Pular para o conteúdo principal

Visite o mercado

Vocês já repararam em como a gente pode conhecer mais sobre uma cultura ou região visitando o mercado? Não só os hábitos alimentares estão lá representados, toda a cultura se encontra naquele mesmo lugar. E aqui falo não só de mercados públicos, aqueles nas ruas, mas também os mercados grandes, de rede, ou a vendinha da esquina num bairro qualquer.
feira de rua na Alemanha - outubro 2010
Reparem como as coisas estão organizadas de jeitos diferentes. Por exemplo, basicamente em todos os mercados que já fui aqui no Brasil as frutas e verduras estão onde? Nos fundos. Já na Alemanha quase sempre os encontrei bem na entrada. Isso diz muito sobre a alimentação e prioridades das pessoas na hora de fazer suas compras. Tem também o exemplo do meu irmão que foi pra Alemanha e tinha a encomenda de trazer Gelfix (um produto pra fazer geléia) pra minha Oma. Ele provavelmente não encontrou o negócio porque na lógica dele esse produto deveria estar com as coisas de confeitar, tanto que no lugar ele trouxe Tortenguss (um produto pra fazer "recheios" de tortas). No entanto, na lógica alemã o tal do Gelfix está junto com o açúcar, afinal é um tipo de açúcar para fazer geléias. Mais um exemplo que eu mesma vivi foi com o leite de coco. Aqui no Brasil o encontraríamos junto mais uma vez com as coisas de confeitar, perto de creme de leite, leite condensado e afins, mas na Alemanha não, ele está junto com as coisas asiáticas... E assim são tantas outras coisas que estão em lugares diferentes do que estariam na nossa terra natal, ou dispostos de formas diferentes.

Por isso, recomendo: SEMPRE que for visitar algum lugar diferente, seja um país ou mesmo uma cidade visite um mercado e descubra um pouquinho mais daquela cultura.

Comentários

  1. Eu amo mercados! amooooooo! mesmo qd morava no interior do amazonas, adorava fazer a feira de sabado bem de manhazinha. coisa boa gente! aqui entao gosto mais ainda!

    Ei Babi, vou ser chata, mas vou falar, vc nao acha meio confuso ler a postagem qd o fundo é transparente? sei lá, eu fico doidinha... coisa de véio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ir a um mercado é tudo de bom né?! Em especial os de rua...

      E quanto ao fundo, nunca tinha parado pra pensar a respeito... Obrigada pelo toque e assim que tiver um tempinho a mais vou dar uma ajeitada nisso, pode deixar!!

      beijokas

      Excluir
  2. Menina!!! Sabe que eu nunca pensei sobre isso! Depois de tanto tempo aqui as coisas fazem tanto sentido, que eu nunca parei para pensar na lógica da organização de um supermercado. E você tem toda a razão! Eles falam muito sobre um povo. Aliás, você me inspirou para fazer um post sobre como são os mercados!
    Por isso eu amo visitar blogs, a gente sempre acaba aprendendo algo ou parando para pensar em algo que nunca tínhamos reparado antes!

    Boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E viva os blogs nessas nossas vidas né?! Fico no aguardo do seu post, vou adorar ler!!

      beijos e boa semana também!

      Excluir
  3. Quando viajo pra algum país diferente eu adoro visitar os mercados pra experimentar a comida típica do lugar.
    Quando você falou pra reparar na disposição dos alimentos no mercado eu pensei aqui no Brasil e nas feiras que eu vou a barraquinha do pastel é sempre a primeira que eu vejo! hahaha

    http://www.whatamandalikes.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tudo de bom visitar países diferentes e provar as comidinhas né?! Nos deixa um pouquinho mais próximos daquele povo e de seus costumes.

      beijokas

      Excluir
  4. eu adoro mercado! desses tipo feira de rua. já gostava no brasil. do cheiro de frutas, de temperos, de peixe... tudo misturado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses de rua são os melhores né?! Adoro ir também nem que seja só pra passear!

      Excluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…