas as vezes que ela foi mencionada o médico reafirmava: "só em casos de extrema necessidade". Aqui as coisas acontecem o mais "al natural" possível, e que alívio que isso me dá. Nem mesmo a tal da epidural (PDA), ela só é recomendada em casos extremos, SE a mulher fizer muita questão. E os meios de alívio da dor são tratados de maneira mais "alternativa", com homeopatia e acupuntura, por exemplo. Os quartos onde o bebê vem ao mundo são realmente quartos, e individuais, lá dentro só a mulher com marido e/ou outro acompanhante e vez ou outra a Hebamme (enfermeira/parteira). Nada daquela aparelhagem e frieza toda que a gente costuma ver em salas de parto, como o Lukas mesmo mencionou, mais parece quarto de hotel. E os quartos ainda são equipados com um monte de coisas "diferentes" pra ajudar na hora do nascimento, e eu vou poder ter meu filho na posição que eu quiser, que me for mais confortável no momento, quer seja na cama, quer seja na banheira, quer seja no chão... Como a Hebamme mesma ontem comentou, só não dá de cabeça pra baixo, mas de resto, do jeito que eu me sentir confortável vai ser.

Depois de parida a criança vai direto pros braços da mãe, mesmo em caso de cesárea. E caso não seja posssível porque a mãe está com algum problema eles colocam nos braços do pai. Achei essa visão ótima. Eles te dão a privacidade dos primeiros momentos com seu filho. Só depois de uns 30 - 45 minutos é que a criança vai ser pesada e medida e "inspecionada". Os primeiros minutos de vida do seu filho são ali, com você e seu marido, mais ninguém!

A única coisa que não sabia e que vou ter que me acostumar com a idéia é ter que passar uns 2 a 3 dias no hospital. Claro que se a gente quiser eles liberam depois de 4 horas se tudo estiver em ordem com mãe e bebê, mas eles recomendam mesmo que a gente fique por lá pra dar assistência nos primeiros dias. Ajudam com amamentação, trocas e afins. Além de ter a primeira grande consulta do pequeno sem precisar sair de casa com um recém nascido e enfrentar fila no médico. Essa área também mais parece um hotel, com 3 tipos de refeições a serem escolhidas pela mãe, com acesso à bebidas e frutas o dia inteiro. E tudo isso, pago pelo seguro!! Vejam só, eu na minha desconfiança brasileira não consigo acreditar que toda essa mordomia é assim, praticamente de graça, mas é. Só se o Lukas quiser ficar comigo num quarto só pra nossa família é que a gente precisa pagar extra, e isso a gente muito provavelmente vai fazer, eu que não quero ficar sozinha num hospital, com gente estranha ao meu redor.

Quem quiser ver algumas fotos dos quartos e conhecer o hospital: http://www.helios-kliniken.de/klinik/hamburg-mariahilf-klinik/fachabteilungen/gynaekologie-und-geburtshilfe/geburtshilfe/kreisssaal.html

Comentários

  1. Ai que emocionante, Bárbara!! Conhecer o hospital é um momento super importante, né? Parece que a hora H está chegando mesmo... Também gostei bastante dos hospitais daqui, eles respeitaram de verdade as minhas opcoes e me senti bem tratada. Nao achei ruim ficar no hospital os primeiros dias, foi um momento bom para descarregar a adrenalina e comecar a conhecer a minha neném, além de já receber as primeiras dicas de como amamentar, como cuidar... Eu nao sabia nem trocar uma fralda, acredita? Na primeira vez que troquei a minha filha a minha perna tremia. Uma emocao só!!

    Beijo!
    Karen

    P.S.: Por acaso você esteve no Ikea hoje? Nunca te vi ao vivo, só aqui no blog, as tive a impressao de ter te visto rsrsrsrs, a louca :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karen!!

      Realmente a hora H está chegando, estar lá conhecendo o hospital me deixou ainda mais apreensiva e consciente de que estou chegando ao fim dessa etapa. Pois é, achei legal a idéia de todo o acompanhamento que terei depois do parto lá no hospital mesmo, como você comentou acho que vai ser bom ter uma ajudinha logo assim no comecinho, meu marido também disse a mesma coisa. É só que eu realmente nao esperava a estadia por lá, e eu geralmente nao sou muito fa de hospitais, mas enfim, vai ser um ótimo aprendizado, porque eu também nunca troquei uma fralda na vida... hehehe... só sei na teoria como funciona a coisa!!

