Pular para o conteúdo principal

Novembro 2015 em fotos

Novembro foi um mês curto em postagens, pois a última semana enquanto ainda estava na casa dos meus pais estava sem internet pra poder postar no instagram. Por lá as coisas continuam debaixo d'água e ninguém aguenta mais tanta chuva. Sofrem as plantas, sofrem as pessoas, está tudo um caos por lá, se continuar do jeito que está nao vai mais ter chao pra pisar, só água, água, água...


Este mês testei alguns blocos aprendidos em cursos que estou fazendo na Eduk (recomendo!), e aos poucos vou me aventurando em fazer quilts maiores, não só jogos americanos e trilhos de mesa. Quero investir em colchas e mantas. Desde as pequeninas para bebê e criança quanto para camas de solteiro, e aos poucos ir para as maiores, de casal, queen e king. Ambiçao é tudo nessa vida!


Consegui ler alguns livros bacanas esse mês. Esses dois já estava querendo há um tempão e gracas as trocas via Skoob consegui. Estou adorando!


Aproveitando que amigos nossos que moram na Noruega estariam pelo Brasil marcamos um encontro com velhos amigos em Curitiba. Foi uma tarde muito delícia, onde comemos, rimos e brincamos. Os meninos se conheceram e brincaram juntos e as fofocas rolaram soltas. Por mais dias com amigos!!


O resto do mês passei na casa dos meus pais, que como já mencionei acima está com o clima bem ameno para essa época do ano. Eu gosto, ainda mais por passar sempre muito calor e secura em São Paulo. Mas até eu estava me enchendo o saco de ter que atravessar rodovia alagada e esburacada toda vez que precisava sair de casa.


Comentários

  1. Que legal Bárbara! Acho tão lindos os quilts! Me transmitem uma sensação de aconchego, de casinha com cheiro de pão caseiro. :)

    ResponderExcluir
  2. Acho que mês passado só teve uns cinco dias de sol aqui onde eu moro. Adoro as trocas do Skoob!

    ResponderExcluir
  3. Oi Babi! Eu também senti que o mês de novembro passou voando. Aliás, essa época de final de ano passa sempre muito rápido. É tanta coisa pra fazer e organizar...de repente o tempo voa!
    Adorei saber sobre o seu mês, já te falei que essa é uma ótima ideia, mostrar o mês em fotos.
    Aproveite bem o comecinho de dezembro!
    bjos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…