Pular para o conteúdo principal

Sumiço, visita, show da Sandy e mais...

Andei meio sumida né?! Não que estivesse muito ativa por aqui ultimamente, mas ainda assim conseguia deixar uns posts agendados de vez em quando.

Estas últimas duas semanas não foram assim corridas, mas não cheguei a ter tempo de sentar em frente ao computador com calma pra escrever, sabe como? Hoje em dia dá pra fazer quase tudo pelo celular, mas uma coisa que não consigo fazer por lá é escrever no blog, aquelas letras pequenas me enervam. Servem realmente só pra deixar recados rapidinhos.

Aí que minha mãe esteve por aqui por uma semana enquanto meu marido estava viajando e (o motivo oficial) cuidar do Leopold enquanto fomos ao show da Sandy. Ai gente, vocês não sabem a alegria que foi pra mim assistir um show dela. Deve fazer praticamente uns 10 anos desde o último show que fui. E isso era ainda na época em que ela fazia dupla com o irmão. Eu sempre fui fã deles. Na época que eles romperam a dupla até teve show em Curitiba onde eu morava na época, mas eu estava meio desligada deles naquela altura, todo mundo tirava sarro de mim por gostar deles e inventei a desculpa de que tinha que fazer uma prova naquele bendito dia pra não pedir pra alguém ir comigo. Enfim, sei que a Sandy lançou a carreira solo dela tipo 1 mês depois que eu tinha me mudado pra Alemanha e o show foi em Curitiba, imagina a minha frustracao quando soube. Desde lá venho acompanhando a carreira dela do jeito que dava morando fora, sempre pedindo pra alguém comprar os cds pra mim e assistindo vídeos na internet. E agora, quando ela volta da licença maternidade, depois de quase 1 ano e meio fora dos palcos calha de eu estar morando na cidade onde ela vai fazer o primeiro show depois de todo esse tempo. Não podia perder né?! E foi lindo! Ahh como me emocionei. Eu sou dessas bestas que não faz nada, fica só olhando, mas eu amei estar lá, foi meio mágico pra mim...

Ahh ela emocionada com a primeira música... Foi lindo...

Enfim, e depois que minha mar foi embora acabei não conseguindo tempo no computador porque o pequeno estava um chatonildo de não querer colaborar com nada. Foi tenso, mas já voltou ao normal. Essas crises sempre acontecem depois de passar tempo com outras pessoas que fazem tudo que ele quer.

E hoje, vejam só, hoje estou aqui porque vou passar dois dias sem marido nem filho em casa. É tanta liberdade que nem sei por onde começar. Tenho tanta coisa que queria fazer com calma... Ler um livro, assistir um seriado, limpar a casa e aproveitar ela limpinha e sem bagunça por dois dias inteiros, costurar todos os meu projetos pendentes, em especial aqueles pessoais ou mais complicadinhos que exigem mais atencao. Enfim... não sei por onde começar. Claro que fico apreensiva coma viagem deles, se o pequeno vai sentir minha falta, mas esses dilemas toda mãe passa. Eu quero aproveitar ao máximo esse tempo só pra mim. Quem sabe até organizo umas postagens pro blog, veremos...

Comentários

  1. Puxa, que delícia. É uma emoção ver aquele nosso artista favorito ao vivo, ouvir aquelas músicas que a gente amaaa ali, ao vivo tbm. A Sandy é uma fofa. Meu pai comprava cds deles pra mim e até hoje temos. De vez em quando gosto de ouvir e relembrar.
    Sobre sua folga, aproveite muito!!! Depois conta como foi :)
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Paula, ver nossos artistas favoritos ao vivo é muito emocionante, parece meio uma coisa de sonho né?!

      Pretendo vir aqui contar um pouquinho sim de como foram esses dois dias sozinh.

      beijo

      Excluir
  2. Oi Bárbara! Que bom que você pôde ir ver a Sandy já que você gosta, e que feliz coincidência que fosse logo começar pela cidade que você está. É tão bom né, ter esses momentos, essas "favorite things" que tornam a vida mais colorida.
    Aproveite o seus dias off. Dica: comece por uma coisinha de cada vez. Rsrs.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a coincidência Mari! Foi tao bom, fiquei tao feliz!!