      Ahhh estivemos no IKEA hj sim!! Sério que vc me viu por lá??? Tinha tanta gente hj, acho que todos fugindo da chuvinha chata!! E olha que fomos bem rapidinho pra comprar mais tecido pra colcha que estou fazendo pro bebê, porque né, sempre faltam uns poucos centímetros quando a gente está no meio de um projeto... Que divertido isso!!!!


      beijao

      Excluir
  2. Que máximo esse lugar! Realmente é de ficar desconfiada de tanta mordomia assim, e essa historia toda de eles evitarem ao máximo a cesária é ótimo. Amei! Desde que pisei na Alemanha, ja penso que o dia que tiver meu filho, vai ser aí, tanto para educar quanto mais para nascer, agora que to vendo esse outro lado.
    Muito legal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E nao é de desconfiar?? Brasileiro sempre tem o pé atrás com essas coisas né?? Mas estou é super feliz que o primeirinho vai nascer aqui, justamente por todo apoio que existe e toda atencao que a gente recebe de equipe médica e tal, é bem diferente do que a gente vê acontecendo no Brasil ultimamente!

      Excluir
  3. Quanta emoção! Deu pra sentir nas suas palavras! E o mais importante, vcs estão se sentindo seguros com o hospital e a equipe médica! Quando o bebê vai nascer?
    beijos e estou aqui na torcida por vcs!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emocao mesmo Ana, e tranquilidade também, especialmente com relacao ao hospital e equipe. O bebê é pra daqui uns dois meses, mas vai vir quando estiver afim né, parto normal nunca se sabe...

      beijo

      Excluir
  4. Aii que lindo!!! Que bom poder contar com um serviço assim de qualidade, um hospital que tem respeito pela mulher e pela família. Que bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom mesmo Mari! Eu que tenho pavor de hospital achei esse ótimo, sem toda aquela gente pelos corredores e o melhor de tudo SEM CHEIRO DE HOSPITAL!! O paraíso... hehhehe

      Excluir
  5. Oi Babi!!!
    Nossa, que bacana esse hospital!!
    Acho que vai ser uma experiência legal ter o bebê nele!! Parece bem humanizado!! Bem como você queria, né??
    E uns dias num hospital assim vai ser bom... ruim é ficar nos hospitais daqui... frutas o dia inteiro, jamais! Hehe!
    Beijão!!! Saudades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bacana né??? Realmente do jeitinho que eu sempre achei que hospital devesse ser. Um alívio imenso saber que minha vontade vai ser respeitada na hora do parto. E bem como o Lukas disse, parece muito mais um hotel do que um hospital!!! hahahha

      beijão

      Excluir
  6. Barbára, que bom que vocês gostaram do hospital!!! Pelo que eu já ouvi de amigas que tiveram bb aqui na Suíça, acho que é parecido com o sistema ai da Alemanha. Cesária por aqui também só em casos extremos, só se não tiver jeito mesmo de ser parto normal. No Brasil, infelizmente, partos viraram um negócio. Tem médico que desencoraja a gestante a ter parto normal, mesmo sabendo que pode ser possível. Eu acho fantástico o trabalho das Hebammes, elas são super preparadas e ajudam a mãe também no pós parto. Que você tenha uma hora :-). Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste ver que um momento tao especial na vida das mulheres virou negócio né Sandra?! Eu dou gracas a Deus por ter a chance de ter (pelo menos o primeiro) aqui, onde a minha vontade e o meu corpo vao se respeitados como se deve. As Hebammes sao realmente uma mao na roda viu, é tao legal o cuidado que elas tem com a gente e como os bebes, nao aquela coisa normalmente fria dos médicos. Por enquanto minha experiencia de gravidez por aqui só tem pontos positivos!!

      Excluir
  7. Oi Babi, fico feliz de ver que TUDO esta caminhando bem...
    Que legal sobre o hospital, vi as fotos, bacanérrimo hem!!!
    Que venha esse lindo bebê com muita saúde.
    Curta muito essa parte dos preparativos e muito bom... coloca um post com as coisinhas que você já fez... rs
    beijosssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal né?? Eu também gostei muito do hospital, estou me sentido bem mais tranquila agora que sei como as coisas funcionam. E pode deixar que estou curtindo os preparativos sim. Já tem uns posts preparados com fotos das coisinhas que estou fazendo, aguarde os próximos capítulos!!! hehehheh

      beijo

      Excluir
  8. Emocionante mesmo, já procurando o hospital e ficando por dentro de tudo! Como você está e o baby estão? São só mais dois meses, né?

    beijos e tudo de bom pra vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, se informando de tudo direitinho!!! Nós dois estamos bem, bebê mexendo bastante e eu cansando cada vez mais rápido!! É, em torno de dois meses ainda.

      beijo pra você também!!

      Excluir
  9. É realmente uma coisa boa esta das pessoas poderem conhecer os hospitais assim. Aqui há também muitos dias (normalmente aos Domingos) de "portas abertas" não só para os hospitais mas também infantários, bombeiros, etc.
    Ainda bem que o local é do seu agrado :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é realmente muito bom Luís. Conhecemos mais de perto o trabalho dos profissionais e nos sentimos mais seguros ao usar seus serviços!!

      Excluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…