Pular para o conteúdo principal

Flashback

Depois de um bom tempo sem escrever, hoje deu vontade de novo... Vou fazer um flashback do que se passou desde a última vez que escrevi, que se não me engano foi sobre o primeiro jogo do Brasil na Copa (??será mesmo??).
Desde lá, muita coisa aconteceu... no final de junho, mais precisamente dia 30 de junho, foi meu último dia de estágio no PIT, até queríamos comemorar, mas como neste mesmo dia foi a minha temida banca de TCC, acabamos deixando a despedida oficial para a sexta-feira 02 de julho, com um mousse de maracujá maravilhoso feito pela Carla!! No dia da banca nem fiquei muito nervosa (pelo menos eu não me sentia muito nervosa, talvez as pessoas ao meu redor tenham sentido diferente, mas eu até consegui dormir na noite anterior, o que não acontece com muita frequencia quando estou ansiosa com alguma coisa). Enfim, tudo correu bem, peguei ônibus mais cedo, tentei evitar o tumulto das 6h da tarde e prá não arriscar chegar atrasada... mas o negócio de evitar o tumulto não deu lá muito certo, pq estava eu bela e formosa sentadinha no ônibus, carregando minhas maquetes, quando, 3 paradas depois da minha, eis que muitas pessoas resolvem entrar no ônibus, e quando eu digo muitas, são muitas mesmo, acho q o ônibus ficou parado no ponto uns 5 minutos até que todo mundo conseguisse subir... resumindo: lata de sardinha, e eu tentando proteger minhas maquetes das barraquinhas que foi um trabalhão danado prá fazer... mas no fim deu tudo certo, cheguei na PUC em tempo e com tudo inteiro!!! Vi a Nay apresentar o trabalho dela e depois arrumei minhas coisas, acho que foi nessa hora que fiquei mais nervosa, mas depois quie comecei a falar foi mais tranquilo, dei umas gaguejadas, mas nada desesperador, e no final de tudo DEZ!!! Um peso saiu das costas!! UFA!!!! Ainda fui com a Carla e a Luciane comer uma pizza e tomar um suco na praça de alimentação da PUC prá comemorar...
O mês de julho, foi dedicado ao descanso, fui prá fazenda não fazer nada, assistir seriados e ler muitos livros... estava precisando muito disso!!  Como a mami tinha 2 semanas der férias, aproveitamos e fomos nós duas viajar e visitar a parentada prá entregar os convites do casamento e  começar a me despedir das pessoas. Foram dias bem legais e frios, com algumas emoções, tipo atolar na lama... hehheheh... mas não era eu que estava dirigindo, que fique claro... hahhahahhah...
Depois das merecidas férias, voltei prá Curitiba prá começar a ajeitar as coisas prá ir embora, decidir o que vai e o que fica, putz, como isso é difícil!!! Enfim, depois de algumas tardes desesperadoras nessa função de escolher e pôr preço em tudo, no sábado dia 31 de julho fiz um Bazar prá vender a preços irrisórios as coisas que não mais me seriam muito úteis e que não valeria a pena guardar. Muitas pessoas vieram e muitas coisas eu vendi, muito obrigada à todos que colaboraram!!! Consegui me livrar de bastante coisa e também juntei um bom dinheirinho prá ajudar a montar a casa nova na Alemanha. Um chá de panela diferente que deu muito certo!!!!!
Aí já na terça-feira, o Lukas voltou da Alemanha, fui com os pais dele buscá-lo no aeroporto, e acho que os minutos mais longos da minha vida foram aqueles da espera entre o anúncio de que o avião já estava no pátio e o abraço do reencontro. Enfim, mais uma etapa superada!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…