      Obrigada pela dica, mas é difícil escolher uma coisa só né?!

      beijos

      Excluir
  3. Olá Bárbara!
    Shows ao vivo são oportunidades ímpares para se emocionar. Que bom você ter vivido isso!
    Que os dois dias de folga sejam cheios de você... de resgate... de horinhas de descuido.
    Take care!
    Márcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me fale Márcia, emocao pura!!

      Obrigada pelo carinho!!

      Excluir
  4. Ai, eu tb vou acompanhando suas postagens, mas vou lendo pelo celular, e acabava que eu não comentava porque não tenho paciência de ficar digitando pelo telefone, rs.. mas agora pelo computador fica bem melhor :-). hahahah, eu ri quando li que vc escreveu que o povo te zoava por escutar Sandy, rs... tinha uma colega de trabalho que as vezes colocava para tocar pela internet Sandy e o pessoal zoava ela tb.... rs.. rs... nem sei direito porque, acho que a Sandy querendo ou não nos remete aos tempos de infância, quando fazia dupla com o Jr... embora ela faça de tudo para se "livrar" desse passado, rs... enfim... maravilha assistir um artista que a gente gosta. Por aqui eu fico só na vontade, já que raramente um artista brasileiro que eu goste vem tocar por aqui.
    Espero que tenha aproveitado a sua folga de marido e filho (rs.. ) Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Conte-me o seu segredo...

Postagens mais visitadas deste blog

torta alemã

Alguém sabe me dizer a origem da chamada torta alemã? Porque aqui na Alemanha mesmo, nunca vi nenhuma torta desse tipo como a que conhecemos no Brasil... 
Dei uma pesquisada no google, mas não tive muitas respostas não. As duas versões que me fizeram mais sentido foram: 1- que uma descendente de alemães lá em Santa Catarina ficou com saudades das tortas da sua terra natal e adaptou uma torta com os ingredientes encontrados ali; 2- que seria uma versão do conhecido Kalter Hund, que a torta alemã teria em diferente um creme de manteiga e creme de leite ao invés do chocolate como recheio. E aí, alguém tem palpites?? Ou já viu uma torta alemã na Alemanha??

A diferença entre Quark e ricota

Quando tínhamos ainda vacas na fazenda, lembro que a mami fazia a tal chamada ricota pelos brasileiros, mas a gente lá em casa sempre chamou de "quark"... beleza, depois que vc tem que procurar o negócio no mercado se acostuma com o nome ricota, que todo mundo diz que é o do tal negócio... E é uma coisa que eu gosto muito de comer... Um tempo atrás decidi que queria comer panquecas, e prá mim a melhor delas é a recheada com ricota! Vamos então no mercado comprar "quark" que é prá ser o mesmo que a chamada ricota no Brasil... Mas não é a mesma coisa não!!! Primeiro a consistência é bem diferente, o quark é bem mais macio que a ricota, e também bem mais azedo... A ricota brasileira é meio esfarelenta, mais seca, o quark é um creme, uma pasta bem fácil de passar no pão por exemplo. Foi então pesquisar na internet, prá descobrir então se por acaso não existia uma diferença entre eles, já que eram tão diferentes... achei que a principio fosse só uma diferença de nomenc…

Odeio ser chamada de tia

Cresci em família de descendência alemã, pra mim sempre foi super normal chamar meus tios e tias de Onkel e Tante, até hoje não consigo me referir à eles sem esse pronome (se é que o nome é esse mesmo, mas vocês entendem o que eu quero dizer). Pra mim tia era o  nome pelo qual as minhas amigas chamavam a minha mãe e a mãe de todos os amiguinhos da escola. No Brasil isso é super normal, pelo menos lá onde eu cresci. É meio que costume chamar pessoas mais velhas de tio ou tia, um sinal de respeito. Então pra mim, esse negócio de tia sempre pega por esse lado. Meu maior terror quando voltar aos Brasil é voltar a ser chamada de tia (me arrepio só de pensar). Pra piorar sobrinhos do marido foram ensinados a me chamar de tia, já sentiram a minha reação né?!  arrepios... É ainda pior quando adultos se referem a mim com esse “pronome”, ui, mais arrepios... Por isso meus filhos vão chamar seus tios de sangue de Tante e Onkel, assim como os avó são Opa e Oma. Gente, não consigo me referir a par…